Aterro sanitário deve gerar energia para ônibus elétricos em Cascavel (PR)

Publicado em: 19 de outubro de 2018

Modelos de ônibus produzidos pela Eletra Foto: Adamo Bazani

Proposta foi apresentada pela “Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito”

ALEXANDRE PELEGI

Como o Diário do Transporte anunciou em 7 de outubro de 2018, a prefeitura de Cascavel, no Paraná, promoveu na quarta-feira, dia 17 de outubro, uma reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico Sustentável do município para discutir as vantagens da adoção do ônibus elétrico no sistema de transporte público local. Relembre:

Cascavel, no Paraná, organiza encontro para conhecer e avaliar modernas tecnologias de eletromobilidade

Participaram do encontro autoridades municipais, empresas de ônibus, IPC (Instituto de Planejamento de Cascavel), CETTRANS (Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito) e outros interessados. As informações são do jornal O Paraná.

Desde maio deste ano a CETTRANS vem conversando com a Eletra, do Grupo ABC, de São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, com vistas a realizar testes com modelos produzidos pela companhia. Relembre:

SBC pode fornecer ônibus elétricos para Cascavel, no Paraná

No encontro, o presidente da CETTRANS, Alsir Pelissaro, apresentou em conjunto com representantes da Eletra um projeto que teria como fonte geradora da eletricidade o biogás produzido pelo Aterro Sanitário da cidade. Segundo a prefeitura informa, a energia aí produzida seria suficiente para abastecer até dez ônibus.

No encontro dessa quarta-feira (17) discutiu-se também a mobilidade elétrica, tema abordado pelo engenheiro da Superintendência de Smart Grid e Projetos Especiais da Copel, Zeno Nadal.

Já o representante da Eletra, empresa do Grupo ABC, José Antônio do Nascimento, falou sobre as vantagens dos ônibus elétricos. Nascimento, que é gerente comercial e industrial da Eletra, explicou ainda que a vida útil dos ônibus movidos à eletricidade é maior, o que acaba compensando o custo na aquisição do veículo. Em resumo, as muitas vantagens oferecidas pela tecnologia elétrica tornam os ônibus mais vantajosos que os de motor a diesel.

O presidente da Acic (Associação Comercial e Industrial de Cascavel), Edson Vasconcelos, local que sediou o encontro, quer que Cascavel seja a primeira cidade do interior do Paraná a fazer a transição do combustível fóssil para a eletricidade. “Nós temos que ser exemplo para a região oeste e implantar essa tecnologia o quanto antes”, disse.

Outro que demonstrou entusiasmo pela mobilidade elétrica foi o vice-prefeito, Jorge Lange, que adiantou que a cidade quer testar o quanto antes um a dois ônibus elétricos nos novos corredores exclusivos, integrando-os à reestruturação do sistema. “Ainda não sabemos de que modo será isso, mas estamos em tratativas com os operadores, com fabricante de elétricos. Queremos ver se fazemos convênios, com Itaipu e Copel, por exemplo. Isso ainda é muito recente, mas queremos trazer essa tecnologia para Cascavel”.

TRANSPORTE EM CASCAVEL

O sistema de Transporte Coletivo de Cascavel, gerenciado e fiscalizado pela CETTRANS, é estruturado com uma frota de 154 ônibus, de duas empresas – Viação Capital do Oeste e a Empresa Pioneira. Juntas, elas operam 54 linhas, 3 terminais de transbordo e mais de 1.000 pontos (abrigos) de ônibus.

A frota é composta atualmente por 9 ônibus padron, 31 midiônibus e 114 ônibus comuns, todos adaptados com elevador para cadeira de rodas, ou seja,100% dos veículos com acessibilidade.

Alexander Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

Deixe uma resposta