Justiça suspende decisão que proíbe Viação Cidade Verde de operar em Vitória da Conquista (BA)

Publicado em: 18 de dezembro de 2018

Viação Cidade Verde é a única empresa responsável pelo transporte coletivo do município. Foto: Diego Leão / Ônibus Brasil

Empresa é a única responsável pelo transporte público do município

JESSICA MARQUES

O Tribunal de Justiça da Bahia suspendeu nesta semana uma decisão que impedia a empresa Viação Cidade Verde de operar em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia.

Em maio deste ano, a Justiça havia determinado o cancelamento da licitação com a Viação Cidade Verde e a realização de uma nova concorrência pública após uma ação que apontou irregularidades na contratação da empresa.

Desde agosto, a Viação Cidade Verde, responsável pelas operações do lote 02 do sistema municipal de Vitória da Conquista, na Bahia, está assumindo o lote 01 que antes era operado pela Viação Vitória, que decretou falência.

Desta forma, a Viação Cidade Verde é a única empresa responsável pelo transporte coletivo do município.

No primeiro momento, o juiz de primeira instância de Vitória da Conquista determinou a nulidade do contrato e que o município realizasse uma nova licitação. O município publicou um decreto , formou uma comissão para preparar todos os estudos necessários para a realização dessa licitação. Nós apresentamos judicialmente um cronograma aonde seria publicado outros atos após essas preliminares para a realização desse processo licitatório, mas agora em dezembro nós fomos surpreendidos com a decisão do tribunal”, disse Jackson Yoshiura, coordenador de Trânsito e Transporte ao BATV.

A ampliação da operação da Viação Cidade Verde na cidade motivou a empresa a trazer mais veículos para operar no transporte coletivo do município, uma vez que a frota era composta por apenas 100 ônibus.

Relembre: Prefeito de Vitória da Conquista diz que em 20 dias Viação Cidade Verde vai operar todas as linhas da cidade

Uma nova licitação será aberta em fevereiro de 2019 para definir a empresa que será responsável pelo transporte público da cidade após o período de operação com a Viação Cidade Verde.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Muito sucinto o comunicado para distinguir quem é o “pirão” e o “pirado”…
    O universo do transporte coletivo urbano é bem animado. Lembro que
    em São Paulo, no século passado, um fiscal zeloso queria fiscalizar se
    os trens do metrô andavam com portas abertas. Zelo desnecessário:
    Com alguma porta aberta, o trem do metrô paulista não consegue andar.
    Lembrei-me da “piada infantil” do experimento de retirar pernas de uma
    aranha ao comando que ele andasse e, restando apenas uma pata, ela
    não andou mais: Conclusão: Aranha sem perna não escuta nada….
    Rogerio Belda

Deixe uma resposta