Pandemia atrapalha planos do governo Dória para concessão do Trem Intercidades

Publicado em: 5 de maio de 2020

Trem da linha 7 entrará no pacote de concessão do Trem Intercidades, agora adiado. Foto: Adamo Bazani.

Baldy afirma que edital do BRT do ABC Paulista, prestes a ser lançado, terá que ser adiado por mais 60 dias devido à atual crise

ALEXANDRE PELEGI

A pandemia de Covid-19 atrapalhou todos os planos para os próximos meses. Não só por conta do caos na economia, ainda difícil de ser mensurado, como também pela extensão dos efeitos que causará no uso dos modos de transporte de massa.

O governo de São Paulo, não poderá ser diferente, também foi afetado diretamente.

O cronograma da licitação das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que estava de vento em popa, sofrerá alterações. Com previsão de ser lançado em maio, o edital definitivo e a entrega de propostas seguramente serão feitas ainda neste ano. Já o projeto do Trem Intercidades (TIC), este foi adiado para o primeiro trimestre de 2021.

As afirmações foram feitas pelo secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, Alexandre Baldy, ao jornal Valor Econômico, em entrevista nesta segunda-feira, 04 de maio de 2020.

Como mostrou o Diário do Transporte, o Governo do Estado de São Paulo prorrogou por 30 dias o prazo de Consulta Pública da minuta de edital, minuta de contrato e demais anexos, da concessão da prestação do serviço público para a iniciativa privada das Linhas 8 e 9. A nova data limite para apresentação de sugestões passou de 31 de março para o dia 30 de abril de 2020. Relembre: CPTM prorroga prazo de consulta pública para concessão das Linhas 8 – Diamante e 9 – Esmeralda

No dia 27 de fevereiro deste ano a Companhia realizou audiência pública para informar à sociedade o projeto e esclarecer as dúvidas.  A proposta define que a concessão será feita por meio de concorrência internacional, por prazo de 30 anos e vencerá aquele que oferecer o maior valor de outorga (total pago na assinatura do contrato).

Além disso, o concessionário deverá investir, nos primeiros seis anos, cerca de R$ 2,6 bilhões em melhorias nas duas linhas, que trarão inúmeros benefícios aos passageiros.

Como já havia mostrado o Diário do Transporte, o governo do Estado confirmou que a empresa ou consórcio que vencer o certame vai assumir a operação, manutenção, compra de equipamentos, comprar 30 novos trens e terá de reformar 35 estações, além de fazer novas transposições do Rio Pinheiros, como na região do Ceasa.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/02/19/concessao-das-linhas-8-e-9-da-cptm-sera-por-30-anos-com-duas-novas-estacoes-e-novos-trens/

Como também tinha anunciado o Diário do Transporte, a concessionária que assumir a concessão vai construir duas novas estações: nova Estação Lapa (integrando linhas 7 e 8) e a Estação Ambuitá, em Itapevi (Linha 8).

Na apresentação, o Governo também explicou que os trens atuais das linhas 8 e 9 serão devolvidos gradativamente ao patrimônio da CPTM na medida que os novos trens comprados forem chegando.

O concessionário será remunerado por uma tarifa técnica por passageiro transportado e poderá explorar os espaços comerciais e buscar empreendimentos associados para captar receitas não-tarifárias. Em 2019, a média de passageiros transportados, somando as duas linhas, foi de 1,089 milhão por dia útil.

Na entrevista ao Valor, o secretário Baldy afirmou que o calendário não terá grandes alterações. “Pelo cronograma, até o leilão já teremos, espero, saído da pandemia. O interesse [da iniciativa privada] se mantém”, disse ele.

A matéria do Valor Econômico cita ainda Henrique Constantino, dono do grupo Comporte (empresa de transporte rodoviário, dos fundadores da Gol). Um dos interessados no projeto, ele afirmou ao jornal que “com o novo cenário provocado pela pandemia da covid-19, os interessados tiveram que refazer seus estudos, mas ainda há interesse”.

BRT DO ABC E TREM INTERCIDADES

Baldy falou ainda dos demais projetos de mobilidade urbana do Estado. Segundo ele, os planos se mantem, mas com atrasos pontuais.

O edital do BRT do ABC Paulista, prestes a ser lançado, teve de ser adiado por mais 60 dias, uma vez que a crise provocada pela pandemia alterou o foco das equipes técnicas do governo e da Procuradora Geral do Estado. A ideia, no entanto, segundo Baldy, é publicar o edital ainda neste ano.

No caso do Trem Intercidades – TIC, previsto para o fim de 2020, o leilão foi transferido para o primeiro trimestre de 2021.

O início das obras da Linha 6-Laranja também terá atrasos, uma vez que por conta da pandemia, os novos concessionários (a espanhola Acciona) tiveram que cancelar todas as viagens ao Brasil.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta