Prefeitura de São Paulo nega liberação de ônibus por aplicativo da Metra apreendidos pela SPTrans

Publicado em: 30 de outubro de 2019
Ubus

Empresa chegou a contratar jovens aprendizes para orientar passageiros sobre uso de tecnologia

Áreas técnicas e jurídicas da gestão Bruno Covas tinham dado pareceres favoráveis ao serviço e portaria autorizando já estava pronta, mas secretário Edson Caram não publicou

ADAMO BAZANI

A SMT – Secretaria de Mobilidade e Transportes da prefeitura de São Paulo negou o pedido de liberação dos ônibus metropolitanos de alto padrão operados pela Metra num sistema de solicitação de viagem e reserva de assentos pelo celular com o uso da plataforma tecnológica chamada U Bus.

O indeferimento do pedido, que tem como interessada a gerenciadora do Estado de São Paulo, da gestão João Doria, EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos foi publicado oficialmente nesta quarta-feira, 30 de outubro de 2019. Foi negado também o pedido de abstenção da fiscalização.

O serviço de ônibus por aplicativo entre São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e a região da Berrini, na zona Sul da capital, começou experimentalmente no dia 23 de setembro e foi apresentado oficialmente no evento Arena-ANTP, da Associação Nacional de Transportes Públicos, no dia 25 de setembro. O evento sobre inovação em mobilidade urbana teve a participação na abertura do secretário Edson Caram.

Nos dias 30 de setembro e 01º de outubro, porém, a secretaria de Mobilidade e Transportes começou a interromper os serviços dentro da capital.

A gestão do prefeito Bruno Covas passou a classificar o atendimento dos ônibus por aplicativos de clandestino, mesmo com a autorização da gestão do governador João Doria por meio da EMTU.

Ao menos três ônibus rodoviários foram recolhidos.

No site de processos da prefeitura, o Diário do Transporte verificou que a procuradoria do município deu parecer favorável ao serviço, chamado de MetraClass. Também houve aprovação de áreas técnicas da SPTrans – São Paulo Transporte e do DTP – Departamento de Transportes Públicos. A documentação mostra que a portaria já estava pronta, mas o secretário Edson Caram decidiu não publicá-la.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/10/04/exclusivo-documentos-da-gestao-bruno-covas-revelam-que-metra-recebeu-aval-para-operar-servico-de-onibus-por-aplicativo-em-sao-paulo/

Em entrevista ao Diário do Transporte, o secretário Edson Caram justificou a decisão de não autorizar pelo que classificou de necessidade de estudar os impactos dos serviços em corredores de ônibus.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/10/04/caram-diz-que-portaria-que-daria-aval-a-onibus-por-aplicativo-da-metra-nao-foi-assinada-e-que-secretaria-vai-estudar-impacto-em-corredores/

 

  

 

O SERVIÇO

O UBus começou a operar oficialmente na quarta-feira, 25 de setembro de 2019. O serviço faz a ligação entre São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e a Berrini, na zona Sul de São Paulo.

Desde segunda-feira, 23, antes do início das operações oficiais, já foram mais de três mil downloads do aplicativo para celular UBus, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/25/ubus-da-metra-tem-mais-de-3-mil-downloads-em-dois-dias-e-ja-transportou-750-passageiros/

A linha seletiva da Metra recebeu a nomenclatura 376E para operar no corredorentre São Bernardo do Campo e São Paulo.

Os ônibus foram programados para sair do Terminal Metropolitano São Bernardo e seguirem até a Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, com algumas paradas ao longo do percurso, determinadas pelas solicitações por meio do aplicativo. Durante a semana, o primeiro coletivo saiá às 5h e o último às 20h15, considerando partida do terminal do ABC Paulista.

O usuário pode baixar o aplicativo UBus gratuitamente, disponível nas versões Android e iOS. Para o cadastro, é preciso colocar dados pessoais e forma de pagamento preferencial.

Para utilizar o serviço, basta fazer a solicitação para o endereço desejado e colocar o ponto de partida. O aplicativo verifica a rota, dá as opções de reserva de assento, informa horário do embarque, mostra uma previsão do desembarque e o valor da passagem.

Os ônibus são do tipo rodoviário executivo, com poltronas reclináveis, mesas que podem ser utilizadas para apoio de notebooks, tomadas USB em cada poltrona, ar-condicionado, streaming (central multimídia) e sinal de Wi-Fi.

O pagamento da passagem é feito pelo aplicativo, com a possibilidade de uso de cartões de crédito ou do Cartão BOM, que é usado no sistema metropolitano convencional. Para a leitura do validador, é gerado no celular um Código QR Code.

Simultaneamente as informações aparecem para o motorista em um tablet que fica anexado ao painel do veículo. Assim, o profissional pode acompanhar todos os dados relacionados à viagem.

Os veículos possibilitam embarques e desembarques tanto pela direita como pela esquerda e são modelo Marcopolo Paradiso 1050, com 46 lugares, Mercedes-Benz O 500-R. Não há catracas e o UBus não terá serviço de bordo.

O transporte sob demanda tem sido uma alternativa encontrada pelas concessionárias de ônibus para tentarem reverter a queda no número de passageiros nos sistemas e atrair usuários que habitualmente não se deslocariam em coletivos comuns.

Entre as iniciativas já conhecidas, existe um projeto que a própria UBus possui no sistema de transporte público de São Bernardo do Campo, juntamente com a SBCTrans, concessionária da cidade. Neste caso, o serviço está em fase de testes.

Outra ferramenta nestes moldes é o CityBus 2.0, que já opera comercialmente em Goiânia, e foi criado por meio da concessionária HP Transportes.

Nos dois casos, porém, o transporte é feito por meio de vans e em vias comuns.

Em agosto, o Diário do Transporte esteve em Goiânia para conhecer os serviços do CityBus 2.0.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/08/26/video-servico-de-aplicativo-de-transporte-coletivo-sob-demanda-de-goiania-tem-atraido-usuarios-de-carros-e-pretende-ampliar-area-de-atuacao-e-frota/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Jonathan disse:

    Trata-se de uma gestão de políticos demagogos e retrógrados. O povo, como sempre, é o último beneficiário na cadeia de decisões desses crápulas burocráticos que sempre privilegiam seus monopólios. Lamentável.

  2. Alexandre Medeiros disse:

    Essa gestão desse secretário é um lixo prefere que as pessoas sejam transportadas que nem animais do que deixar um serviço de qualidade como esse

  3. Jeferson Silva disse:

    Poderia agora entrevistar o deputado Adilson Amadeu, ele que foi contra o serviço, tem vídeo dele na pagina do face contra o serviço.

  4. Rodrigo disse:

    Poderia criar esse ubus saindo de sao bernardo com destino ao aeroporto de guarulhos passando por santo andre

  5. Renato Vieira dos Santos disse:

    A força política da Tia so abrange o Abc paulista. Qis bater de frente com a Prefeitura de São Paulo e se deu mal. Agora aguenta o prejuízo.

  6. No meu ver, a decisão foi acertada, porque a malha viára ada cidade tem de haver controles. Os corredores foram feitos com linhas regulares, registradas de uso compartilhado mas com aprovação antecipada, como na Francisco Morato, por exemplo com a EMTU, do estado. E mesmo que esta Ubus fosse autorizada ela não teria direito aos corredores municipais, e também daria problemas em paradas irregulares atravancando o transito, como eram os fretados ali na Berrini e região… Portanto não é desculpas que estão tirando passageiros dos coletivos (o que ela está fazendo também, junto com Uber). Discurso de que os coletivos da capital são atrasados são daqueles que não souberam planejar suas viagens ao trabalho de forma a chegar no horário, como antigamente que saíamos cedo, sabendo antes dos problemas de trânsito na cidade. Hoje na verdade a coisa se avolumou, tanto em passageiros como de veiculos nas ruas empacando, retardando viagens a ponto da velocidade ser em média de 10 a 20km/h..isso não tinha antes. Vamos ver quem ganha.

    1. Nossa…que idiota….pelo jeito você nunca precisou sair ou ir à região da Berrini saindo do ABC de onibus….pois saberia que o transporte oferecido é um lixo; trólebus lotados e Urubupungá com ônibus sem ar condicionado e que demoram para passar….

Deixe uma resposta