Greve de ônibus em São Paulo: cidade amanhece com poucos coletivos nas ruas.

Publicado em: 6 de setembro de 2019

Motoristas protestaram nesta quinta-feira em frente à prefeitura.

Sindimotoristas promete mais manifestações em frente à prefeitura

ADAMO BAZANI/ ALEXANDRE PELEGI

A greve de motoristas e cobradores de ônibus continua no início da manhã desta sexta-feira, 06 de setembro de 2019.

O Diário do Transporte apurou que nas primeiras horas de operações, a quantidade de ônibus nas ruas está bem abaixo do que o normal para o horário.

A SPTrans informou às 05h30 que 70% da frota estava em circulação na cidade, cumprindo, portanto a decisão judicial. Todos os terminais estão operando normalmente.

Diante da falta de acordo entre trabalhadores, empresas e prefeitura ontem, a categoria decidiu manter a paralisação nesta sexta-feira. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/05/sao-paulo-tem-greve-de-onibus-a-partir-da-meia-noite-desta-sexta-feira/

A Justiça do Trabalho determinou a circulação de 70% dos ônibus na cidade de São Paulo nesta sexta-feira em horários de pico.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/05/justica-determina-circulacao-de-70-dos-onibus-em-sao-paulo-nesta-sexta-feira-nos-horarios-de-pico/

O sindicato informou que vai recolher os ônibus às 8 horas e rumar para a prefeitura em protesto como o de ontem à tarde, que afetou 17 terminais em toda a capital.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/05/manifestacoes-de-motoristas-e-cobradores-afetam-circulacao-de-onibus-em-terminais-de-sao-paulo/

O prefeito Bruno Covas afirmou em entrevista no fim da noite de ontem que as empresas devem pagar o PLR (Participação dos Lucros e Resultados) a seus funcionários e cumprir suas obrigações trabalhistas, uma vez que a prefeitura está com todos os pagamentos em dia.

Bruno Covas garantiu ainda que vai acompanhar o cumprimento da decisão judicial que exigiu frota mínima.

A categoria quer que o Executivo receba representantes do sindicato para discutir diversas questões relacionadas aos transportes, como corte de frota de ônibus, que segundo a categoria, pode resultar em demissões.

Os trabalhadores também querem uma posição mais concreta com relação ao futuro dos cobradores de ônibus no sistema.

A categoria espera ainda o pagamento da PLR. Neste caso, as viações se comprometeram a realizar o pagamento em até dez dias.

paralisação freente

RODÍZIO LIBERADO, REFORÇO NO METRÔ E CPTM

Por conta da greve, a prefeitura decidiu liberar o rodízio de veículos nesta sexta-feira, assim como as vagas de Zona Azul. A circulação de veículos nas faixas de ônibus, entretanto, estão proibidas. Veja abaixo a portaria da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes publicada no Diário Oficial desta sexta-feira, 06.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/05/apos-anuncio-de-greve-de-onibus-prefeitura-de-sao-paulo-suspende-rodizio-para-esta-sexta-feira/

As faixas reversíveis de trânsito não sofrerão mudanças no dia de hoje, e seguem a programação para o dia.  Está suspensa a Zona Máxima de Restrição a Fretados.

O secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, afirmou ontem que a operação meios de transporte sobre trilhos e ônibus intermunicipais será reforçada nesta sexta-feira, 06, para amenizar os efeitos da greve nos coletivos da capital paulista.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/05/baldy-afirma-que-operacoes-no-metro-cptm-e-emtu-serao-reforcadas-durante-greve-de-onibus-em-sao-paulo/

Alexandre Pelegi e Adamo Bazani, jornalistas especializados em transportes

Comentários

Deixe uma resposta