Em cinco anos, CPTM registra 5,7 mil quedas no vão entre o trem e a plataforma

Média do vão das estações da CPTM é de 18 centímetros. Foto: Adamo Bazani.

De 2017 para 2018, foi registrada queda de 24,3% no número de ocorrências

JESSICA MARQUES

Em cinco anos, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) registrou 5,7 mil quedas no vão entre o trem e a plataforma. O número de acidentes foi obtido pelo Diário do Transporte via Lei de Acesso à Informação.

De 2017 para 2018, foi registrada queda de 24,3% no número de ocorrências, passando de 1.033 para 782 casos. Em 2016, 989 passageiros caíram no espaço entre o trem e a plataforma, enquanto em 2015 foram 871 quedas, em 2014 foram 953 e em 2013, ano com maior índice de acidentes, 1.081.

Apesar de ainda terem sido registrados 782 casos em 2018, o ano passado foi o período com menor índice desse tipo de acidente nos últimos cinco anos.

Confira a variação no gráfico:

casos.jpg

Para evitar acidentes por conta do vão entre o trem e a plataforma, a CPTM informou, em nota ao Diário do Transporte, que está instalando borrachões de proteção nas plataformas e intensificou as orientações de segurança aos passageiros nas estações e redes sociais.

“Isso ajudou a diminuir o número de acidentes. De 2017 para 2018, houve uma queda de quase 25% no número de quedas no vão entre o trem e a plataforma. A CPTM segue no processo de instalação dos borrachões”, informou a companhia, em nota.

A CPTM informou ainda que, em casos de acidente, as equipes de estações e segurança são treinadas para prestar os primeiros socorros, acionar o resgaste, se necessário, ou encaminhar a vítima a um hospital.

Conforme já noticiado pelo Diário do Transporte, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) recomenda vãos de dez centímetros, mas a média das estações da CPTM é de 18 centímetros.

Na estação Aracaré, da Linha 12-Safira (Brás – Calmon Vianna), por exemplo, a distância entre trens e plataformas é de 46 centímetros, a maior da rede.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2017/08/10/cerca-de-mil-passageiros-se-machucam-por-ano-na-cptm-no-vao-entre-o-trem-e-plataforma/

CONTRATO

A CPTM firmou um contrato de R$ 7,2 milhões para adequar o vão das plataformas de oito estações da rede: Brás e Tatuapé (Linha 11-Coral), São Miguel Paulista (Linha 12-Safira), Osasco (Linha 8-Diamante), Santo Amaro (Linha 9-Esmeralda), Luz e Barra Funda (Linha 7-Rubi) e Santo André (Linha 10-Turquesa).

A classificada foi a empresa Ina Representações e Serviços Técnicos Ltda. O contrato firmado em novembro de 2018 é de 18 meses e envolve fornecimento de mão de obra e materiais.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2018/11/01/cptm-firma-contrato-de-r-72-milhoes-para-adequar-o-vao-das-plataformas-em-oito-estacoes/

TRENS DE CARGA

O espaço entre o vão e a plataforma se deve ao compartilhamento das vias da CPTM com os trens de carga, que são mais largos do que as composições de passageiros. A companhia ressaltou, em nota, que a implantação do Ferroanel permitirá a transferência dos trens de carga para uma via exclusiva, o que pode acabar com o problema.

O governador João Doria assinou, em 29 de janeiro de 2019, um protocolo de intenções entre o Governo do Estado de São Paulo e o Governo Federal para a construção do trecho Norte do Ferroanel.

O trecho Norte do Ferroanel está previsto para ligar Perus, na zona Norte de São Paulo, a Itaquaquecetuba, em um trajeto que compreende 53 quilômetros de trilhos, com investimentos no valor de R$ 3,5 bilhões.

Serão, ao todo, 12 quilômetros com 42 pontes e viadutos, 17 quilômetros de túneis e 23 quilômetros em terraplanagem.

O Ferroanel será usado para transporte de passageiros, de modo segregado ao transporte de cargas. A expectativa do Governo do Estado é de que mais de três milhões de pessoas sejam transportadas neste trecho. Após o início das obras, o trecho deve ficar pronto em 48 meses, também conforme a previsão do poder público.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

2 comentários em Em cinco anos, CPTM registra 5,7 mil quedas no vão entre o trem e a plataforma

  1. Peraí vou pegar uma cadeira..ISSO NUNCA VAI SAIR DO PAPEL…Dória é um enganador…FERROANEL não é para cargas?

  2. Amigos, boa noite.

    Não é só no vão, tem a altura também.

    Nas estações Osasco, Presidente Altino e Lapa com os trens da CAF é uma aberração da engenharia

    Eu já mandei para a CPTM e já postei aqui duas sugestões e nada fazem

    Esse problema existe há mais de 60 anos desde os tempos da Sorocabana; inclusive até minha mãe tinha um afundamento em uma das pernas em função de ter caído nesse vão.

    Apresentar esses gráficos é uma vergonha.

    Em 2019 e não fazer nada.

    Relacho.

    Ou só vai melhorar depois que instalarem os equipamentos de sinalziação que estão apodrecendo no pátreo.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: