Crivella diz que ônibus não vão parar nesta sexta-feira no Rio de Janeiro

Publicado em: 26 de março de 2020

Prefeito afirmou ainda que vai pedir apoio do governo federal para subsidiar os salários dos motoristas que estão sem trabalhar. Foto: Junior Shephard.

Anúncio foi feito após reunião com RioÔnibus, sindicato de empresários e viações dizem buscar últimos recursos para manter operação de transporte nos próximos dias

JESSICA MARQUES

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, afirmou que os ônibus não vão parar nesta sexta-feira, 27 de março de 2020.

O chefe do Executivo se reuniu nesta quinta, 26, com o presidente da Rio Ônibus, Cláudio Callak, para tratar dos impactos da queda de demanda no transporte público na cidade.

O anúncio de Crivella de que os ônibus não vão parar de circular foi feito após a reunião. O prefeito afirmou ainda que vai pedir apoio do governo federal para subsidiar os salários dos motoristas que estão sem trabalhar.

O prefeito solicitou ao governo federal que libere o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de trabalhadores que mais sofrem financeiramente por conta da crise do novo coronavírus.

Leia mais: Prefeito do Rio quer liberação do FGTS para motoristas de ônibus e de BRT da cidade

“Temos 5,5 mil ônibus na cidade e hoje estamos rodando com 2 mil porque a demanda caiu muito. Nestes 2 mil, também pedimos que as pessoas não andem em pé. Só sentados. Portanto, a rentabilidade dos ônibus caiu demais. Estes 3,5 mil ônibus que não estão rodando têm motoristas e nós precisamos pagar salário. Como o município não tem recurso, estamos pedindo ao governo federal que nos ajude nesse momento de crise devido à pandemia”, disse Crivella.

Nesta semana, o presidente do RioÔnibus, sindicato das empresas de ônibus do Rio de Janeiro, Cláudio Callak, afirmou que o transporte coletivo pode parar a partir de sexta-feira, 27 de março de 2020.

A crise enfrentada pelas empresas de ônibus é em decorrência da falta de passageiros por conta do isolamento social, medida de prevenção ao novo coronavírus.

Relembre: Coronavírus: Presidente do RioÔnibus afirma que transporte coletivo pode parar a partir de sexta no Rio de Janeiro

EMPRESAS BUSCAM ÚLTIMOS RECURSOS

Em nota, o Rio Ônibus confirmou que Crivella se comprometeu a buscar, em caráter de urgência, em Brasília, recursos para manter a operação do sistema de transporte público por ônibus funcionando na cidade.

Contudo, as viações informaram estar buscando os últimos recursos para manter a operação do transporte coletivo. A crise ocorre devido à pandemia do novo coronavírus.

“Neste momento de baixíssima demanda por conta da recomendação de isolamento social, o sindicato, os consórcios e as empresas de ônibus estão buscando os últimos recursos para manter a operação do transporte, até a ajuda chegar”, informou o sindicato, em nota.

“A pandemia do coronavírus agravou radicalmente a situação das empresas e, como vem alertando a própria NTU, entidade nacional de empresários do setor, o transporte de passageiros por ônibus, já combalido pela crise dos últimos anos, está prestes a entrar em colapso total no pais até o dia 5 de abril, caso nenhuma providência seja tomada pelos poderes públicos”, completou.

Ainda segundo o RioÔnibus, o recurso a ser aportado no transporte de passageiros por ônibus, enquanto as medidas de prevenção ao coronavírus continuarem em vigor, são considerados fundamentais para evitar a paralisação dos ônibus neste momento tão importante.

“Estamos vivendo um dia de cada vez. Estamos juntando os cacos de hoje para funcionar amanhã. Temos que preservar o emprego de cerca de 26 mil pais de família que, neste momento de guerra não podem parar. Precisamos, a todo custo, manter a cidade rodando para combatermos esse inimigo comum”, afirmou Claudio Callak, presidente do Rio Ônibus, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta