Em 27º dia de greve na Viação São Roque, trabalhadores têm plano de saúde cortado

Publicado em: 17 de outubro de 2019

Os trabalhadores estão de braços cruzados desde 21 de setembro. Foto: Divulgação / Sindicato dos Rodoviários.

Sindicato informou que rodoviários também estão sem tíquete-refeição há dois meses

JESSICA MARQUES

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região informou, em nota, que o plano de saúde dos trabalhadores da Viação São Roque foi cortado na manhã desta quinta-feira, 17 de outubro de 2019, no 27º dia de greve.

A Viação São Roque, cujos funcionários estão em greve, é responsável pelo transporte intermunicipal de passageiros de São Roque, Alumínio, Mairinque e Ibiúna, na Região Metropolitana de Sorocaba, no estado de São Paulo. Os trabalhadores estão de braços cruzados desde 21 de setembro.

O sindicato informou que a empresa estava devendo ao plano de saúde e, quando a greve começou, firmou um acordo com a operadora do plano de saúde para parcelamento da dívida, mas deixou de honrar com o acordado na segunda parcela, o que teria provocado o corte no benefício nesta data.

“A Viação São Roque também não pagou o tíquete-refeição no dia 15 de outubro conforme tinha dito nas audiências de tentativa de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas. Com isso, os trabalhadores estão há dois meses sem receber esse direito essencial, que é a alimentação”, informou o sindicato, em nota.

De acordo com os rodoviários, o descumprimento do acordo firmado com o plano de saúde e o não pagamento do tíquete-refeição “legitima o posicionamento dos trabalhadores em não aceitar o parcelamento do pagamento das férias, da participação nos lucros e resultados (PLR), do tíquete-refeição, do FGTS e do INSS que estão em atraso, pois a empresa tem histórico de não honrar com os acordos assinados”.

“A Viação São Roque tem histórico de formalizar acordo e não cumprir. A categoria sabe disso e não confia mais na palavra da empresa. Por isso os trabalhadores não aceitaram a proposta de parcelamento dos atrasados, todos sabem que a empresa não irá pagar”, explicou o presidente do Sindicato dos Rodoviários Paulo João Estausia, Paulinho, em nota.

O Diário do Transporte não localizou representantes da empresa para comentar o ocorrido.

HISTÓRICO

A greve dos trabalhadores teve início no dia 21 de setembro. A paralisação ocorre para cobrar o pagamento do tíquete-refeição, das férias e da participação nos lucros e resultados (PLR) que estão em atraso.

A Viação São Roque possui 88 trabalhadores. O sindicato informou que, desde que a Viação São Roque conseguiu liminar na Justiça, os rodoviários estão cumprindo o determinado e mantêm em operação 70% da frota em horários de pico, das 5h às 8h e das 16h às 20h, e 50% nos demais horários, desde que os ônibus disponibilizados pela empresa estejam em condições de circular.

A terceira audiência de conciliação foi realizada em 10 de outubro de 2019, no Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região, em Campinas, no interior de São Paulo.

Segundo informações do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, a empresa não apresentou nova proposta de quitação da dívida trabalhista.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/10/10/sem-acordo-greve-na-viacao-sao-roque-continua/

OPERAÇÃO EMERGENCIAL

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região, representando os trabalhadores da Viação São Roque, publicou uma nota afirmando que “se outra empresa assumir linhas, terá que contratar trabalhadores”.

A afirmação foi feita pelo sindicato da categoria após a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) convocar a Rápido Luxo Campinas para operação emergencial na região.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/10/08/emtu-convoca-rapido-luxo-campinas-para-operar-emergencialmente-durante-greve-na-viacao-sao-roque/

Na ocasião, a EMTU solicitou que a empresa Rápido Luxo Campinas (RLC) colocasse oito veículos para complementar a operação do transporte intermunicipal entre São Roque e os municípios de Alumínio, Mairinque e Ibiúna durante a greve.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Eliana Budenberg disse:

    Que pouca, vergonha esses motoristas já ganham pouco e outra, ainda ter que aguentar sertos passageiros mal educado. Apesar de eu não ter carro eu uso ônibus, São Roque moro em mairinque. Aprovo essa greve. Essas pessoas donos da viação Tomem vergonha na cara e façam o que é Certo

Deixe uma resposta