OUÇA: Prefeitura de São Paulo quer revitalizar região do Parque D. Pedro com PPP de R$ 1 bilhão de terminais de ônibus, incluindo demolição de viadutos

Consulta pública será lançada nesta quarta-feira (20) da concessão do Bloco Leste de terminais; alargamento da Av. do Estado e piscinão estão entre os investimentos

ADAMO BAZANI

OUÇA:

A prefeitura de São Paulo lança nesta quarta-feira, 20 de julho de 2022, uma consulta pública para a PPP (Parceria Público Privada) do Bloco Leste de terminais de ônibus.

A concessão será por 30 anos e, em todo o bloco, são previstos investimentos de R$ 1,027 bilhão na requalificação dos terminais e das áreas ao entorno.

O destaque deve ser a região do Parque Dom Pedro II, que pode receber R$ 678 milhões deste total.

“Não será apenas uma reforma do terminal Parque Dom Pedro, mas envolve a criação de mais áreas verdes; a melhoria para o pedestre para ser mais seguro e atrativo frequentar o Parque Dom Pedro; o deslocamento do terminal ampliando em duas vezes e meia a área verde da região; uma praça panorâmica dentro do terminal que será um novo polo de lazer e serviços; retomada de um acesso ao pedestre na região do Gazômetro melhorando a infraestrutura e criando quiosques e o projeto também envolve a criação da ponte do Carmo, que vai substituir os atuais viadutos Nakashima e 25 de Março que serão demolidos para facilitar acesso de carros, pedestres e ônibus” – disse em entrevista ao Diário do Transporte a diretora da SP Parcerias, da prefeitura de São Paulo, Maíra Madri.

O projeto ainda prevê a construção de uma alça de acesso para o futuro BRT (corredor de ônibus rápidos) da Radial Leste.

A empresa ou grupo de empresas que assumirem as obras vão poder fazer a exploração imobiliária dos espaços, realizar eventos, conceder áreas comerciais e vender publicidade, além de receber uma remuneração da prefeitura.

Maíra Madri acredita que o edital final para escolher as empresas deve ser lançado ainda neste ano.

A consulta pública vai durar 30 dias, período no qual a população vai poder enviar sugestões para alterações da proposta inicial.

O bloco Leste da PPP envolve os seguintes espaços: Terminais Antônio Estevão de Carvalho, Aricanduva, Cidade Tiradentes, Itaquera II, Mercado, Parque Dom Pedro II, Penha, Sacomã, São Miguel, Sapopemba, Vila Carrão e Vila Prudente, bem como as Estações do Expresso Tiradentes.

A diretora da SP Parcerias ainda explica que em 30 anos de concessão, a prefeitura vai deixar de gastar R$ 1,2 bilhão para a manutenção dos terminais concedidos.

“Hoje a prefeitura tem um gasto de manutenção e operação dos terminais. Em 30 anos, a desoneração para a prefeitura de R$ 1,2 bilhão. O que a prefeitura está fazendo agora é pegar parte desta desoneração e investir diretamente na região do Parque Dom Pedro” – explicou.

Atualmente, a região do Parque Dom Pedro II é uma das mais degradadas da capital paulista.

Além do tráfico e uso de drogas, roubos, assaltos e um verdadeiro nó no trânsito fazem da região um local a ser evitado por quem não precisa necessariamente passar por lá.

O terminal Parque Dom Pedro II é o mais movimentado da cidade, com mais de 80 mil passageiros por dia e 89 linhas.

Além de serem formados alguns “nós” na entrada e saída de ônibus, o entorno é perigoso, principalmente à noite.

O projeto traz o seguinte cronograma de obras:

Dezembro 2022

  • Limpeza
  • Segurança
  • Zeladoria

Dezembro 2023

12 meses

  • Novo Boulevard
  • Novas Praças Ragueb Chohfi e

Fernando Costa

  • Nova Ponte do Carmo

demolição dos viadutos após a liberação da ponte

  • Alargamento da Av. do Estado
  • Acesso do BRT
  • Recuperação da mata ciliar
  • Estabilização do Batalhão

Outubro 2025

34 meses

  • Novo Terminal
  • Praça panorâmica
  • Galeria comercial
  • Duas novas praças
  • Piscinão coberto

Dezembro 2027

60 meses

  • Nova escola técnica no Batalhão
  • Ampliação das áreas verdes

Linhas gerais do projeto:

Aumento da Capacidade do Terminal em 20% com Reorganização de Plataformas

Novo Terminal Dom Pedro

Terminal Mercado (Térreo + 1 pav)

Ponte do Carmo (Demolição Viadutos Nakashima e 25 de Março)

Alargamento da Av. do Estado

Acesso BRT

Novo Boulevard com quiosques

Área de espaço público reformada e implantação de novas áreas verdes

Requalificação dos taludes do rio

Requalificação das Praças Ragueb Chohfi, e Fernando Costa e criação de nova praça

Piscinão Subterrâneo + Área verde

Escola Técnica no atual Quartel do 2º Batalhão de Guardas

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Alex Junior disse:

    Que assim seja ❤️

  2. Andre disse:

    Finalmente uma iniciativa de requalificação para essa área tão importante, mas tão abandonada e degradada!
    Um único ponto a acrescentar nesse projeto seria um acesso direto dos terminais à estação de metrô, que é uma das grandes dificuldades para quem utiliza o transporte publico na região atualmente.

  3. vagligeiro disse:

    A estação Dom Pedro fica a uma distância maior do que a esperada para o terminal, então qualquer acesso a estação de trem fica inviabilizado devido a isso, seja para a Sé, seja ao Dom Pedro. Não a toa a estação do ônibus expresso que se conecta a estação do Metrô se encontra mais à frente.

  4. SAUDADES, SÓ SAUDADES. Fui feliz no ano em que inauguraram este local, era 1972, e eu com apenas 14 anos descendo na baia 2(sentido norte para sul) e eu vislumbrava os coletivos ainda alguns eram CAIO Jaraguá, outros CAIO Bela Vista, alguns Striulli, Thamco, Ciferal, os cara chata da Mercedes (nem existia Marcopolo) e ano seguinte estreavam os 0362 MBB (motor traseiro) sucesso de vendas da Mercedes Benz, e as empresas se adaptaram também comprando e renovando. As cores dos onibus eram bem criativos, com asas. Tinha coletivos de tudo quanto era lugar: Viação ABC-Guarulhos-SBC-SCS, Expresso SBC, a viação São José, o meu era Esplanada, Padre Eustáquio, CMTC, Monumento, Alto do Pari, Vila Carrão, Penha-S. Miguel, Viação Guarulhos, Brasil Luxo, e outras, além dos banheiros públicos, ainda tenho fotos desta época. não havia barracas de frutas, era livre de se andar, subindo a Ladeira General Carneiro na boa, sem medo de ser feliz. Aos poucos foram aparecendo ratos de bueiros que transitavam pelas baias e a correria era assombrosa, escandalosa, desfaziam-se até as filas..(o bom mesmo eram amigos que iam chegando e furando filas, a gritaria era geral. Aos poucos foram modificando, bancas se multiplicando na Praça Fernando Costa se alastrando para região do Mercadão, e fechando passagens de pedestres emporcalhando tudo. FUI FELIZ.

  5. Luiz disse:

    Demolir dois viadutos extremamente bem feitos que possibilitam não somente a passagem sobre o parque como foram feitos de forma a possibilitar retornos e acessos de todas as maneiras para a construção de outro em uma cidade carente de obras viárias e de mobilidade, é um desperdício enorme de dinheiro público. Criou-se uma doutrina entre os arquitetos de culpar viadutos por degradação dos lugares

Deixe uma resposta