Posto de cobrador foi totalmente extinto em 33 cidades brasileiras

Publicado em: 14 de agosto de 2019

Cinco municípios eliminaram também o pagamento da tarifa em dinheiro. Foto: Divulgação / Prefeitura de Sorocaba.

Levantamento da NTU mostra ainda que 32 municípios eliminaram parcialmente a função

Dados podem ainda estar subestimados porque nem todos os sistemas responderam à entidade

JESSICA MARQUES

O posto de cobrador foi totalmente extinto em 33 cidades brasileiras. O dado foi divulgado pela NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos).

Os dados podem ainda estar subestimados porque nem todos os sistemas responderam à entidade

O levantamento mostra ainda que em cinco municípios o pagamento de tarifa em dinheiro também foi eliminado. Nestes casos, os passageiros têm que utilizar cartão ou bilhete para pagar a passagem.

Isso ocorre nos ônibus municipais de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul; em Joinville, Santa Catarina; Maringá, no Paraná; São José dos Pinhais, também no Paraná; e em Sorocaba, no interior de São Paulo.

No caso de Sorocaba, o posto de cobrador foi extinto na década de 1990. Na cidade, além do pagamento por meio de cartão, é possível passar pela catraca pagando a passagem por meio de bilhetes com QR Code (Quick Response Code: Código de Resposta Rápida na sigla em inglês) por meio de um smartphone.

Em Campo Grande, o posto de cobrador foi extinto em 2012, enquanto em Joinville, os profissionais não atuam no sistema desde 2001. Por sua vez, em Maringá o posto não existe desde 2005.

EXTINÇÃO PARCIAL DO POSTO DE COBRADOR

Além disso, 32 municípios eliminaram parcialmente o posto de cobrador, tanto em ônibus municipais quanto intermunicipais. Nesta lista, estão inclusas capitais como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Porto Alegre e Vitória.

Nesta semana, a retirada de cobradores do sistema de transporte foi o motivo para uma paralisação na Grande Vitória, no Espírito Santo. A greve teve início na segunda-feira, 12 de agosto de 2019, e foi encerrada na terça, após acordo entre as partes.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/08/13/rodoviarios-aceitam-acordo-e-greve-chega-ao-fim-na-grande-vitoria/

Confira, na íntegra, a lista de cidades brasileiras que não contam com o posto de cobrador, parcialmente ou na totalidade da frota:

NTU-BD-Cidades-sem-cobrador-v1.1-1.jpgNTU-BD Cidades sem cobrador v1.1-2NTU-BD Cidades sem cobrador v1.1-3NTU-BD-Cidades-sem-cobrador-v1.1-4.jpg

CAPITAL PAULISTA

Na capital paulista, o futuro dos cobradores ainda é incerto. Na última quinta-feira, 08 de agosto de 2019, foi realizada a segunda reunião da comissão que discute a atuação dos profissionais no sistema de transporte.

As empresas estudam os custos de programas de qualificação e a estruturação de um PDV – Programa de Demissão Voluntária.

No dia 02 de agosto, em entrevista exclusiva ao Diário do Transporte, o secretário municipal de Mobilidade e Transportes, Edson Caram, disse que a gestão não vai aceitar demissões.

Uma das alternativas para não demitir, mas ao mesmo tempo ir gradativamente implantando os ônibus sem cobradores, é não repor os profissionais que saírem, já que o nível de rotatividade de trabalhadores no setor de transportes é grande.

Para ler e ouvir, clique neste link:

https://diariodotransporte.com.br/2019/08/02/entrevistas-em-primeira-reuniao-de-comissao-sobre-cobradores-de-onibus-secretario-edson-caram-garante-que-profissionais-nao-vao-ser-demitidos-em-sao-paulo/

A SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora dos ônibus da capital, chegou a enviar por e-mail para as empresas de ônibus uma circular pela qual permitia que os veículos básicos ou padrons que fossem incluídos no sistema já viessem sem o posto do cobrador.

A circular causou revolta entre os trabalhadores. Após o anúncio de paralisação em todos os terminais pelo sindicato, a prefeitura recuou e o secretário Edson Caram revogou o ofício.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/07/30/gestao-bruno-covas-revoga-oficio-que-permitia-onibus-sem-cobrador-a-partir-de-02-de-setembro/

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Ernandes disse:

    É notório que a tecnologia vem aumentando o desafio da geração do emprego no mundo inteiro, algumas cidades para não causar mais desemprego mantém o cobrador, eu acredito muito que a função poderia ser melhorada como um atendimento de bordo, circulante em trechos e em diversos veículos, passando a ser um agente contribuinte para o bom andamento do serviço de ponta a ponta …

  2. Edson Profeta Ramos de Araujo disse:

    Não é possível saber quais os critérios utilizados pela NTU para montar esse quadro, mas estão faltando algumas cidades. Itanhaém, por exemplo, no litoral sul de SP, a função de cobrador foi extinta há muitos anos,

    1. Anderson Araújo disse:

      Na cidade de Taboão da Serra também já não há cobradores a muito tempo… As linhas municipais não contam com esse integrante a pelo menos 10 anos e , das linhas intermunicipais com origem na cidade, somente uma (190 – metrô Conceição / Jd. São Judas) ainda tem cobrador, mas em todos os cenários, há o pagamento em dinheiro.

  3. Busólogo disse:

    Concordo com a observação do leitor Edson Profeta, pois há muuuuitas outras cidades que não tem o posto do cobrador nos serviços de transporte urbano municipal, além de tantas outras que não tem a mesma função em linhas metropolitanas do tipo comum (que utiliza ônibus padrão urbano). Ex: somente na Região Metropolitana de Sorocaba: Votorantim, Salto de Pirapora, Mairinque, Alumínio, Tatui, Itapeva, S. Miguel Arcanjo, Piedade, Itapetininga, etc… Imagino quantas mais deve haver no Brasil todo, com certeza muito mais.

    1. blogpontodeonibus disse:

      Dados podem ainda estar subestimados porque nem todos os sistemas responderam à entidade

  4. Paulo Roberto disse:

    Eu Pediria a intervenção imediata em favor a volta dos cobradores em todas as cidades e Estado Brasileiro , peço que o STF entre com uma liminar pedindo a volta imediata desses trabalhadores ao mercado de trabalho

  5. Antônio disse:

    Garulhos São Paulo
    Também já está acabado os cobradores
    E também pelo visto vão mandar a maioria embora.

  6. Tenho a certeza que muitos cobradores já tem possibilidade de serem motoristas. Mas há muitas empresas que preferem a facilidade de demitir que recambiar para outra função,,Ou seja, mesmo que eles (parte fraca da corda), entrem em greve só vai piorar, é gritar no vácuo,,,,E o sindicato que deveria ajudar fica de fora, ao largo..pois sabem que poderão perder certas “regalias” Triste fim do cobrador…Eu fui um dia na EXPRESSO SANTA RITA

  7. SAIBAM COM CERTEZA, o condutor terá serviço dobrado, e nós não veremos aqui sequer, um aumento considerável em seus salários e sim aumento de estresse dele em casa

  8. Israel Carvalho dos Santos disse:

    Já vejo que sem os cobradores fica difícil, seria melhor colocar uma espécie de guia ou orientador de bordo em substituição, sobretudo para auxiliar passageiros passando informações, embarcando cadeirantes ou com necessidades especiais, sendo agente contribuinte. Quem teve essa ideia nunca dirigiu um ônibus na vida, ainda mais no trânsito caótico que nós temos.

  9. Emerson Saldanha disse:

    Campinas nao aceita pagamento em dinheiro ha algum tempo tambem

  10. Vagner disse:

    Várias vezes tive de acordar o cobrador para passar a catraca, quando não ficam falando no celular, esta profissão já devia ter acabado a muito tempo, só encarece o valor da tarifa.

  11. Rodrigo Zika! disse:

    No caso em SP capital primeiro precisa extinguir pagamento em dinheiro, pois isso e uma piada em lotações já por não terem mais cobradores, quanto a cobradores e algo inevitável acabar um dia, a prova são outros estados aqui e ate países vizinhos que não possuem mais, em SP só tem porque os prefeitos em décadas foram covardes, e os sindicatos tem interesses políticos, isso não e novidade, SP só tem essa discussão ate hoje pela incompetência de gestores que não implantaram uma tecnologia para facilitar pagamentos e recargas de BU, simples assim.

  12. Diego Leão disse:

    Adamo, Bauru também teve o posto do cobrador extinto, porém não relacionado no conteúdo disponível pela NTU.

  13. Ivan disse:

    Piracicaba e Valinhos também aboliram completamente a função de cobrador nos ônibus urbanos e não aparecem na pesquisa.

  14. Gilvan disse:

    Só em SP que ainda insistem nesse cargo quase inútil.

  15. Marcelo disse:

    Praia Grande e Santos também não tem cobrador há mais de 15 anos…

  16. Alfredo disse:

    Em Campinas, quando tinha cobrador, vi 5 moleques pular a catraca, perguntei ao cobrador porque não impediu, Ele respondeu que eram bandidos que moravam no final da linha e que o ameaçaram, imaginem o motorista sozinho, além disso a suposta economia vai direto pro bolso dos empresários, se engana quem acha que isso vai baratear a passagem, mais exploração nos motoristas e nenhum benefício para a sociedade, e mais desemprego

    1. Gilvan disse:

      Você disse claramente qual a função do cobrador, nenhuma, nem consegui impedir que as pessoas pulem a catraca ele consegue, fica la sentado o dia inteiro sem fazer nada e quando faz ainda faz com má vontade, pra isso que serve bilhete único

Deixe uma resposta