Urbs testa mudança no sistema de embarque e desembarque nas estações-tubo de Curitiba

Foto: prefeitura de Curitiba

Objetivo, segundo a autarquia, é melhorar a velocidade operacional dos ônibus ligeirinhos e evitar a ação de fura-catracas

ALEXANDRE PELEGI

Melhorar a velocidade operacional dos ônibus ligeirinhos e evitar a ação dos “fura-catracas”.

Com esses dois objetivos, a Urbs (Urbanização de Curitiba S/A) começou nesta segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019, as testar algumas mudanças no sistema de embarque e desembarque em nível dentro das estações-tubo.

Os testes estão sendo feitos em cinco estações da linha direta (ligeirinho) Centenário: Marechal Deodoro, Praça do Expedicionário, Jardim Botânico e Terminal Centenário. Fiscais da Urbs acompanharão os primeiros dias dos testes.

O ajuste, desenvolvido pela área de Tecnologia do Transporte da Urbs, elimina a rampa da porta dos veículos, aproximando mais os ônibus da plataforma de embarque e desembarque de passageiros. Para orientar o motorista no momento da chegada do ônibus na estação-tubo foi instalado um dispositivo na via.

Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs, explica as mudanças: “Para os testes foram retiradas as rampas dos ônibus, que vão parar mais encostados na porta da estação. Nossa intenção é que isso traga ganho de velocidade operacional para a linha, pois elimina o tempo para o encaixe das rampas”.

Um protótipo, feito para avaliação dos técnicos e operadores, entrou em teste hoje. Dependendo dos resultados, a Urbs levará os testes também para os biarticulados.

Certamente teremos menos custos com manutenção nesses modelos de ônibus se os ajustes forem aprovados pela população e também pelos motoristas”, disse o presidente da Urbs. Na frota de ônibus com embarque em nível, as rampas laterais dos veículos estão entre os itens que mais exigem manutenção.

Para evitar a ação dos fura-catracas, a Urbs também instalou um guarda-corpo vertical nas portas das estações-tubo, que funcionarão como barreira para evitar invasão. Essa é a segunda alteração no sistema implementado em 9 de janeiro. Relembre: “Empresa instala anteparos em estação-tubo de Curitiba para evitar que passageiros entrem em ônibus sem pagar

Os passageiros que pulam a catraca dos ônibus em Curitiba, no Paraná, geram prejuízo de R$ 6 milhões por ano. De acordo com uma pesquisa realizada pelas Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana, o valor anual equivale ao preço de cinco biarticulados novos.

Relembre: Passageiros que pulam catraca de ônibus em Curitiba geram prejuízo de R$ 6 milhões por ano

A pesquisa divulgada em junho de 2018 mostra que, em média, 3.995 pessoas por dia embarcam sem pagar a passagem na capital. O número foi levantado em março de 2018 e representa um aumento de 2% com relação a agosto de 2017, data em que foi feito o último levantamento, que resultou em uma média de 3.907 passageiros, conforme já noticiado pelo Diário do Transporte.

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou, em maio de 2016, uma lei contra os chamados “fura-catraca”, que são passageiros que entram nos ônibus sem pagar.

A multa prevista para esse ato é equivalente a 50 passagens (hoje, R$ 212,50), porém a lei ainda depende de regulamentação sobre a fiscalização, segundo informações das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

1 Trackback / Pingback

  1. Comissão de Intervenção do BRT do Rio derruba beiral em estação para evitar ação de caloteiros – Diário do Transporte

Deixe uma resposta