CPTM instala borrachão de proteção em plataforma da Estação Osasco

Publicado em: 19 de junho de 2019

A Companhia também informou que fará a instalação nas outras três plataformas da Estação Osasco. Foto: Divulgação. (Clique para ampliar)

Instalações estão sendo feitas em estações com maior movimento

JESSICA MARQUES

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou, em nota, que a plataforma 3 da Estação Osasco, na Linha 9-Esmeralda, recebeu um borrachão de proteção nesta quarta-feira, 19 de junho de 2019.

O borrachão diminui a distância entre o trem e a plataforma. A Companhia também informou que fará a instalação nas outras três plataformas da Estação Osasco, onde cerca de 60 mil passageiros embarcam diariamente.

Nesta primeira fase, o borrachão está sendo instalado em estações com maior movimento de passageiros, segundo a CPTM.

Atualmente, possuem o dispositivo as plataformas 1 e 4 da Estação da Luz e a plataforma 4 da Estação Brás.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/05/30/cptm-conclui-instalacao-de-borrachoes-de-protecao-em-plataforma-da-estacao-da-luz/

Até abril de 2020, mais 18 plataformas receberão o borrachão, conforme previsão da CPTM. Para as demais estações da Companhia, será feito um novo cronograma a partir do ano que vem.

“O espaço entre o vão e a plataforma existe em razão do compartilhamento das vias com os trens de carga, que são mais largos que as composições de passageiros. Os borrachões foram projetados para permitir também a passagem dos trens de carga. O desenho foi desenvolvido especialmente para as linhas da CPTM”, explicou a Companhia, em nota.

A CPTM lembra ainda que os passageiros devem respeitar as regras de segurança no embarque e desembarque em todas as estações, como aguardar o trem na plataforma sem ultrapassar a faixa amarela.

CONTRATO

A CPTM firmou um contrato de R$ 7,2 milhões para adequar o vão das plataformas de oito estações da rede: Brás e Tatuapé (Linha 11-Coral), São Miguel Paulista (Linha 12-Safira), Osasco (Linha 8-Diamante), Santo Amaro (Linha 9-Esmeralda), Luz e Barra Funda (Linha 7-Rubi) e Santo André (Linha 10-Turquesa).

A classificada foi a empresa Ina Representações e Serviços Técnicos Ltda. O contrato firmado em novembro de 2018 é de 18 meses e envolve fornecimento de mão de obra e materiais.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/11/01/cptm-firma-contrato-de-r-72-milhoes-para-adequar-o-vao-das-plataformas-em-oito-estacoes/

QUEDAS NO VÃO ENTRE O TREM E A PLATAFORMA

Em cinco anos, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) registrou 5,7 mil quedas no vão entre o trem e a plataforma. O número de acidentes foi obtido pelo Diário do Transporte via Lei de Acesso à Informação.

De 2017 para 2018, foi registrada queda de 24,3% no número de ocorrências, passando de 1.033 para 782 casos. Em 2016, 989 passageiros caíram no espaço entre o trem e a plataforma, enquanto em 2015 foram 871 quedas, em 2014 foram 953 e em 2013, ano com maior índice de acidentes, 1.081.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/05/15/em-cinco-anos-cptm-registra-57-mil-quedas-no-vao-entre-o-trem-e-a-plataforma/

TRENS DE CARGA

O espaço entre o vão e a plataforma se deve ao compartilhamento das vias da CPTM com os trens de carga, que são mais largos do que as composições de passageiros. A companhia ressaltou, em nota enviada ao Diário do Transporte no início do mês, que a implantação do Ferroanel permitirá a transferência dos trens de carga para uma via exclusiva, o que pode acabar com o problema.

O governador João Doria assinou, em 29 de janeiro de 2019, um protocolo de intenções entre o Governo do Estado de São Paulo e o Governo Federal para a construção do trecho Norte do Ferroanel.

O trecho Norte do Ferroanel está previsto para ligar Perus, na zona Norte de São Paulo, a Itaquaquecetuba, em um trajeto que compreende 53 quilômetros de trilhos, com investimentos no valor de R$ 3,5 bilhões.

Serão, ao todo, 12 quilômetros com 42 pontes e viadutos, 17 quilômetros de túneis e 23 quilômetros em terraplanagem.

O Ferroanel será usado para transporte de passageiros, de modo segregado ao transporte de cargas. A expectativa do Governo do Estado é de que mais de três milhões de pessoas sejam transportadas neste trecho. Após o início das obras, o trecho deve ficar pronto em 48 meses, também conforme a previsão do poder público.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    CPTM e nas estações Lapa e Presidente Altino; o fluxo de passageiros pode ser menor do que a estação de Osasco, mas me arrisco a dizer que os vãos nestas estações, são maiores do que a Osasco; principalmente com os trens CAF.

    Acelera CPMT, 60 anos para instalar esse borrachão ai é muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito tempo vocês não acham?

    Já sei o cachorro miou e o gato latiu.

    ACELERA CPTM

    E assim segue o Barsil.

    MUDA OU AFUNDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta