Exposição dos 70 anos da Cometa permite viagem no tempo e traz o clássico CMA Flecha Azul VII modernizado

CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR

Mostra foi realizada no Museu Catavento, em São Paulo, neste fim de semana

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Quem visitou o Museu Catavento, em São Paulo, neste fim de semana (28 e 29 de abril), teve a oportunidade de fazer uma verdadeira viagem no tempo e na história. A exposição sobre os 70 anos da Viação Cometa trouxe lembranças a quem ama pegar a estrada e aos entusiastas dos ônibus da empresa.

A grande estrela da mostra foi o clássico CMA Flecha Azul VII, Scania K113CL. Com um estilo norte-americano, o ônibus foi o primeiro do país a realizar viagens interestaduais. O cinza metálico, junto ao azul e bege, chamam de longe a atenção de quem está entrando no museu.

O ônibus foi modernizado pela Cometa e, além de ter o design clássico, agora conta com ar-condicionado, Wi-Fi e poltronas modernas.

O Flecha Azul começou a ser produzido em 1983 e foi até o Flecha Azul VII. O modelo foi um ícone das estradas nas décadas de 60 e 70. O modelo rodou por 30 anos até se aposentar oficialmente. Após tanto tempo transportando passageiros, o ônibus da Cometa tornou-se uma estrela. Segundo informações da empresa, o veículo agora participa de eventos, seriados e outros programas de televisão.

O design convidativo aguça a curiosidade para saber um pouco mais sobre a história da Viação Cometa. Itens da mostra trazem nostalgia a quem gostava de viajar desde o início da operação da empresa.

O Diário do Transporte foi conferir a exposição de perto e diversos itens chamam a atenção. O mais simbólico é a passagem antiga entre São Paulo e o Rio de Janeiro. Na década de 50, o valor do trajeto por passageiro era de 160 cruzeiros.

IMG_20180428_142202628.jpg

Ver o uniforme, o quepe e até mesmo a boina da chamada “rodomoça” (comissária de bordo das viagens) trouxe boas lembranças ao passageiro Maurílio Borges, 68 anos, que foi ao museu apenas para conhecer a exposição.

“Conheço a Cometa deste 1967, quando viajei pela primeira vez. Uma das viagens que fiz de Belo Horizonte para São Paulo. Depois viajei muito de São Paulo para Curitiba e agora sempre estou viajando nela para Santos, Praia Grande…” – disse.

“Daquela época para cá mudou demais. E a lembrança dos ônibus que a gente tinha antigamente, o antigo Diplomata, Flecha Azul, viajamos muito nele. Agora ele está diferente, tudo novo, superconfortável” – ressaltou Borges.

A esposa de Borges também quis ver de perto a exposição para conhecer a história da empresa que ajudou a família a manter-se próxima. “Minha sogra, quando vinha nos visitar, vinha sempre de Cometa. A paixão dela era a Cometa. Ela fazia de Belo Horizonte a São Paulo. Ela já fazia questão de viajar nessa empresa” – lembrou Neuza Maria Borges, 66 anos, dona de casa.

4657d957-6304-410f-8aff-d9d57e3c7067

Exposição ficou disponível neste sábado (28) e domingo (29), no Museu Catavento

VIAGENS COM O FLECHA

Para comemorar os 70 anos da Cometa, a empresa disponibilizará viagens para 70 destinos a bordo do CMA Flecha Azul VII totalmente remodelado, com ar-condicionado, Wi-Fi e interior modernizado.

As viagens serão feitas entre os dias 01 de maio e 12 de junho. “O Flecha vai percorrer vários trajetos, saindo de São Paulo, Campinas, Rio de janeiro, Belo Horizonte, Franca, São José do Rio Preto, Poços de Caldas, Curitiba, entre outros” – informou a Cometa. Todos os destinos e horários podem ser acessados no site: http://www.viacaocometa.com.br/viagem-flecha.

MINIATURAS

A mostra também teve uma atração a mais para os entusiastas dos transportes rodoviários. Estavam expostas miniaturas dos ônibus Twin Coach (1948), Morubixaba (1954), Dinossauro (1972), Flecha Azul (1984) e Estrelão (2000).

Veja as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Flecha Azul VII que estava no local chamou a atenção por ser um modelo que une características marcantes do “antes e depois”: A modernidade dos componentes tecnológicos, o conforto das poltronas no interior e o clássico design marcante.

Foi exatamente isso o que chamou a atenção do funcionário público Júlio Bernardes, 40 anos. “Esse modelo prova que são ônibus bem vistosos. Esse aqui, inclusive, modernizaram. Colocaram ar-condicionado, é uma coisa recente. Imagina um desses com ar, não ia ter para ninguém” – brincou. O ônibus também tinha o aviso de que conta com a tecnologia Wi-Fi, para unir o moderno ao clássico.

“Eu vim aqui por causa da mostra da Cometa, para ver esse ônibus. O serviço deles é muito bom, mesmo operando com outra marca entre Rio e São Paulo, é o meu trajeto preferido e o que mais utilizo” – contou Bernardes.

O funcionário público considera-se um busólogo, nome dado a um especialista e admirador de ônibus. Os modelos preferidos de Bernardes são o Flecha e o Dinossauro, por conta do estilo semelhante aos ônibus antigos dos Estados Unidos.

O primeiro modelo Dinossauro surgiu em 1972 sobre chassi Scania BR 115, no Salão do Automóvel. O Flecha foi um “Dinossauro” feito pela Cometa, que se inspirou no design para criar um dos modelos mais admirados da empresa.

Relembre: HISTÓRIA – Ônibus Dinossauros e Flechas: a evolução dos transportes

O motorista de van Adilson José da Silva, 41 anos, considerou-se sortudo por estar levando um grupo de visitantes ao museu bem no dia da mostra. O ônibus preferido da Cometa também é o Flecha, pelo design e conservação do veículo.

“Meu pai trabalhou por quatro anos e meio na Cometa. Fazia a linha de São Paulo para Belo Horizonte. Eu já trabalhei como motorista de ônibus na Breda e agora trabalho com van, mas sou apaixonado por ônibus. A gente tem o kit da empresa em casa, com o quepe, a gravata, o uniforme, tudo o que tem aqui. Apesar de ele ser aposentado, ele ainda exerce a função” – contou o motorista.

A história da ferrovia e da rodovia se encontram no Museu Catavento, na região do Parque Dom Pedro II, em São Paulo, com a exposição permanente ferroviária juntamente com a exposição sobre os 70 anos da Viação Cometa, uma das mais tradicionais empesas de ônibus do País, que mais uma vez, mostrou seu clássico CMA Flecha Azul VII, Scania K113CL

HISTÓRIA

A Cometa integra o Grupo JCA, fundado nos anos 90, que atua no transporte rodoviário de passageiros com diversas empresas. Entre elas, a própria Cometa, a Auto Viação 1001 e a Catarinense. A trajetória das três é retratada na exposição.

A história do grupo começa em 1928, quando foi criada a “Empreza Auto Viação Catarinense”, primeira de transporte de passageiros do Brasil. A linha inaugural fez o itinerário de Blumenau a Florianópolis.

Veja a cronologia dos fatos, conforme a linha do tempo colocada na área de exibição dos materiais históricos da Cometa:

  • Em 1937, Tito Mascioli criou uma linha de ônibus para ajudar o cunhado, Dr. Arthur Brandi, a lotear a região do Jabaquara, bairro de São Paulo. Junto ao irmão Jelson da Costa Antunes, foram dados os primeiros passos para a criação do JCA.
  • Em 1947, Tito comprou a Auto Viação São Paulo – Santos SA. “Em 17 de fevereiro de 1948, a empresa passou a se chamar Auto Viação São Paulo-Santos S.A. e em 07 de maio de 1948 teve sua denominação alterada para Viação Cometa S.A” – informou a Cometa, em nota.
  • Em 1951, foi criada a primeira linha interestadual, de São Paulo para o Rio de Janeiro, operada pela Cometa. Em 1968, porém, Jelson da Costa decidiu comprar a 1001.
  • Em 1988, as modernizações começaram. Foi inaugurada a primeira Sala VIP em uma rodoviária e uma frota de ônibus articulados, com capacidade para 150 passageiros por veículo. Nos anos 90, foi disponibilizada a opção de compras de passagens por telefone e, em 2013, em plena era digital, é possível acessar o recurso por meio de um aplicativo para Android e iOS.

COMETA NOS DIAS DE HOJE

A Cometa hoje opera em mais de 140 destinos em quatro Estados diferentes, com uma frota que conta com mais de 600 ônibus, desde os convencionais, até os executivos, semi-leito, leito e leito-cama.

As principais novidades da empresa são a sala VIP em algumas rodoviária, ônibus com poltronas reclináveis 180 graus, Wi-Fi a bordo, entrada individual para USB nas poltronas e ar condicionado com controle de intensidade individual. A empresa também atua no transporte de encomendas.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. orlando silva disse:

    Meu primeiro passeio foi aos 5 anos para Santos, num COMETA CIFERAL, saindo da Pç Clóvis Bevilacqua,,com minha saudosa mãe….

  2. nelson alves de oliveira disse:

    como eu faço para proporcionar uma viagem dessa no onibus da cometa,isso é para meu pai

Deixe uma resposta