Prefeito do Rio quer liberação do FGTS para motoristas de ônibus e de BRT da cidade

Publicado em: 26 de março de 2020

Militares fizeram ação de desinfecção na Central do Brasil nesta quinta, 26. Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Para Crivella, com o afastamento social, que tirou as pessoas das ruas, essas categorias sofrem pressão pela queda de renda

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, anunciou na tarde desta quinta-feira, 26 de março de 2020, que vai solicitar ajuda à União para o pagamento dos salários dos rodoviários que trabalham no transporte público do município.

A declaração de Crivella foi dada durante serviço de desinfecção nos trens da Central do Brasil — uma ação dos militares das Forças Armadas, que atuam em parceria com a Prefeitura contra o Covid-19.

O apelo do prefeito é para que o governo federal libere o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de trabalhadores que mais sofrem financeiramente com o impacto da crise do novo coronavírus.

Crivella informou ainda que sexta-feira, 27, irá conversar com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e reforçar o pedido.

A proposta é que motoristas de ônibus e de BRT e profissionais autônomos, como taxistas, ambulantes e produtores culturais, que vivem da arte nas ruas, possam fazer o saque, caso tenham direito.

Com o afastamento social, que tirou as pessoas das ruas, essas categorias ficaram sem renda, disse Crivella. “A liberação do dinheiro ajudaria milhares de profissionais a comprar alimento e pagar suas contas”, afirmou o prefeito.

Se o governo federal puder liberar o FGTS para esses motoristas e produtores culturais, que são 50 mil na cidade, e os ambulantes, além de motoristas de táxi e de aplicativos, seria uma grande ajuda. Ter acesso às suas poupanças vai permitir sobreviver neste momento de baixa demanda”, destacou o prefeito do Rio de Janeiro.

Como noticiou o Diário do Transporte, nesta quarta-feira, 25, o presidente do RioÔnibus, sindicato das empresas de ônibus do Rio de Janeiro, Cláudio Callak, afirmou que o transporte coletivo pode parar a partir desta sexta-feira, 27.

Depois de seguir todas as determinações do poder público fielmente, não temos mais como suportar o pagamento de insumos básicos como óleo diesel e folha de pagamento de aproximadamente 26 mil famílias que são os nossos rodoviários”, afirmou Callak.

Além disso, o presidente do RioÔnibus fez também um apelo ao poder público e a órgãos competentes, para que a crise seja superada em conjunto. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/03/25/coronavirus-presidente-do-rioonibus-afirma-que-transporte-coletivo-pode-parar-a-partir-de-sexta-no-rio-de-janeiro/

AJUDA DE MILITARES VAI SE ESTENDER A OUTROS MEIOS DE TRANSPORTE

Crivella acompanhou o início do trabalho de desinfecção dos meios de transporte público realizado pelos militares em apoio à Prefeitura, realizada nos vagões dos trens da Supervia.

Crivella firmou que a desinfecção dos meios de transporte de massa, feita pelos militares, irá também para os ônibus, e depois a estação do Metrô trabalhando de madrugada — assim como nas barcas e no VLT. “Esta foi uma solicitação que o secretário de Transportes e eu fizemos ao general Júlio Cesar Arruda, comandante militar do Leste”, afirmou o prefeito do Rio.

O general explicou que o serviço será feito fora do horário de funcionamento dos meios de transporte, para não prejudicar o público.

Essa desinfecção nos veículos e instalações usados por grande número de pessoas é feita fora do horário de funcionamento ao público por técnicos do Exército e da Marinha com essa expertise. É um trabalho complementar, porque a Comlurb já faz também esse serviço”, explicou Júlio Cesar de Almeida, comandante militar do Leste.

OUTRAS MEDIDAS DEFINIDAS PARA O SETOR DE TRANSPORTE DA CIDADE:

Multas – Fiscais da SMTR aplicaram até esta quinta-feira 95 multas por descumprimento das regras de combate à pandemia.

– Limitação da gratuidade para idosos nos ônibus municipais, para que só usem se precisarem se deslocar para obter atendimento médico. As viagens, que antes eram livres, passam a ter o limite de quatro por dia;

– Devido à suspensão temporária nos demais postos da SMTR, Recursos de Multas e Apresentação de Real Infrator só poderão ser enviados pelos Correios para a unidade de Botafogo: Rua Dona Mariana, 48. CEP: 22280-020;

– Serviços do BRT estão  suspensos durante a madrugada e estações com baixa procura ficarão fechadas. Desde quarta-feira (25), todas as estações do BRT não irão funcionar de 0h às 4h, tendo em vista que a procura de passageiros nas madrugadas já é muito reduzida. Esta é uma iniciativa da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Transportes, inteiramente alinhada com o BRT.

Além disso, 27 estações, com baixa demanda de passageiros, localizadas nos três corredores ficarão fechadas temporariamente, também a partir de quarta, a fim de evitar qualquer aglomeração. Desta forma, as ações de fiscalização para controlar o embarque dos passageiros, que só podem ser transportados sentados, serão aprimoradas.

As estações que ficarão fechadas, por corredor, são:

Transoeste – General Olímpio, Cajueiros, Vendas de Varanda, Embrapa, Dom Bosco, Recanto das Graças, Guiomar Novaes, Nova Barra, Benvindo Novaes, Guignard, Gelson Fonseca, Golfe Olímpico, Américas Park, Bosque da Barra, Paulo Malta Resende;

Transcarioca – Praça do Bandolim, Rec. das Palmeiras, André Rocha, Pinto Teles, Vila Queiroz, Marambaia, Vila Kosmos, Praça do Carmo e Ibiapina;

Transolímpica – Catedral do Recreio, Olof Palme e Minha Praia.– Criação de duas linhas temporárias de ônibus convencionais (Campo Grande x Alvorada e Santa Cruz x Alvorada), com o objetivo de aumentar a oferta de assentos no deslocamento entre os trechos, tendo em vista a determinação de que os passageiros devem ser transportados sentados. Os itinerários não terão paradas intermediárias e os ônibus vão circular paralelamente à pista do BRT
Transoeste;

– A Prefeitura do Rio autorizou os taxistas a informarem sobre o desconto de 40% nas viagens para os idosos que forem se vacinar contra a gripe. O informativo deve ficar no vidro lateral traseiro (lado direito ou esquerdo).

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta