Eletromobilidade

Maricá (RJ) apresenta protótipo de ônibus híbrido elétrico-etanol para o transporte urbano

protótipo elétrico-etanol fará o “rolezinho da sustentabilidade” circulando pela cidade. Foto: prefeitura de Maricá/RJ

Demonstração do Projeto Ônibus Sustentáveis para Maricá é fruto da parceria entre o Município e a Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e COPPE

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Maricá, no Rio de Janeiro, realizou nesta quinta-feira, 26 de maio de 2022, a demonstração do Projeto Ônibus Sustentáveis para Maricá.

O Projeto é resultado da parceria entre o Município e a Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e COPPE.

Na cerimônia, realizada nesta manhã, foi demonstrado o projeto Vermelhinho Híbrido Elétrico-Etanol, com a apresentação do primeiro protótipo em desenvolvimento na cidade.

O ônibus foi desenvolvido com o objetivo de fomentar a transição energética da frota da Empresa Pública de Transportes de Maricá, de combustíveis fósseis para combustíveis de tecnologia limpa e sustentável.

A solenidade de apresentação do Híbrido Elétrico-Etanol envolveu um passeio demonstrativo pelo município, que no dia de hoje comemora 208 anos de fundação.

O protótipo elétrico-etanol fará o “rolezinho da sustentabilidade” circulando pela cidade. O ônibus ficará até domingo (29), das 14h às 17h, na rodoviária de Maricá, para visitação e explicação técnica com a equipe da UFRJ sobre os benefícios do transporte sustentável que vai substituir a frota dos Vermelhinhos Tarifa Zero.

Como mostrou o Diário do Transporte, a Prefeitura anunciou o projeto em parceria com a UFRJ/COPPE em fevereiro deste ano. Relembre:

Maricá (RJ) será primeira cidade do Brasil a fabricar ônibus híbridos

Na época, o prefeito informou que o objetivo era se tornar ser referência na utilização dos veículos na renovação da frota dos ônibus tarifa zero, conhecidos como “vermelhinhos”, que circularão sem emissão de carbono.

Desta forma, o projeto trará para a cidade três tipos de transporte coletivo elétrico híbridos: ônibus de hidrogênio, de etanol e puramente elétrico.

Após a fase de testes, que se estenderá por 24 meses, a cidade fará a escolha por uma ou mais das três tecnologias em experiência, avançando no processo de descarbonização da frota municipal.

“Vamos aproveitar as possibilidades que temos com os recursos dos royalties do petróleo para pensarmos no momento posterior, tanto no aspecto ambiental como econômico. Buscamos diversificar a economia local e criar arranjos produtivos com novas tecnologias, gerando emprego e renda independentes de variações do petróleo. Os ônibus híbridos são a porta de entrada para essa política de estudos, produção de matéria prima e industrialização”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Igor Sardinha, em nota.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta