Greve dos caminhoneiros: Paralisações continuam e frotas de ônibus com maior redução nesta sexta-feira – Em tempo real

No final da tarde de quinta, 24, ônibus e micro-ônibus de São Paulo voltaram a abastecer em postos comuns

ADAMO BAZANI/ALEXANDRE PELEGI/ JESSICA SILVA

Apesar do anúncio dos termos do acordo apresentados pelo Governo Federal junto aos caminhoneiros, ainda há bloqueios nas rodovias e vias urbanas.

Às 17h desta sexta, a Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros) publicou um comunicado oficial pedindo o fim das interdições nas rodovias. A associação mostrou preocupação com a segurança dos manifestantes e orientou que os protestos continuassem de forma pacífica, sem obstrução nas vias. Com isso, pode ser o fim da greve dos caminhoneiros.

Leia mais em: Associação Brasileira dos Caminhoneiros pede fim das interdições nas rodovias

Durante entrevista coletiva no início desta noite em Brasília, o ministro chefe da Casa Civiil, Eliseu Padilha disse que o presidente Michel Temer criou um decreto GLO – Garantia da Lei e da Ordem para desobstruir as rodovias.

A GLO terá prazo de 25 de maio a 04 de junho, mas se houver necessidade, pode ser renovada.

Por meio de decretos de requisição de bens, homens das forças federais de segurança poderão tomar caminhões, ônibus e outros veículos para liberar os bloqueios, inclusive dirigindo. Estes decretos ainda não foram publicados.

O Ministro Extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que o Governo designou equipes da Polícia Federal para investigar possível locaute na greve dos caminhoneiros.

“Já temos uma relação mais de duas dezenas de empresários que serão chamados a depor” – disse o ministro.

Locaute são greves e paralisações que ocorrem por iniciativa ou incentivo dos empresários.

Segundo Raul Jungmann, os empresários podem ser enquadrados nos seguintes crimes: Atentado contra segurança de serviço de utilidade pública, paralisação de trabalho de interesse coletivo, atentado contra a segurança do transporte, atentado contra a liberdade do trabalho, associação criminosa e incitação ao crime
Raul Jungmann disse, com base em dados da Polícia Rodoviária Federal , que de 938 obstruções em estradas e refinarias registradas nos quatro dias de greve, 519 permanecem. 419 pontos foram liberados.

Os serviços de ônibus urbanos, metropolitanos e até mesmo rodoviários operam com frota menor ainda nesta sexta-feira, 25 de maio de 2018.

Ao meio dia, segundo a SPTrans, 54% dos ônibus da cidade de São Paulo estavam em operação.

Pouco antes das 10h, a SPTrans informou que as empresas de ônibus foram autorizadas a operar com 40% da frota programada na cidade de São Paulo.

Apenas os trólebus estão com 100% da frota nas ruas, mas a cidade ao longo dos anos desativou as redes e hoje, dos 14,5 mil coletivos, somente 200 são trólebus.

Na faixa das 6h00, 61% da frota dos ônibus circulam em média.

Na faixa das 6h30, a média caiu para 59% da frota em circulação.

Às 7h00, frota caiu para 58% em circulação na capital paulista.

Na faixa das 8h00, a frota de ônibus subiu para 59% em operação.

Às 9h00, segundo balanço da SPTrans, 59% da frota escalada estavam em operação.

Em nota, o SPUrbanuss, sindicato que reúne as empresas do subsistema estrutural, garantiu que as companhias vão operar próximo do normal no final de semana.

No fim da tarde, algumas empresas de ônibus da Capital Paulista conseguiram aumentar suas reservas de óleo diesel nas garagens. A Polícia Militar foi acionada para fazer a escolta de caminhões e carretas até à distribuidora.

As empresas tiveram de fornecer os caminhões, sejam os próprios ou alugados, já que a distribuidora não liberou os veículos habituais.

Por volta de 19h, várias as empresas de ônibus de São Paulo já haviam conseguido abastecer suas garagens. No horário, faltando ainda TransWolff, da zona Sul, a mais prejudicada, que está carregando o seu caminhão. Algumas empresas estão tentando contratar caminhões particulares, para fazer o transporte do diesel.

Na zona Sul, a situação dos ônibus era mais crítica no início da manhã. Uma das empresas mais prejudicadas é a Tranwolff, do subsistema local da região.

A empresa anunciou a suspensão das operações por falta de diesel, confira a nota:

Com enorme esforço de todas as equipes técnicas e operacionais, as linhas de transporte coletivo da Transwolff mantiveram suas operações na zona sul da cidade até as 6h30 desta sexta-feira (25.maio), momento em que as atividades foram suspensas.
Em respeito às centenas de milhares de usuários que tanto dependem de nossos serviços, a diretoria e todas as equipes operacionais da Transwolff permanecem de prontidão e em contato permanente com as autoridades e fornecedores em busca de normalizar o abastecimento de diesel para seus ônibus.
Tão logo a situação seja equacionada, o que a Transwolff espera que ocorra nas próximas horas, as operações serão retomadas.
A Transwolff lamenta os transtornos aos seus usuários e à população em geral e agradece a compreensão de todos.

O rodízio municipal de veículos está suspenso.

O Metrô e a CPTM dizem que operam com toda a capacidade de atendimento durante o dia inteiro.

RODOVIÁRIOS: Os ônibus rodoviários que partem de terminais como Tietê, Barra Funda, Jabaquara e do TERSA, de Santo André, estão cancelando as viagens. A Expresso do Sul, para o Rio de Janeiro, remanejou partidas e a Itapemirim cancelou todas as viagens programadas para o Nordeste nesta manhã.

Por volta do meio dia, a administradora dos terminais Socicam divulgou as seguintes informações:

Até a manhã desta sexta-feira, 25 de maio, o Terminal Rodoviário Tietê registrou uma redução de 20% no número de partidas de ônibus, no Terminal Rodoviário Barra Funda esse número chegou a 40% e no Terminal Rodoviário Jabaquara houve 48% menos partidas em comparação a um dia normal.

GRANDE SÃO PAULO:

No ABC Paulista, segundo o sindicato das empresas da região, a situação de falta de abastecimento dos ônibus tende a se agravar.

Na cidade de Santo André, as empresas Viação Vaz, Viação Guaianazes, ETURSA e Parque das Nações operam com 65% da frota nesta sexta-feira. Já Suzantur e Urbana têm frota normal.

A SATrans informou, em nota, que as empresas de ônibus de Santo André continuam sem receber combustível na noite desta sexta. Neste final de semana, as empresas também vão operar com 65% da frota programada, assim como já ocorreu nesta sexta-feira, com exceção da Suzantur e da Urbana, que vão operar normalmente, tanto no sábado, quanto no domingo.

A Metra, do Corredor ABD, informou que reduziu a frota, mantendo agora os superaticulados de 23 metros na garagem. O corredor liga os bairros de São Mateus, na zona Leste de Capital, e Jabaquara, na zona Sul, passando por Santo André, Mauá, São Bernardo do Campo e Diadema.

Em São Bernardo do Campo, a concessionária municipal SBCTrans, informou que opera normalmente, assim como a Vipe – Viação Padre Eustáquio em São Caetano do Sul.

A Prefeitura de São Bernardo informou, em nota, que não decretou “estado de emergência ou calamidade. Informa que não acionou à Justiça e nem o Governo do Estado, diante das situações referentes a greve dos caminhoneiros”.

Em Ribeirão Pires, a Rigras, a empresa responsável pelo transporte público municipal, reduziu o número de veículos atendendo durante o dia para priorizar o atendimento da demanda nos horários de pico.

Em Diadema, a frota de ônibus está circulando com redução de veículos fora dos horários de pico (manhã e tarde), segundo informações da Prefeitura.

A EMTU informou em nota, por volta das 10h30, que a operação das linhas intermunicipais nas Regiões Metropolitanas do Estado nesta sexta-feira está comprometida em virtude da greve dos caminhoneiros autônomos.

Na Região Metropolitana de São Paulo, 68% da frota de ônibus das concessionárias e permissionárias estão em circulação no pico da tarde desta sexta-feira.  No período da manhã, a operação era realizada com 85% da frota. Nessa área operam normalmente cerca de 4.500 ônibus em 570 linhas que transportam em média 1,8 milhão de passageiros por dia.

 

A Viação Atual, que opera linhas intermunicipais, segundo a EMTU, somente opera com 45% da frota. A empresa atende a 65 mil passageiros por dia em 27 linhas.

Em média, na grande São Paulo, a circulação dos ônibus metropolitanos é de 80% a 90%.

Em suas redes sociais, a prefeitura de Caieiras, na Grande São Paulo, informou, de acordo com informativo da Viação Caieiras, concessionária do serviço de transporte coletivo no município, que nesta sexta-feira, a frota é reduzida com escalas semelhantes a sábado.

Já no sábado, 26, a operação seguirá os intervalos utilizados aos domingos e no domingo 27, a frota estará reduzida.

Há redução de frota confirmada nos sistemas de ônibus de Santo André, Cajamar, Cotia, Barueri.

INTERIOR DE SÃO PAULO:

Os ônibus vão circular somente nos horários de pico, até às 8h00 e das 17h00 às 20h00 em Sorocaba e não há ainda plano de operação para o final de semana . Em Sorocaba, os terminais de embarque e áreas de transferência fecharam às 8h. Perto de 180 mil usuários ficaram sem transporte. Ônibus devem voltar a circular somente às 17h.

A EMTU informou em nota emitida por volta das 10h30,  que os ônibus intermunicipais na Região Metropolitana de Sorocaba também está em operação 70% dos 170 ônibus que circulam diariamente distribuídos em torno de 80 linhas que transportam diariamente 50 mil usuários.

O prefeito de Sorocaba, José Crespo, decretou situação de emergência na tarde desta sexta. A Prefeitura solicitou que a venda de combustíveis seja feita prioritariamente para os serviços essenciais, incluindo transporte público.

Itu, Votorantim, São Roque e Mairinque com menos ônibus também.

Em Ribeirão Preto, os ônibus nesta sexta-feira, operam com apenas entre 60% e 70%

Em Campinas, são em torno de 50% da frota operacional, com filas nos principais terminais; ônibus circulam lotados.

As empresas de ônibus da cidade divulgaram nota por volta das 10h00 informando que há diesel suficiente para operações com 50% da frota somente até sábado.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp) informa que realizou reunião com as concessionárias, permissionárias e a Emdec, o órgão gestor do Sistema InterCamp.
E esclarece que, com base nos atuais níveis de estoque de óleo diesel, será possível manter os ônibus nas ruas de Campinas (redução de 50% na operação) durante todo o dia de hoje e também neste sábado.
O SetCamp e as concessionárias aguardam o fim do movimento grevista o mais breve possível para poderem voltar a operar de forma normal o serviço de transporte, tão essencial à população.

A EMTU, em nota, informou por volta das 10h30, que na Região Metropolitana de Campinas estão circulando 50% dos 500 ônibus que atendem 150 linhas e transportam 160 mil passageiros por dia. À tarde, ficaram circulando 89% dos ônibus.

Em Americana (SP), região metropolitana de Campinas, ônibus circulam com redução de 30% da frota, com reforço nos horários de pico.
Em Valinhos (SP), próximo a Campinas, a circulação dos ônibus é normal nos horários de pico. Entre 8h e 16h e após as 19h até o fim da noite, apenas 11 linhas circulam, equivalente a 20% da frota.

A Rápido Luxo Campinas, que atende as linhas para Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, Franco da Rocha, Cabreúva, Itupeva e Cajamar, reduziu em 50% a frota em circulação.

Em Jundiaí há redução de 40% na frota.

Em Limeira, 50% da frota de ônibus estão nas ruas nesta sexta-feira. O esquema deverá se repetir no sábado (26) e na segunda-feira (28). No domingo, os ônibus não circularão. A Viação Limeirense, concessionária do transporte coletivo, funciona hoje sob regime de intervenção.

Em São José dos Campos e São José do Rio Preto, a frota é reduzida entre os horários de pico.

Na Região Metropolitana do Vale do Paraíba/Litoral Norte, segundo a EMTU, às 10h30,  as permissionárias operam em média com 70% da frota. Nessa área circulam diariamente 350 ônibus distribuídos em 80 linhas que transportam cerca de 80 mil usuários.

LITORAL PAULISTA:

Segundo a EMTU, em nota por volta das 10h30, na Região Metropolitana da Baixada Santista 60% da frota está em operação. Nessa área circulam por dia 500 ônibus que operam cerca de 70 linhas e transportam 200 mil passageiros. A frota no pico da tarde foi de 60%, a mesma do pico da manhã.

Bertioga e Guarujá com apenas 60% da frota e Santos com 70% dos ônibus em operação.

É falso o comunicado que foi divulgado na tarde desta sexta, informando uma paralisação na Viação Piracicabana. Confira a nota oficial:

“A BR Mobilidade Baixada Santista informa que o comunicado que está circulando pelas redes sociais em nome da empresa, no qual declara a paralisação da operação dos ônibus, é falsa e não possui nenhum vínculo conosco. Aproveitamos para reforçar que todo e qualquer tipo de informação oficial será divulgada em nosso site (brmobilidadebs.com.br), além de informativos nos coletivos.”

RIO DE JANEIRO:

O sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro opera, na noite desta sexta-feira, 25 de maio, com 52% da frota total, conforme informações do Rio Ônibus.

O sindicato informou que “a quantidade de veículos nas ruas vem caindo com o avanço das manifestações. As empresas, porém, têm remanejado a frota, de forma a atender melhor à população nos horários de pico”. 

No início da tarde, em nota, o Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas da capital, informou que a frota até o final da manhã foi de 54% em operação e reafirmou o riso de paralisação dos serviços

O Rio Ônibus informa que sistema de transporte rodoviário de passageiros do município do Rio de Janeiro operou com 54% da frota até o fim da manhã desta sexta-feira, 25/5. Com as manifestações que vêm sendo promovidas em todo o país pelos caminhoneiros contra a política de preços de combustíveis adotada pela Petrobras, as empresas de ônibus estão sob o risco iminente de falta total de combustível.

As empresas consorciadas estão empenhando todos os esforços para que a população não seja prejudicada, chegando até a abastecer os coletivos em postos de gasolina comuns, em muitos casos, mesmo com o preço do óleo diesel superior ao habitual. Porém, os recursos estão cada vez mais escassos.

Caso a situação não seja normalizada o mais brevemente possível, há risco de paralisação total do sistema.

Em nota emitida por volta das 10h50, o sindicato das empresas de ônibus do Rio de Janeiro, Rio Ônibus informou que a situação de desabastecimento de diesel nas garagens se agravou nesta sexta-feira, 25 de maio de 2018, e que no início da manhã, somente 47% da frota estava em circulação. “As empresas consorciadas estão empenhando todos os esforços para que a população não seja prejudicada, chegando até a abastecer os coletivos em postos de gasolina comuns, em muitos casos, mesmo com o preço do óleo diesel superior ao habitual. Porém, os recursos estão cada vez mais escassos.  Caso a situação não seja normalizada o mais brevemente possível, há risco de paralisação total do sistema.” – diz a nota.

A Fetranspor, federação que representa as empresas do Estado do Rio de Janeiro, divulgou nota às 17h13 desta sexta-feira, informando que cerca de 50% da frota está em circulação no Estado , em média.

Segundo nota da entidade, as operações na próxima semana ainda preocupam.
“… as contingências estão se esgotando. O setor mostra-se preocupado em restabelecer o abastecimento de óleo diesel, para a retomada da operação regular na próxima semana, uma vez que os estoques nas garagens estão cada vez mais reduzidos”.

O sistema BRT começou a manhã operando com 43% da frota e 40 estações fechadas: 20 da Avenida Cesário de Melo, no corredor Transoeste, e 20 entre Madureira e o Fundão, na Transcarioca.

Em toda a cidade, 53% da frota de ônibus estavam em operação por volta das 9h00.

A SuperVia anunciou que não haverá operação de trens em duas extensões: Guapimirim e Vila Inhomirim, que são abastecidas com óleo diesel. A concessionária de trens urbanos do Rio programou para hoje a oferta de 2.103.600 lugares, em 942 viagens.
Mesmo com a trégua de dois dias anunciada nesta quinta-feira à noite pelo governador Pezão – com a redução da alíquota do ICMS do diesel para 12% no estado, igualando com o mesmo percentual de São Paulo — alguns motoristas não interromperam a paralisação

MINAS GERAIS:

Linhas de ônibus de Belo Horizonte circulam nesta sexta-feira com horários de domingos e feriados, o que significa redução de cerca de 45% no número de viagens.
BHTrans informou que as estações de integração Barreiro, Diamante e Pampulha, que não fazem integração com o metrô, serão reforçadas reforço nas linhas troncais.

A BHTrans divulgou uma nota no início da noite informando que a circulação dos ônibus neste sábado continuará com efetivo reduzido.

O sistema de transporte coletivo da capital mineira irá operar com horário correspondente ao de domingos e feriados, com reforço nos horários de maior demanda.

RIO GRANDE DO SUL:

Prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, decretou situação de emergência preventiva na cidade. Decisão tomada na noite desta quinta-feira (24) se deve ao desabastecimento ocasionado pela greve dos caminhoneiros. Medida foi publicada em edição extra do Diário Oficial. Segundo nota divulgada pela prefeitura, principais áreas afetadas pela falta de combustível são o transporte público e o recolhimento de lixo.

Os ônibus de Porto Alegre e Região Metropolitana operaram nesta sexta-feira com horários reduzidos, com a tabela de sábado na maior parte do dia, exceto em horários de pico.

No domingo, 27 de maio, não haverá circulação de ônibus em Porto Alegre. “A medida é necessária para garantir o transporte na próxima segunda-feira, 28. Na manhã de segunda-feira está garantido o atendimento, das 6h às 8h30, e uma nova reunião será realizada às 10h para avaliar a situação e definir a circulação no restante do dia” — informou a Prefeitura, em nota.

SANTA CATARINA:

Em Florianópolis, Consórcio Fênix emitiu nota informando que a partir desta sexta-feira a operação seguirá com quadro de horários de sábado para o sistema convencional e horário de dias úteis para os Amarelinhos (transporte executivo).
Criciúma e Itajaí, da Grande Florianópolis, operam parcialmente nesta sexta-feira. Sem detalhes dos itinerários atingidos, prefeito de Criciúma anunciou que a prefeitura vai diminuir a oferta de ônibus “significativamente, inclusive nos horários de pico”.
Prefeitura de Blumenau confirmou a suspensão total de horários de ônibus em alguns períodos desde esta quinta-feira. No domingo os ônibus não sairão da garagem.
São José, Palhoça e Biguaçu: ônibus funcionarão com restrições. Em São José apenas a linha do Diretão, que abrange a maior área de transporte local, estará em circulação. As demais linhas estão suspensas até o fim da greve.
Ônibus da Jotur, em Palhoça, operaram desde esta quinta-feira à tarde com horários de sábado, com reforço no período de pico.
A Biguaçu Transportes circula nesta sexta-feira com a tabela de sábado. Linhas intermunicipais também serão prejudicadas.
Itajaí voltou atrás e manteve a operação dos ônibus normalizada. Após informar o início do racionamento de combustível a partir de hoje, prefeitura diz agora que a empresa Transpiedade, responsável pelo transporte coletivo na cidade, manterá os serviços nesta sexta-feira (25) e durante o fim de semana.
Transporte rodoviário de Santa Catarina: Viação Catarinense emitiu comunicado afirmando que a frequência de algumas viagens poderá ser alterada ou reduzida.

A Expresso São Bento comunicou poe volta das 13h30 que foram normalizados os serviços entre São Bento do Sul, em Santa Catarina, e Curitiba, no Paraná, que nos últimos dois dias estavam prejudicados pela greve dos caminhoneiros. Os horários voltam ao habitual. A preocupação agora é com os estoques de combustível.

MATO GROSSO:

A Prefeitura de Cuiabá conseguiu liberação de cargas de combustível suficiente para manter a circulação dos ônibus até terça-feira. A frota foi reduzida pela metade.

Ao todo, foram duas cargas de diesel, contabilizando 80 mil litros de combustível.

BAHIA:

A frota de ônibus em Salvador já registrou redução nesta sexta-feira. De acordo com o secretário municipal de mobilidade (Semob), Fábio Mota, foi necessário diminuir a quantidade de ônibus em 20%. Fora do horário de pico, a redução pode chegar a 40%.

A previsão era de contingenciamento somente neste sábado,com 50% dos ônibus nos horários de pico e 40% nos outros períodos.

Mota disse que foi necessário antecipar a medida.

“Nós reduzimos para que os ônibus consigam rodar até a próxima terça-feira. Se as manifestações não acabarem vai ser difícil manter a frota na quarta-feira”, em entrevista à TV Record.

Segundo informações da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, a frota de ônibus do transporte público das cidades da região metropolitana de Salvador teve redução de 26%, nesta sexta.

No domingo o sistema funcionará com 30% da frota durante todo o dia, segundo decisão da Prefeitura. Na segunda e terça, a operação terá 80% da frota nos horários de pico e 40% nos outros horários. A frota da capital baiana é composta por 2,6 mil veículos. Medida vale enquanto durar a paralisação dos caminhoneiros.

Em comunicado distribuído à imprensa, a Viação Vitória, de Vitória da Conquista, informou que está operando com 43% da frota nesta sexta-feira, dia 25 de maio, ou seja, somente 32 ônibus. O comunicado afirma  que, caso a situação de desabastecimento persista até o final do dia de hoje, a frota para este sábado poderá ser reduzida ainda mais. A Viação Vitória informa ainda que está reduzindo o número de carros entre as 14h e 17h para reservar combustível para os horários de pico

PERNAMBUCO:

O Grande Recife Consórcio de Transporte informou que até às 8h apenas 50% da frota de ônibus estão em operação na capital e cidades vizinhas.

Em Caruaru, no Agreste do estado, os ônibus circulam com redução de 50% da frota nesta sexta-feira. A medida segue até a terça-feira, dia 29, e foi definida em acordo entre a Associação das Empresas de Transportes de Passageiros de Caruaru (AETPC) e Autarquia de Defesa Social, Trânsito e Transportes (Destra) da cidade.

A Linha Diesel do Metrô do Recife não funcionará neste sábado (26). A Companhia Brasileira de Trens Urbanos Recife (CBTU) informou que a medida é necessária devido ao baixo estoque de combustível. A linha Diesel compreende os ramais do Curado a Cajueiro Seco e de Cajueiro Seco ao Cabo, por onde circulam diariamente cerca de 5 mil usuários.

PIAUÍ:

A frota de ônibus em Teresina está operando com média 70% do habitual. As empresas dizem que não receberam diesel nas garagens.  As maiores reduções são programadas entre 9h às 11h e das 13h00 às 16h00.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina -Setut,  os 450 ônibus que operam na cidade, precisam de 1,65 milhão de litros de óleo diesel por mês.

RIO GRANDE DO NORTE:

Em Natal os ônibus circulam com frota reduzida em 70%.
O transporte público intermunicipal opera com 60% da frota, segundo informa o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do RN (Setrans/RN)

GOIÁS:

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) reduziu o número de ônibus em circulação na Grande Goiânia.
Os ônibus circulam hoje com a planilha de sábado, com redução de cerca de 15% na frota.
Para este sábado, dia 26 de maio, será adotada a planilha de domingo, com redução de 30% do número de ônibus .

AMAZONAS:

Em Manaus o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado (Sinetram) informa que apenas 60% da frota do transporte coletivo (880 ônibus) estão circulando nesta sexta-feira.
Acordo firmado entre o Sinetram e a prefeitura da cidade definiu uma tabela de operações, que envolve o funcionamento de algumas linhas.

O Sinetram (Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros do Amazonas) entrou em acordo com as lideranças do movimento dos caminhoneiros e vai conseguir liberação de combustível para o transporte público coletivo de Manaus.

ALAGOAS:

Na capital Maceió a frota de ônibus circula com corte de 10%. Ainda há combustível em postos da cidade.

A empresa Real Arapiraca, responsável pelo transporte urbano de passageiros em Arapiraca, no Agreste de Alagoas, reduziu a frota em 30%, nesta sexta.

DISTRITO FEDERAL:

O Governo do Distrito Federal reduziu a frota dos ônibus na manhã desta sexta-feira e, neste sábado, a frota vai operar com os horários equivalentes aos de domingo.

O governo conseguiu aproximadamente 40 mil litros de combustível para as empresas Pioneira (responsável por São Sebastião, Jardim Botânico, Paranoá, Lago Sul, Park Way, Santa Maria e Gama), Urbi (operadora no Recanto das Emas e Samambaia) e São José (encarregada por Brazlândia, Ceilândia, Taguatinga, Vicente Pires, SCIA e SIA).

Ainda assim, a redução mostrou-se necessária, segundo informações do governo. A expectativa é que o combustível dure até terça-feira, caso a greve continue.

PARAÍBA:

O transporte público de Campina Grande está operando com a frota de ônibus reduzida nesta sexta-feira. Do total de 200 veículos, apenas 110 estão circulando.
Na madrugada desta sexta-feira, na capital João Pessoa, motoristas de vans e motoboys bloquearam a saída de ônibus da empresa Transnacional, atrasando a saída dos veículos. A garagem já foi liberada, mas o transporte público continua operando com 75% da frota, sem previsão de redução para 50%, como cogitado anteriormente.

BALSAS EM SÃO PAULO:

A DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A informou em nota, por volta das 11h que, em razão da impossibilidade de abastecimento das embarcações em virtude da greve dos caminhoneiros, a Companhia decidiu colocar em prática medidas de economia de combustível a partir desta sexta-feira (25/5).

A Travessias Litorâneas administradas pela Companhia irão operar com capacidade reduzida, poupando alguns ferryboats para prolongar ao máximo o estoque de diesel. Além disso, as viagens ocorrerão com taxa máxima de ocupação nas embarcações.

A Companhia conta com a compreensão de todos e orienta que os usuários programem a viagem antecipadamente, buscando informações através dos canais oficiais: site http://www.dersa.sp.gov.br, Twitter @travessiasdersa e telefone 0800 7733 711.

ESTADO DE EMERGÊNCIA:

A prefeitura de Campinas, maior cidade do interior de São Paulo, decretou situação de emergência pública na noite desta quinta-feira, dia 24. Em nota a prefeitura afirma que a decisão foi tomada para “resguardar serviços que são plenamente essenciais, como coleta de lixo, transporte público, ambulâncias, entre outros, e para evitar colapso em áreas imprescindíveis para a população”.

Em Botucatu, cidade da região central do estado de SP, a prefeitura também decretou estado de emergência.

Já o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, suspendeu os serviços públicos e o uso da frota municipal de 300 veículos. Seguem operando apenas veículos de emergência, como bombeiros e Guarda Municipal. O transporte coletivo foi reduzido para horários dos domingos.

FORÇAS DE SEGURANÇA:

O presidente Michel Temer, em pronunciamento por volta das 13h, disse que vai convocar forças federais de segurança para desbloquear as estradas e pediu para governadores usarem as polícias também.

Temer afirmou que já há um acordo com os caminhoneiros que não está sendo cumprida por que chama de minoria.

O presidente chamou os motoristas que estão parados de radicais.

“Quem bloqueia, prejudica a todos, o País e será responsabilizado. O governo vai usar sua autoridade” – disse Temer.

Ontem o Governo Federal anunciou um acordo com representações de caminhoneiros, mas nem todas as associações concordaram e nesta sexta-feira, 25, os bloqueios permaneceram.

Os principais pontos oferecidos pelo governo Temer form:

– Zerar a CIDE sobre o diesel até o fim do ano

– Estender o desconto no preço do diesel de 10% de 15 dias para 30 dias. A União fará a compensação financeira para a Petrobras dos últimos 15 dias. Os primeiros serão assumidos pela estatal do petróleo.

– As mudanças de preços no diesel serão feitas a cada 30 dias, e não a cada flutuação do preço internacional do petróleo, como ocorre desde 3 de julho de 2017.

– O governo se comprometeu a não reonerar a folha de pagamento do setor de transportes de cargas.

O Governo Federal garante ainda que estas propostas não trarão prejuízo para a Petrobrás. Hoje as ações da estatal despencaram quase 15% após o anúncio de redução no preço do diesel. Com a queda, a Petrobras voltou a perder o posto de maior empresa brasileira de capital aberto em valor de mercado.

A proposta do Governo é que os caminhoneiros suspendam a greve por 15 dias. Após esse prazo, será feita uma nova reunião para verificar se as promessas foram cumpridas.

BLOQUEIOS:

SÃO PAULO:

Por volta das 13h desta sexta-feira, foram registrados bloqueios na Marginal Tietê, na altura do sambódromo. Há interdições nas pistas expressa, central e local.

Condutores de vans escolares se uniram ao protesto dos caminhoneiros em São Paulo e faziam por volta das 10h manifestações em cinco pontos da cidade, segundo a CET, três na zona sul e dois na zona norte. A PM segue os comboios que rumam para a região central da cidade.

Manifestação de vans escolares na rodovia Dutra, km 213 da pista local, sentido São Paulo, por volta das 7h30 desta sexta-feira. Veículos portavam faixas com dizeres “Chega de corrupção” e “Somos todos caminhoneiros”.

A Rodovia Raposo Tavares estava no início da manhã totalmente bloqueada no sentido de São Paulo por causa de uma manifestação no km 30.  Segundo o DER, há fogo em pneus na via. Trânsito congestionado desde o km 32. Há lentidão na pista sentido interior, entre os km 28 e 30.

Na Dutra, manifestantes continuam nos seguintes pontos no sentido SP: no km 52, em Lorena; no km 58, em Guaratinguetá; no km 92, em Pindamonhangaba; no km 130, em Caçapava e no km 159, em Jacareí.  No sentido Rio de Janeiro, da Dutra, as manifestações continuam no km 206, em Guarulhos; no km 186, em Santa Isabel; nos km 166, 162, 159 e 158, em Jacareí; no km 154, em São José dos Campos e no km 92, em Pindamonhangaba.

Pontos de bloqueio na Rodovia Régis Bittencourt: no km 280, nos dois sentidos, em Embu das Artes; no km 477, nos dois sentidos, em Jacupiranga; no km 386, em Miracatu, no acesso para a Rodovia Padre Manoel da Nóbrega.  Há bloqueio de duas faixas no km 72, entre Anchieta e Imigrantes, nos dois sentidos do Rodoanel.

Além disso, segundo a SPMar, caminhoneiros ainda estão nos acessos do Rodoanel para as rodovias Régis Bittencourt, Imigrantes e Anchieta.

Há bloqueio total do acesso ao Porto de Santos no km 64 da Rodovia Anchieta, sentido litoral, na chegada à Santos. Apenas o acesso está bloqueado; as demais faixas da rodovia estão liberadas nesse momento, segundo a Ecovias.  O acesso ao Porto de Santos pelo km 5 da Rodovia SP-248 – continuação da Rodovia Cônego Domenico Rangoni – no sentido do Guarujá também está bloqueado.

PARANÁ:

Nas rodovias estaduais do Paraná há 134 locais com protestos, segundo balanço da Polícia Rodoviária Estadual no início da manhã. A Polícia Rodoviária Federal apontava 69 protestos nas estradas federais, após atualização feita às 7h39.

A Rodoviária de Curitiba está com a frota de ônibus intermunicipais e interestaduais reduzida nesta sexta-feira, segundo a Urbs. A empresa informou que as partidas devem ser reduzidas de 350 para 200 nesta sexta-feira.

Em Foz do Iguaçu, os ônibus circulam apenas das 17h às 19h30 e retornam 23h nesta sexta. No sábado, o transporte coletivo vai operar das 5h às 7h30, das 11h às 13h, das 17h às 19h30 e retornará às 23 horas. A operação será encerrada meia-noite.

Em Cascavel, os ônibus rodam entre 6h e 8h30, depois voltam a circular das 11h30 às 14h, após esse horário, não haverá transporte coletivo. O sistema está previsto para voltar a operar somente às 6h de segunda-feira das 6h às 8h30, 11h30 às 14h e 17h às 19h.

SANTA CATARINA:

O número de trechos com caminhões paralisados cresceu de 100 na noite de quinta para 105 na manhã desta sexta-feira. São 50 bloqueios nas rodovias federais e 55 nas estradas estaduais, conforme informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar Rodoviária (PMRv).

TERMOS DO ACORDO:

Ontem à noite, o Governo Federal apresentou os termos para um acordo com caminhoneiros, mas nem todas as entidades que representam a categoria concordaram:

Governo anuncia acordo para fim da greve dos caminhoneiros com 10% de desconto no diesel por 30 dias e fim da Cide neste ano

Adamo Bazani, jornalistas especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    Vários postos de gasolina estão ou com filas enormes de carros, ou fechados por falta da gasolina, tenso, mais apoio a greve, o país esta no fundo do poço, trabalhamos pra sustentar político corrupto, vergonha.

  2. Luis Carlos disse:

    NOSSO PAÍS ESTÁ NAS MÃOS DOS POLÍTICOS. ELES ACABARAM COM O PAÍS. QUERO E DESEJO QUE TODOS: PRESIDENTE, VICE, SENADORES, DEPUTADOS, VEREADORES E TODA A CORJA SAIAM IMEDIATAMENTE DO CONGRESSO.DEIXEM QUE FAÇAMOS UM NOVO PAÍS, POIS DO JEITO QUE ESTÁ É MELHOR CADA UM POR SI.

  3. Luis Carlos disse:

    ESQUECI. OS SINDICALISTAS TAMBÉM. TODOS. SAIAM. SAIAM. MELHOR SEM VOCÊS

Deixe uma resposta