Governo do Estado entrega Estação Moema e cogita romper contrato com Bombardier por porta-plataforma

Representantes do Consórcio ViaMobilidade (CCR e Grupo Ruas) entregam cheque com a primeira parcela da outorga. Concessão foi assinada hoje

Empresa foi multada em R$ 48 milhões por atrasos na instalação

REPORTAGEM: ADAMO BAZANI

REDAÇÃO: JESSICA SILVA

O Governo do Estado de São Paulo entregou nesta semana mais uma estação do sistema metroferroviário. Desta vez, foi a estação Moema da linha 5-Lilás do Metrô, que foi inaugurada sem as portas-plataforma nesta quinta-feira, 5 de abril de 2018.

Por cerca de um mês, para testes, a estação vai funcionar de segunda a sábado, das 10h às 15h. O embarque será gratuito, mas a partir da estação Eucaliptos o passageiro terá de embarcar em um outro trem, pagando a tarifa. No sentido inverso, o passageiro desce da estação Eucaliptos e pode seguir viagem para Moema, fazendo a transferência gratuita.

Após um mês, o funcionamento será ampliado para a operação comercial, que será das 4h40 à meia-noite. A tarifa vigente é de R$ 4.

Na oportunidade, o Governo do Estado de São Paulo também assinou o contrato de concessão com o grupo Via Mobilidade, Consórcio formado pela CCR e Grupo Ruas Invest, este ligado a empresas e encarroçadoras de ônibus em São Paulo.

O contrato de concessão é de 20 anos e deve render neste período, entre receitas tarifárias e não tarifárias, R$ 10,8 bilhões. Nesta quinta, o grupo Via Mobilidade depositou a primeira parcela de R$ 554,62 milhões.

A exigência de investimentos é em torno de R$ 3 bilhões, entre trens, equipamentos e modernizações de estações, por exemplo.

RELEMBRE: CCR e Grupo Ruas ganham concessão das linhas 5 de metrô e 17 de monotrilho

Governo não descarta rompimento de contrato com Bombardier

A estação Moema foi entregue sem as portas-plataformas, que fazem a proteção dos passageiros que aguardam a composição. De acordo com o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, todas as estações dessa segunda etapa de inauguração deveriam já ter sido entregues com o equipamento de segurança.

Pelissioni diz que, se a empresa Bombardier, responsável pela instalação dessas portas, não cumprir novo cronograma, poderá ter o contrato rescindido.

O secretário também afirmou que, em relação às estações da primeira fase da linha 5-Lilás, a partir de Capão Redondo até Adolfo Pinheiro, a Bombadier deveria ter entregue as portas-plataformas de cada uma das estações até 2014, o que não ocorreu. Por causa disso, a empresa já foi multada em R$ 48 milhões.

“As portas de plataforma estão incluídas no contrato com a Bombardier. Nós já temos quase R$ 50 milhões de multas aplicadas por atrasos nas portas de plataforma. Estamos cobrando toda semana, todos os meses, um cronograma para a implantação delas. Em dezembro, termina todo o trabalho de sistema de sinalização com a Bombardier. Se em dezembro não estiver com o novo cronograma e instalado novas portas de plataforma, vamos ter que rescindir o contrato e fazer um novo para poder instalar. Nós temos informação de que em Chácara Klabin e Santa Cruz nós poderemos ter as portas de plataforma por um subfornecedor da Bombardier. O que nós temos feito é cobrado e multado, cobrado e multado” — disse Pelissioni.

“No trecho que já estava pronto, [o prazo] era 2014 até o Largo Treze. Nas estações que estamos concluindo, era para entregar com a porta de plataforma. Só Brooklin está concluindo a instalação. Das novas, Adolfo Pinheiro foi instalado e Brooklin, portanto temos só duas no sistema inteiro. Provavelmente teremos na Chácara Klabin e Santa Cruz” — afirmou também o secretário.

Estacao_Moema

Estação Moema tem 10,9 mil metros quadrados de área construída, com 23,3 metros de profundidade

Com este trecho inaugurado nesta quinta, a Linha 5 ganha mais 1 km de extensão, chegando a 16,2 km. Agora são 12 estações, a partir de Capão Redondo.

A entrada principal da nova estação Moema fica localizada nas esquinas das avenidas Ibirapuera e Divino Salvador, integrando-se à Praça Nossa Senhora Aparecida. A entrada secundária fica localizada no lado oposto da avenidas Ibirapuera, esquina com a Avenida Sabiá.

A estação Moema tem 10,9 mil metros quadrados de área construída, com 23,3 metros de profundidade. As dependências contam com quatro elevadores, que permitem integração da rua com o mezanino e com as plataformas. Além disso, são 15 escadas rolantes, piso podotátil direcional e fita antiderrapante nas escadas fixas.

PREVISÕES

Quando pronta, a 5-Linha Lilás ligará o Capão Redondo à Chácara Klabin, interligando-se com o monotrilho e as linhas 1-Azul e 2-Verde do Metrô.

Segundo o governador Geraldo Alckmin, cinco estações serão entregues até o fim do ano. “Dentro de 60 dias, nós estaremos entregando a estação AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. Até julho, mais quatro estações estarão inauguradas. No segundo semestre, a última, Campo Belo” — disse.

A ampliação da linha prevê a construção de um total de 11 km e 11 estações, que vão de Adolfo Pinheiro à Chácara Klabin. O Metrô informou que serão comprados 26 novos trens e será utilizado o sistema de sinalização e controle CBTC, mais moderno, que será implantado em toda linha.

Até o momento, um trecho de 6,9 km está em operação. As estações em funcionamento são Adolfo Pinheiro (inaugurada em 2014), Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin (inauguradas em 2017) e a Eucaliptos.

O investimento total na linha é de R$ 10,4 bilhões, segundo informações do Metrô. Quando a linha estiver completa, da estação Capão Redondo à Chácara Klabin, atenderá cerca de 850 mil pessoas por dia.

ESTACAO_MOEMA_TREM_02

Serão comprados 26 novos trens e sistema de sinalização e controle será CBTC

INTEGRAÇÃO

A linha 5-Lilás fará integração com as linhas 1-Azul e 2-Verde do Metrô, 17-Ouro do monotrilho e 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Segundo o governador, estão em obras as estações Mendes e Varginha na linha 9-Esmeralda da CPTM. Quando finalizadas, permitirão integração mais completa com a linha 5-Lilás.

A estação Santa Cruz, por sua vez, terá integração com a linha 1-Azul do Metrô. Já a Chácara Klabin integrará com a linha 2-Verde. A interligação facilitará o acesso a passageiros para a Avenida Paulista e também para a região do ABC.

“Campo Belo, por isso será a última a ser entregue, integra com a linha 17-Ouro [monotrilho], que vai para o Aeroporto de Congonhas” – disse Alckmin. “A integração das várias linhas facilita muito a vida das pessoas” – avaliou.

ATRASOS

Estacao_Moema_catracas

Estação Moema deveria estar pronta no final de 2017

A estação Moema deveria ser entregue no final de 2017, junto às estações Eucaliptos, AACD-Servidor e Hospital São Paulo, também da linha 5-Lilás.

Conforme publicado pelo Diário do Transporte, a gestão estadual mudou as datas em dezembro. A estação Eucaliptos, entregue em 2 de março, deveria estar pronta em janeiro de 2018 e as estações Moema, AACD-Servidor e Hospital São Paulo, deveriam ter sido entregues em fevereiro de 2018.

Relembre: Estação Eucaliptos da Linha 5 já tem 99% das obras concluídas e será entregue até o final do mês, garante Metrô

Reportagem: Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Redação: Jessica Silva

1 Trackback / Pingback

  1. Estações da linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo serão fechadas no domingo – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: