Após Doria confirmar Trem Intercidades, Governo de SP projeta PPP para fim do ano incluindo Linha 7-Rubi

Publicado em: 1 de abril de 2019

A Concessionária Rumo Logística, que detém a concessão do trecho ferroviário por onde passará o TIC, terá de formalizar a cessão de uso dos trilhos para o transporte de passageiros. Foto: Divulgação

Secretaria dos Transportes Metropolitanos já havia confirmado ao Diário do Transporte que licitação seria viabilizada este ano, após definição da modelagem do negócio com o Governo Federal

ALEXANDRE PELEGI

O Trem Intercidades (TIC) deve sair do papel no estado de São Paulo. Esta pelo menos é a meta que consta em apresentação atribuída à STM – Secretaria de Transportes Metropolitanos obtida pela reportagem do Diário do Transporte.

O documento prevê a concessão, operação, manutenção e obras de requalificação da Linha 7-Rubi, que liga a estação da Luz a Jundiaí, e o Trem Intercidades.

Com prazo de 30 anos, a concessão estima investimentos de R$ 7 bilhões.

O projeto do TIC, designado como Serviço Expresso, partirá da estação Barra Funda com paradas em Jundiaí e Campinas, numa extensão de 102 km e tempo de viagem estimado em 60 min.

Já o projeto da Linha 7-Rubi incluirá um Serviço Parador, ligando as cidades de Valinhos, Vinhedo, Louveira e Jundiaí e integrando em Francisco Morato, com extensão de 65 km e 9 Paradas.

No caso do TIC Serviço Expresso, a demanda prevista é de 68,5 mil passageiros/dia.

No Serviço Parador da Linha 7 – Rubi, entre Luz e Jundiaí, com extensão de 60,5 Km e 18 estações no total, a demanda é de 442 mil passageiros/dia.

TIC_01_PPPTIC_02_PPP

RUMO CEDERÁ PASSAGEM

O governador João Doira reafirmou recentemente que o Estado lançará um chamamento público para o projeto ainda este ano.

A declaração, feita no interior paulista no dia 23 de março, passou um recado à Concessionária Rumo, que detém a concessão do trecho ferroviário em Americana e não teria se mostrado disposta a disponibilizar os trilhos para o transporte de passageiros. Doria afirmou que a “Rumo vai ter que tomar o rumo e vai seguir a mesma linha do governo”.

Logo na sequência, a Rumo divulgou nota em que afirma que já foi assinado um termo de compromisso entre a concessionária e o Governo do Estado de SP para utilização do trecho entre Campinas e Jundiaí. Segundo a nota, “o referido trecho tem pequeno tráfego de cargas e pode ser compartilhado”.

O secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, já afirmara em janeiro deste ano que o cronograma para o projeto deve ficar pronto até 10 de fevereiro. “Nosso desejo é lançar ainda neste ano o edital do chamamento público para que este projeto finalmente saia do papel”, disse Baldy em nota encaminhada ao Diário do Transporte. Relembre: Cronograma para Trem Intercidades, no estado de São Paulo, deve ficar pronto até fevereiro

No dia 15 de janeiro, o secretário Alexandre Baldy esteve reunido com membros do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), com o objetivo discutir alternativas técnico-financeiras para viabilizar o Trem Intercidades. Relembre: Secretaria dos Transportes Metropolitanos discute viabilização do Trem Intercidades com o BID

“Hoje o trajeto da estação Barra Funda, passando por Jundiaí, até Campinas, é o que está mais adiantado. Desejamos traçar um cronograma de ações até 10 de fevereiro, junto com o governo federal, para que consigamos publicar o edital de licitação ainda neste ano”, disse Baldy após o encontro com o BID.

As iniciativas de estudo para implantar o projeto já foram determinadas pelo secretário à CPTM, principalmente das intervenções necessárias entre Jundiaí e Americana.

“Buscaremos a modelagem mais rápida, mais eficiente e que ofereça um transporte de melhor qualidade com menor preço aos passageiros”, afirmou o secretário.

PARCERIAS COM CONCESSIONÁRIAS DE FERROVIAS

O governador João Doria tem procurado realizar parcerias com empresas que detém concessões de trechos ferroviários no estado.

No final de janeiro, o governador paulista anunciou, juntamente com o ministro da Infraestrutura, um acordo para viabilizar a construção do Ferroanel, obra que atenderá tanto o transporte de carga como o de passageiros.

Os investimento para a linha férrea de 53 km virão dos recursos provenientes da outorga de concessão ferroviária da MRS Logística, de R$ 3,5 bilhões, que serão investidos pelo Governo Federal. Eles só serão possíveis graças à antecipação da prorrogação do contrato com a MRS por mais 30 anos.

A obra permitirá finalmente que os trens de passageiros da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) deixem de compartilhar os trilhos com o transporte de carga. Com a obra pronta, a carga será transportada em via exclusiva. Relembre: Doria anuncia parceria com a União para construção do Ferroanel; obra atenderá transporte de carga e passageiros

Oficialmente, em nota, a STM diz que não reconhece o relatório, e que ainda não definiu as prioridades dos investimentos

A Secretaria de Transportes Metropolitanos desconhece o relatório divulgado sobre investimentos da pasta. Projetos e obras da Secretaria estão em fase de reconhecimento pela nova gestão para a definição de prioridades.”

O Diário do Transporte confirmou a existência do documento de intenções junto a fontes ligadas à pasta, que reiteraram que as estimativas são levadas em consideração, mas que não se tratam da versão final dos projetos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Raimundo de Carvalho disse:

    Que beleza , mais um esqueleto para o Estado de São Paulo. Deveria concluir os esqueletos existentes.

  2. Edson disse:

    E o interior, calmo fica?

  3. Horácio disse:

    Esperamos que essa promessa de novas opções de transporte não sejam meras conversas para alegrar a população, e efetivamente seja ampliada para mais destinos e concluída.

  4. Júlio César Prado Bianchi disse:

    Tenho saudade da linha que ia até Castilho divisa com MS… como. Ficará? Irá ser modelada de novo?

  5. Leonardo. disse:

    Para o trem Intercidades ter fluidez, terão que fazer vias separadas de BOA VISTA até AMERICANA para não compartilhar com os cargueiros. Se compartilhar não terão sucesso nesse projeto.

Deixe uma resposta