SPObras revoga licitações de projetos de reforma de corredores de ônibus

Processo licitatório já estava bem adiantado. A SPObras já havia definido empresa vencedora para o Corredor Itapecerica no dia 18 de fevereiro de 2020. Foto: divulgação

Não foi informada data para retomada. Processos se arrastam desde 2018

ADAMO BAZANI / ALEXANDRE PELEGI

A SPObras, empresa da Prefeitura de São Paulo, anunciou na edição do Diário Oficial desta sexta-feira, 29 de maio de 2020, a revogação da licitação para reforma e modernização de quatro corredores de ônibus.

O processo licitatório vem se arrastando desde 2018. Relembre: Prefeitura de São Paulo abre licitações para corredores de ônibus nas zonas Leste, Sul e Norte

A concorrência tem por objeto a contratação de empresa ou consórcio de empresas especializadas para a elaboração do projeto básico e projeto executivo da requalificação dos seguintes corredores:

– Corredor de Ônibus Interlagos (trecho entre Avenidas Washington Luis e Atlântica) – Zona Sul.

– Corredor de Ônibus Imirim (trecho entre Av. Dep. Emílio Carlos e Al. Afonso Schimdt) – Zona Norte.

– Corredor de Ônibus Amador Bueno da Veiga (trecho entre Praça Micaela Vieira e R. Embira) – Zonal Leste.

– Corredor de Ônibus Santo Amaro/João Dias (Trecho entre Avenida Portugal e Terminal João Dias) – Zonal Sul

Como mostrou o Diário do Transporte, em 10 de janeiro deste ano a SPObras anunciou no Diário Oficial do município a análise das propostas das licitações para reforma e modernização de três dos corredores de ônibus acima, com exceção do Corredor Imirim. Relembre: Prefeitura de São Paulo divulga classificação de licitação de projetos de reformas de três corredores de ônibus

As propostas comerciais foram abertas no dia 18 de dezembro de 2019, e, desde então, analisadas pela comissão de licitação.

Já no caso do Corredor Imirim, a SPObras divulgou no dia 23 de janeiro de 2020 que cinco empresas haviam sido qualificadas na licitação. Relembre: Cinco empresas são classificadas para reforma do corredor de ônibus Imirim, na zona Norte

A concorrência para dois corredores (Itapecerica e Santo Amaro/João Dias) havia sido retomada pela prefeitura no dia 18 de janeiro. Apenas o corredor da Amador Bueno estava fora da relação por conta de recurso administrativo interposto pela empresa Systra Engenharia e Consultoria Ltda contra o julgamento da Proposta Comercial proferido pela Comissão Permanente de Licitação.

O Corredor Itapecerica já havia finalizado o processo de concorrência. Como mostrou o Diário do Transporte, no dia 18 de fevereiro a SPObras homologou o resultado do certame em benefício da Planservi Engenharia Ltda. O valor do contrato, de R$ 1,9 milhão, abrangia o trecho entre os terminais Capelinha e João Dias, um dos mais movimentados do sistema. Relembre: Prefeitura de São Paulo contrata empresa por R$ 1,9 milhão para reforma do Corredor Itapecerica, na zona Sul

Com a revogação dos processos licitatórios dos quatro corredores, tudo volta à estaca zero.

A publicação de hoje não explicita os motivos para a revogação. A Comissão Permanente de Licitações apenas informa que as razões poderão ser consultadas no Processo SEI nº 7910.2019/0000567-7, que estará disponível mediante solicitação dos interessados através do e-mail licitacoes@spobras.sp.gov.br.

SPOBRAS_CORREDORES


A Prefeitura de São Paulo planeja para 2028 que a cidade tenha 565 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus.

Atualmente, a cidade tem em torno de 130 quilômetros de corredores em mais de 17 mil quilômetros de vias. A frota de ônibus é de pouco mais de 13 mil coletivos.

Quando começou a gestão, o então prefeito de São Paulo, hoje governador, João Doria, estipulou como meta 72 quilômetros até o fim de 2020.

Contudo, o prefeito Bruno Covas teve de rever a meta para apenas 9,4 quilômetros novos e 43,4 quilômetros de reformas em faixas e corredores já existentes.

Entretanto, até mesmo essa meta menor corre risco de não ser realizada principalmente por causa dos efeitos econômicos do coronavírus, que causa a Covid-19, doença que teve origem na China e se alastrou pelo mundo.

A estimativa da prefeitura, até o momento, é de perdas de arrecadação de mais de R$ 3 bilhões fora os custos com saúde e assistência social.

Adamo Bazani e Alexandre Pelegi, jornalistas especializados em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Antonio palacio disse:

    Estamos ruins de prefeitura mesmo ! Não consegue nem reformar corredores, quem dirá fazer novos !

Deixe uma resposta