Bruno Covas critica medidas do presidente Jair Bolsonaro para o trânsito

Publicado em: 26 de junho de 2019

Entre as medidas do projeto de lei proposto pelo presidente, estão a mudança no limite de pontuação para suspender a CNH. Foto: Divulgação.

Prefeito de São Paulo participou do 3º fórum Segurança no Trânsito, Mobilidade e Inovação, promovido pela Folha.

JESSICA MARQUES

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, criticou nesta quarta-feira, 26 de junho de 2019, as propostas do presidente Jair Bolsonaro para alterar o Código de Trânsito Brasileiro. Covas participou da abertura do 3º fórum Segurança no Trânsito, Mobilidade e Inovação, promovido pela Folha.

“Não podemos admitir que, em nome da liberdade, uma série de conquistas e direitos sejam rediscutidos por conta de um princípio que não deveria estar acima da preservação da vida”, afirmou.

Entre as medidas do projeto de lei proposto pelo presidente, estão a mudança no limite de pontuação para suspender a CNH (Carteira Nacional de Habilitação), de 20 para 40 pontos, o aumento da validade do documento.

Entre as medidas, também estão o fim da obrigatoriedade da cadeirinha para crianças e do exame toxicológico para motoristas de caminhões e de ônibus.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/02/15/proposta-amplia-limite-de-pontos-em-cnh-e-isenta-motoristas-de-onibus-de-pontuacao-na-carteira/

Leia também: https://diariodotransporte.com.br/2019/02/09/bolsonaro-promete-acabar-com-simulador-e-aumentar-validade-da-cnh/

Em março deste ano, Bolsonaro anunciou ainda que negou o pedido de 8.000 novos radares eletrônicos. A justificativa é de que as concessionárias se beneficiam com a arrecadação de multa.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/03/29/bolsonaro-grava-video-com-promessas-para-caminhoneiros/

Segundo Covas, é papel do Estado garantir a preservação da vida da população, tendo como foco principal a segurança coletiva, e não as liberdades individuais Covas disse que o Plano de Segurança Viária 2019-2028 de São Paulo, intitulado de Vida Segura, tem como “bem maior a vida”.

Segundo o prefeito, o plano, apresentado em abril, foi discutido em 32 audiências públicas. “Quanto mais envolvemos a população, deixa de ser um projeto de um governo e passa a ser do município.”

Dentre as ações previstas, o prefeito citou à Folha a “implementação de áreas calmas, com redução de velocidade e maior proteção para pedestres, a requalificação de vias com altos índices de acidentes, campanhas de conscientização, a contratação de monitores para cruzamentos que tenham mais atropelamentos e a readequação do entorno de espaços escolares e do tempo de travessia de alguns cruzamentos”.

No total, a estimativa é que sejam destinados R$ 400 milhões à requalificação das calçadas entre os anos de 2019 e 2020.

PATINETES

Por fim, Covas citou a regulamentação provisória das patinetes em São Paulo. A estimativa é de que em meados de julho seja editado o decreto que vai regulamentar de forma permanente o uso das patinetes na cidade de São Paulo.

“O uso do viário é uma questão cara para a cidade. Foi preciso enfrentar esse desafio para que a gente não chegasse a uma situação como a de Nova York, que proibiu o uso desses veículos.”

O 3º fórum Segurança no Trânsito, Mobilidade e Inovação aconteceu no Instituto Tomie Othake, em São Paulo, e teve patrocínio da CCR e apoio da Plural (associação nacional de distribuidoras de combustíveis).

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. até agora, após 6 meses de governo, não vi nada palpável do governo federal….Presidente moleque. Na verdade SP, o estado, deveria ter suas próprias leis, já que é o estado mais avançado do País

  2. Rodrigo Zika! disse:

    Do que ele ta reclamando, só fez merda em SP, e nada útil pra população, um poste.

Deixe uma resposta