Reunião de emergência no Planalto ainda não conseguiu chegar a proposta final para solução da crise com caminhoneiros

Temer e Pedro Parente, presidente da Petrobras. Foto ilustrativa

Ideia é que proposta sairia nesta tarde, mas nova reunião foi convocada para o início da noite

ALEXANDRE PELEGI

O presidente Michel Temer está reunido com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, que atuou como negociador de um acordo com os caminhoneiros juntamente com o governador de São Paulo, Márcio França.

Neste sábado, Marun e França avançaram em alguns itens da pauta de reivindicações de representantes do movimento. Relembre aqui: Caminhoneiros apresentam novas reivindicações ao Governo Federal para liberar completamente rodovias

Após retornar a Brasília na madrugada deste domingo, Marun se junto ao presidente Michel Temer numa reunião de emergência para avaliar saídas para a crise, que já dura sete dias. Participam da reunião, que se estende desde as 11h, os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha; do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, e da Segurança Pública, Raul Jungmann.

Um dos focos da reunião foi analisar a proposta articulada pelo ministro Marun e pelo governador paulista de prorrogar o preço fixo do óleo diesel durante 60 dias e não 30 dias, como o governo já aceitara inicialmente. Outro ponto é a garantia de que o desconto no diesel chegará aos postos.

A equipe econômica calcula o impacto das novas reivindicações sobre as contas públicas. O preço fixo do diesel por 30 dias custaria à União, em forma de subsídio à Petrobras, cerca de R$ 4,9 bilhões. Com a extensão do prazo para 60 dias esse valor está sendo recalculado.

Além dos ministros presentes à reunião deste domingo, estiveram diretamente envolvidos nas tratativas os seguintes ministérios: Justiça (Torquato Jardim); Transportes, Portos e Aviação Civil (Valter Casimiro) e a Advogacia-Geral da União (Grace Maria Fernandes Mendonça).

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal também acompanham as tratativas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta