Com eliminação do pagamento em dinheiro nos ônibus, Campinas vê melhora da segurança no transporte

Publicado em: 25 de março de 2019

Foto: Marcelo Sousa de Miranda Júnior

Durante todo o mês de fevereiro, até a primeira quinzena de março, cidade não registrou nenhum caso de assalto no interior dos coletivos

ALEXANDRE PELEGI

Eliminar o dinheiro como forma de pagamento da tarifa do transporte coletivo tem trazido mais segurança aos usuários do sistema de transporte público coletivo de Campinas.

A afirmação é da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), responsável pelo trânsito e transporte coletivo da cidade.

Com a introdução do QR Code e o uso do Bilhete Único como formas exclusivas de pagamento, o número de assaltos no interior dos coletivos zerou. Durante todo o mês de fevereiro, até a primeira quinzena de março, não foi registrado nenhum caso, informa a Emdec.

Em comunicado, a empresa municipal conclui que, “como não há, nos ônibus, o pagamento em dinheiro, os usos do tíquete e dos cartões da família Bilhete Único impediram que o transporte público ficasse vulnerável aos assaltos”.

Esta é a posição de Carlos José Barreiro, secretário municipal de Transportes e presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), para quem “um dos benefícios incontestáveis da retirada do dinheiro dos ônibus foi a implantação do QR Code atrelada ao uso do Bilhete Único, possibilitando que não tivéssemos nenhum assalto desde fevereiro até hoje.”

O QR Code é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que armazena dados e caracteres. Ele tem a codificação da tarifa e pode ser usado pelos passageiros eventuais, substituindo o dinheiro. O bilhete com o QR Code tem custo de R$ 4,70 e não proporciona a integração. A validade é de 30 dias, contados a partir da data da emissão, sem possibilidade de reembolso.

QR CODE – EXTINÇÃO DO DINHEIRO

Desde o dia 19 de janeiro de 2019, os ônibus de Campinas não aceitam mais dinheiro nas catracas. Relembre: Campinas elimina pagamento em dinheiro nos ônibus a partir do dia 19 e promete lançar licitação até março

O pagamento só pode ser feito por meio do bilhete eletrônico dos transportes, que permite integração, ou por códigos bidimensionais (QR Code) impressos em um papel no momento da compra.

O tíquete QR Code, em papel, pode ser adquirido nos terminais de ônibus, Poupatempo Centro, Poupatempo Campinas Shopping, sede da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) e em cerca de 300 estabelecimentos credenciados, que podem ser consultados no site da Transurc.

O sistema QR Code (Quick Response Code, ou Código de Resposta Rápida na sigla em Inglês) é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que armazena dados e caracteres. O ticket terá a codificação da tarifa. Após comprar nos pontos de venda que estarão espalhados pela cidade, o passageiro validará seu código no interior do ônibus.

Também é possível adquirir o QR Code virtual pelo celular, pagando com cartão de crédito, com disponibilidade 24 horas por dia. Basta instalar o aplicativo Transurc Smart, disponível nos sistemas Android e iOS. Para liberar a catraca, o usuário deve aproximar o tíquete de papel ou o código gerado na tela do celular na base abaixo do validador.

Relembre: Transurc abre novos pontos de venda de QR Code e recarga de Bilhete Único em Campinas

Para mais informações, a população conta com o canal de atendimento da Transurc, pelo telefone 0800 014 02 04; e com o Fale Conosco Emdec 118.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Tiago disse:

    Em 2004 isso seria uma verdade. Porém, cada passageiro está carregando R$ 1000 na forma de smartphone. O dinheiro das passagem é dinheiro de pinga comparado ao valor dos telefones de 10 ou 20 vítimas. O sistema só ficou mais seguro para o dono da empresa. Os passageiros estão tão ou mais expostos, já que agora não dá mais pra roubar o dinheiro das passagens. Eles são o único alvo

  2. Marcos disse:

    Sim aqui na grande Sao Paulo inumeros arrastoes nos onibus…..sera que esaa empresa de Campinas fala a vdd msm …..que nao houve nenhum.assalto??

  3. Rodrigo Zika! disse:

    Fico abismado que aqui em SP Capital, ainda não tenha eliminado o dinheiro, absurdo.

Deixe uma resposta