CPTM espera acabar com comércio ambulante ainda neste ano

Informação foi divulgada em entrevista exclusiva à Rádio ABC e ao Diário do Transporte. Foto: Adamo Bazani.

Expectativa foi divulgada pelo presidente da Companhia, Pedro Moro

JESSICA MARQUES / ADAMO BAZANI

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) espera acabar com o comércio ambulante ainda neste ano.

A expectativa é do presidente da Companhia, Pedro Moro, e foi divulgada nesta segunda-feira, 03 de fevereiro de 2020, em entrevista exclusiva à Rádio ABC e ao Diário do Transporte.

“A viagem tem que ser a mais tranquila possível. As pessoas têm que entrar no trem com segurança e conforto para seguir sua viagem”, disse o presidente.

Para garantir o fim do comércio ambulante, a CPTM firmou contrato com a Polícia Militar do Estado de São Paulo para combater o comércio irregular nos trens e estações.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/02/22/cptm-vai-pedir-a-policia-militar-apoio-no-combate-ao-comercio-irregular/

Outra medida tomada para acabar com “shopping trem” na Região Metropolitana de São Paulo e ainda gerar receita para o governo foi a parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

As duas empresas realizam juntas um projeto para capacitar gratuitamente vendedores informais que atuam dentro das estações, plataformas e trens da Companhia.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/11/26/cptm-e-sebrae-fecham-parceria-para-capacitar-vendedores-informais/

Ao ser questionado sobre assaltos nas estações por um ouvinte, que mencionou ter presenciado um caso envolvendo um ambulante, Pedro Moro ressaltou a segurança que há nos trens e estações.

“A gente sempre enfatiza que as pessoas têm que tomar cuidado com seus pertences porque onde há aglomeração há sempre um risco muito grande de furtos, mas os indicadores da CPTM com relação à segurança estão entre os menores do mundo”, disse.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Priscila disse:

    Com o desemprego no Brasil que está no momento acho isso tanta covardia, já que o lucro das pessoas que vendem é irrelevante.
    Deviam tratar de fazerem um sistema onde nós não parecemos estar numa lata de sardinha, onde o abuso sexual é de extrema facilidade por essa situação, cada vez mais aumentando a passagem e os milhões arrecadados e cada vez mais miseráveis com o próximo, que triste!

    1. Roger disse:

      Sua visão e informações são completamente errôneas, o fato de existir uma crise não é motivo para cometer crimes. Existe mercadorias roubadas, receptores, crimes sexuais, desconfortos para pessoas. Não podemos pensar só nos ambulantes, que deverão exigir do estado outras opções e inclusive outras atitudes sociais como estudar, não terem filhos precoces, buscar outras alternativas de ocupação para que esse numero não cresça. As vezes no Brasil é difícil ser honesto, gentil, educado, cumpridor da lei, pois sempre tem alguém pregando pelo lado errado.

  2. Todos sem exceção quer uma viagem tranquila. Imagina vc tentando dar um cochilo e o cara aparece do nada gritando suas vendas, sem nenhum pudor,,,,transporte é pra transportar, e não fazer comércios. E como se não bastasse , se ao menos as pessoas que consomem dentro dos trens fossem mais educados, em não jogar na via, seria bem melhor…mas não! Priscila levamos anos para chegar à isso, essa ordem e disciplina, será que vc quer um trem da pior qualidade.??

  3. Rodrigo Zika! disse:

    São muitas coisas envolvidas, existem sim pessoas desempregadas que optam por vender nos trens ilegalmente infelizmente, porém existem quadrilhas que vivem apenas disso, e colocam ate mulheres pra fazer o serviço, e se tem quem consome continua vendendo, acho que você nunca pegou a linha 4 amarela, e uma paz que deveria ter nas demais, porém quem administra e o governo do estado todas as outras, ai já viu né, fora crianças que pais que não tem vergonha na cara colocam pra vender ou pedir coisas, e cantores que alguns ate acho legais.

  4. Alfredo disse:

    Uma baderna completa com a velha desculpa do desemprego, verdadeiro esquema mafioso que tem gente muito bem de vida atrás destes ambulantes, são agressivos e não respeitam ninguém, bem vinda a presença da PM

  5. Flávio Brito disse:

    Existe um decreto federal o 1832 no artigo 40, que proíbe o comércio ambulante em sistemas metroferroviários. Se existe lei, a mesma deve ser respeitada e ponto. Quem compra mercadoria de procedência duvidosa, contribui indiretamente. E quando as mercadorias são produto de roubo e furto, quem compra pratica o crime de receptação.

  6. Durvalino Silva disse:

    Mais na verdade, melhor na comprar mercadorias de procedência duvidosa,poderam estar vencidas, fazendo mal a saúde ou passar mal a CPTM,lavou as mãos.Cabe cada fazer seu papel uma viagem tranquila e com segurança.Pois têm alguns que estão levando,o seu pão para casa, outro comprando drogas para sustentar seu vícios,quem colabora São alguns usuários que ultiliza o sistema.Apesar que vender nos trens é irregular.

Deixe uma resposta