Justiça Federal do Rio de Janeiro concede liminar para liberar bloqueios de caminhoneiros

O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, assinam o contrato com os quatro consórcios vencedores da licitação para operar os ônibus municipais nos próximos 20 anos.Foto Beth Santos

Decisão inclui ordem para apoio das Forças Armadas

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

A Justiça Federal do Rio de Janeiro concedeu uma liminar para liberar os bloqueios feitos por caminhoneiros em protesto nas rodovias federais do estado. A decisão judicial inclui uma ordem para apoio das Forças Armadas.

Os bloqueios afetam diretamente o transporte público do Rio de Janeiro, por falta de combustível nos ônibus. O diesel não está chegando às garagens devido à paralisação.

A decisão da Justiça foi concedida após um pedido feito pela Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro). Segundo a federação, foi solicitada prioridade para transporte de produtos e para serviços essenciais.

Contudo, no entendimento da Justiça Federal, a liberação é urgente também para outros veículos. Caso haja descumprimento da medida, será aplicada multa ao sindicato responsável pela mobilização.

No documento, o juiz federal da 1ª Vara Federal Cível do RJ, Mauro Souza Marques da Costa Braga, determina que “seja liberada a passagem dos veículos utilizados pelas indústrias associadas aos Sindicatos Filiados à Firjan nas rodovias federais”.

Até o momento, não há decisão judicial que trate das rodovias estaduais.

TRANSPORTE PÚBLICO

O sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro opera, na noite desta sexta-feira, 25 de maio, com 52% da frota total, conforme informações do Rio Ônibus.

O sindicato informou que “a quantidade de veículos nas ruas vem caindo com o avanço das manifestações. As empresas, porém, têm remanejado a frota, de forma a atender melhor à população nos horários de pico”. 

No início da tarde, em nota, o Rio Ônibus, sindicato que representa as empresas da capital, informou que a frota até o final da manhã foi de 54% em operação e reafirmou o riso de paralisação dos serviços.

A Fetranspor, federação que representa as empresas do Estado do Rio de Janeiro, divulgou nota às 17h13 desta sexta-feira, informando que cerca de 50% da frota está em circulação no Estado , em média.

Segundo nota da entidade, as operações na próxima semana ainda preocupam.
“… as contingências estão se esgotando. O setor mostra-se preocupado em restabelecer o abastecimento de óleo diesel, para a retomada da operação regular na próxima semana, uma vez que os estoques nas garagens estão cada vez mais reduzidos”.

O sistema BRT começou a manhã operando com 43% da frota e 40 estações fechadas: 20 da Avenida Cesário de Melo, no corredor Transoeste, e 20 entre Madureira e o Fundão, na Transcarioca.

A SuperVia anunciou que não haverá operação de trens em duas extensões: Guapimirim e Vila Inhomirim, que são abastecidas com óleo diesel. A concessionária de trens urbanos do Rio programou para hoje a oferta de 2.103.600 lugares, em 942 viagens.

Mesmo com a trégua de dois dias anunciada nesta quinta-feira à noite pelo governador Pezão – com a redução da alíquota do ICMS do diesel para 12% no estado, igualando com o mesmo percentual de São Paulo — alguns motoristas não interromperam a paralisação.

Leia mais em Greve dos caminhoneiros: Paralisações continuam e frotas de ônibus com maior redução nesta sexta-feira – Em tempo real

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta