Comitê do Clima e Ecoeconomia vai debater licitação dos ônibus em São Paulo

Poucos ônibus em São Paulo de fato não poluem durante a operação

Evento é gratuito e deve ter a participação do secretário de Transportes e Mobilidade, Sérgio Avelleda

ADAMO BAZANI

Em aproximadamente um mês, a Prefeitura de São Paulo deve lançar o edital de licitação dos transportes da capital paulista.

O certame deveria ter sido realizado em 2013, mas depois de manifestações contra os valores da tarifa, a prefeitura recuou e só em 2015 apresentou um modelo de edital, barrado pelo Tribunal de Contas do Município, que diz ter visto irregularidades na proposta de concessão.

As entidades que defendem o meio ambiente apontaram como um defeito da licitação lançada pelo prefeito anterior, Fernando Haddad, a ausência de metas para estipular a substituição de ônibus poluentes por modelos que têm um menos impactos ambientais.

A Lei de Mudanças Climáticas, de 2009, determina que no ano que vem todos os ônibus municipais em São Paulo não dependam apenas de óleo diesel para se movimentar.

A troca deveria ter sido feita gradualmente, 10% ao ano, mas hoje nem 7% dos 14.800 ônibus municipais conseguiriam atender à Lei de Mudanças Climáticas.

O temor dessas entidades e da indústria de ônibus menos poluentes é que o tema não seja novamente levado em consideração no edital, que deve ser apresentado nos próximos dias.

Nesta terça-feira, 25 de abril de 2017, às 9h30, o Comitê Municipal de Mudança do Clima e Ecoeconomia do Município de São Paulo vai debater a licitação de transportes.

O encontro corre na Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura da Paz – UMAPAZ, na Avenida Quarto Centenário 1268, no parque Ibirapuera portão 7 A.

De acordo com a programação do evento, deve fazer parte das discussões nesta terça o secretário Municipal de Transportes e Mobilidade de São Paulo, Sérgio Avelleda.

Avelleda admitiu que a Lei de Mudanças Climáticas não será cumprida e que a prefeitura estuda não estipular o tipo de tecnologia de ônibus, mas metas de reduções de poluentes, cabendo à iniciativa privada escolher os modelos dos coletivos.

https://diariodotransporte.com.br/2017/03/27/avelleda-diz-que-prefeitura-deve-estipular-metas-de-restricao-a-poluicao-mas-nao-definir-tipo-de-onibus-nao-poluentes/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes