Crivella nomeia comissão para analisar recurso interposto por Consórcios contra a intervenção no sistema BRT

Foto: captação imagem TV Globo

Impasse entre consórcio e prefeitura pode paralisar o serviço. Houve protesto de passageiros na manhã desta segunda-feira, 18

ALEXANDRE PELEGI

Uma Resolução da Secretaria Municipal de Transportes do Rio de Janeiro, publicada no Diário Oficial da cidade desta segunda-feira, 18 de março de 2019, designou a formação de uma comissão, composta por três funcionários, para analisar o Recurso Administrativo interposto pelos Consórcios Internorte, Transcarioca, Santa Cruz de Transportes e “Consórcio Operacional BRT”, face ao Decreto do prefeito Marcelo Crivella que declarou a intervenção no sistema.

Os servidores que comporão a Comissão – Lúcio Guimarães Soares, Michelle Quintieri Pinheiro e Luis Filipe Veillard Farias – terão prazo de 30 dias (prorrogáveis por igual período) para apresentar parecer conclusivo acerca da defesa apresentada pelas empresas concessionárias do serviço.

Relembre: Em ofícios sobre intervenção no BRT, prefeitura do Rio diz que Consórcios perderam a capacidade de operar o sistema

intervencao_BRT.png

Enquanto isso, o impasse entre as empresas que operam no BRT e a prefeitura agravou-se nos últimos dias.

No dia 13 de março, quarta passada, a prefeitura do Rio de Janeiro informou que as três concessionárias de ônibus que constituem o Consórcio BRT decidiram não reconhecer a decisão judicial que manteve o afastamento do executivo Jorge Dias da presidência do Consórcio.

A decisão, segundo a prefeitura, iria causar transtornos à operação do sistema. Isso porque, com a recusa dos empresários de ônibus a escolher um novo diretor, o interventor sustou os repasses do dinheiro das passagens. De acordo com o estatuto do Consórcio BRT, os repasses de dinheiro das passagens do sistema de ônibus às empresas responsáveis por fornecer os veículos (com o tanque cheio de combustível) só podem ser feitos pelo presidente e mais um diretor.

Relembre: Empresas de ônibus do Rio não reconhecem decisão da justiça que afastou presidente do Consórcio BRT

No dia seguinte, 14, o Consórcio BRT Rio publicou nota questionando medidas tomadas pelo interventor do sistema, Luiz Alfredo Salomão, nomeado pelo prefeito Marcelo Crivella em 29 de janeiro.

Entre principais críticas está ausência de resultados efetivos e de um cronograma de ações com prazos definidos.

Relembre: Consórcio BRT Rio questiona medidas de interventor

No mesmo dia, o interventor Luiz Alfredo Salomão, também por meio de nota, rebateu os questionamentos feitos pelo Consórcio BRT, afirmando que as empresas querem impedir que a intervenção coloque luz no funcionamento do sistema de distribuição do dinheiro das passagens do transporte.

Relembre: Interventor do BRT do Rio de Janeiro rebate questionamentos das empresas

Na manhã desta segunda-feira, por volta das 6h:00, segundo o Bom Dia Rio, da TV Globo, passageiros do BRT fizeram um protesto diante da possibilidade de o serviço parar. A manifestação aconteceu na altura da estação do Mato Alto, em Guaratiba, na Zona Oeste da cidade.

Dentre as reclamações dos manifestantes, segundo a TV Globo, foram feitas alusões à constante lotação dos ônibus (não há ônibus suficientes) e de que os veículos circulam com portas abertas, provocando problemas no ar-condicionado. Outra reclamação foi quanto à depredação de algumas estações, que obriga os usuários do sistema BRT a andarem muito até a estação mais próxima.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta