Concessão das linhas 8 e 9 da CPTM será por 30 anos com duas novas estações e novos trens

Publicado em: 19 de fevereiro de 2020

Linhas são de alta demanda na CPTM

Conselho de PPP apresentou o modelo inicial de repasse de operação e manutenção das linhas para a iniciativa privada

ADAMO BAZANI

O Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização apresentou uma pré-modelagem da concessão à iniciativa privada das linhas 8-Diamante (Amador Bueno / Itapevi) e 9  Esmeralda (Osasco / Grajaú) da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

De acordo com ata da reunião realizada em 31 de janeiro e publicada nesta quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020, a modelagem preliminar desenvolvida em contrato com o IFC – International Finance Corporation (Grupo Banco Mundial), o prazo de concessão deve ser por 30 anos e remuneração da empresa que vencer a licitação vai ser por meio de tarifa técnica por passageiro transportado, que pode ser maior que a tarifa social, ou seja, aquela paga pelo usuário:

– Concorrência Internacional, tendo como critério de julgamento o de “maior valor de Outorga Fixa”, que as projeções econômico-financeiras considerariam;

– Prazo total da concessão de 30 anos;

– Remuneração da concessionária pela “tarifa técnica contratual por passageiro transportado”, desvinculada da “tarifa pública”, assumindo o máximo de aproveitamento das receitas “não tarifárias”

Entre as exigências, estão melhorias em 35 estações e construção de novas estações:

– Modernização de sistemas e infraestrutura de operação (via permanente, telecomunicações, sistemas auxiliares, entre outros);

– Melhorias em 35 estações, contemplando a construção de duas novas estações: Ambuitá (Itapevi) e Lapa (“unificação” das linhas 7 Rubi e 8 Diamante), e demais itens de acessibilidade e de conforto aos usuários;

– Obras para inserção da Estação João Dias na Linha 9 Esmeralda;

– Implantação de novo CCO (Centro de Controle Operacional) local;

– Adequação do Pátio Presidente Altino e edificação para segregação das atividades da CPTM atualmente desempenhadas no referido Pátio;

– Aquisição de material rodante (novos trens); perfazendo estimativa total de investimento a cargo do concessionário de cerca de R$ 2,6 bilhões.

Na apresentação, o conselho ainda especificou que o prolongamento da linha 9 até Varginha,  no extremo Sul de São Paulo, continuará sendo custeado pelos cofres públicos que também vão bancar adequações em estações.

O Poder Concedente teria obrigação de concluir a extensão de 4,5 km da Linha 9 Esmeralda, com duas estações (Mendes-Vila Natal e Varginha), cujos recursos são oriundos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), e as adequações das estações Morumbi (integração com Linha 17 Ouro – monotrilho), Santo Amaro (integração com Linha 5 Lilás) e Carapicuíba (ligação com Boulevard); com previsão de entrega de todas essas obras até 2022.

O modelo definitivo da concessão ainda vai ser definido pelo governo do Estado.

LINHAS TRANSPORTAM UM MILHÃO DE PASSAGEIROS POR DIA

Segundo a apresentação, ambas as linhas transportam mais de um milhão (1,088 milhão) de pessoas por dia.

A linha 8 Diamante, que liga Júlio Prestes a Amador Bueno, tem 41,6 Km de extensão e 22 estações, atendendo aos municípios de São Paulo, Osasco, Carapicuíba, Barueri, Jandira e Itapevi, com integrações na Linha 7 Rubi e Linha 9 Esmeralda da CPTM, e na Linha 3 Vermelha do Metrô, e demanda MDU (Movimento em Dias Úteis), em 2019, de 497 mil passageiros transportados/dia.

A linha 9 Esmeralda, interliga Osasco a Varginha, estende-se por 32 km e tem 18 estações, atendendo às cidades de São Paulo e Osasco, com integrações na Linha 8 Diamante da CPTM, e Linhas 4 Amarela, 5 Lilás e 17 Ouro do Metrô, e demanda MDU, em 2019, de 591 mil passageiros transportados/ dia.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Matheus Henrique Teles de Souza disse:

    Errata: a linha 9 possui 18 estações até o Grajaú. Com Varginha e Mendes-Vila Natal passará a ser 20 estações

  2. Fernando Acciari disse:

    E o trem intercidades Sorocaba? E o trem? E o trem? Opaaa!!! Fomos enganados novamente? Vamos dar o troco nas eleições!

  3. Rodrigo Zika! disse:

    Interessante veremos.

  4. Everton disse:

    Esse governador safado mentiu… Cadê o trem de Sorocaba? Vai ter troco nas eleições!

  5. Etchao disse:

    E quanto a faixa de domínio que atualmente já pertence a CPTM entre Amador Bueno e Mairinque na extensão da linha 8? Continuará abandonado? Péssimo edital, há mais lacunas do que soluções

  6. Linha 8 Amador -Itapevi ?? e não é a Julio Prestes??

    1. blogpontodeonibus disse:

      Amador Bueno / Júlio Prestes

  7. Anonimous disse:

    Muito vago os dizeres. Construção de apenas duas estações e melhorias de 35. Trocar um portão já é melhoria. Tudo muito vago pra entregar por 30 anos. Se não dá lucro ao governo porque daria a iniciativa privada. Estação João dias já era vontade da iniciativa privada construir por atender um polo empresarial, então não seria dinheiro público. Logo, não conte como proposta no edital, é só para parecer que estão fazendo um bem a população. O que falar de um governador que diz ser gestor e não sabe gerir? Nasceu em berço de ouro, não respeita a família, não cumpre com o plano de governo. O povo vai se arrepender se deixar essa barbárie acontecer.

  8. Jair disse:

    E a alternativa da linha 9 até a Lapa?
    Como ficou?

  9. Leoni disse:

    Caso esta concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda sejam planejadas, e executadas, além da ação do operador privado devera incluir a construção da nova estação Ambuitá, em Itapevi, e da unificação da Estação integradora Lapa, promovendo a conexão entre as linhas 7-Rubi, 10-Turquesa e 8-Diamante.

    É óbvio que se deva incluir um serviço de trem de passageiros regional entre a capital e Sorocaba no pacote com prazo para ser executado, (É condição Sine Qua Non) o operador fara a gestão do trem metropolitano e do Intercidades, não tem como se separar, sob o risco de se ocorrer o mesmo imbróglio que aconteceu na GRU Airport, em que um contrato de concessão mal elaborado no qual passageiros tem que fazer um transbordo desnecessário a 1,2km do primeiro terminal e 2,5km do terceiro, desmotivando os passageiros a utilizar a Linha 13-Jade, lembrando que ainda existe um trecho em linha métrica entre a última estação com relação a Sorocaba que deverá ser retificado e rebitolado em 1,6m.

    Também é fundamental e imprescindível que se revitalize a Estação terminal Júlio Prestes para receber os trens metropolitanos e o futuro Intercidades procedentes desta região.

  10. Max disse:

    Esse trem ligando Sorocaba a São Paulo nunca sai de Estudo…é sempre um projeto.
    Espero que seja posto em execução logo.

Deixe uma resposta