Eletromobilidade

Eletra terá capacidade de produzir 1,8 mil ônibus elétricos em nova sede, em São Bernardo do Campo (SP)

Empresa agora está em um novo prédio de 27 mil m² na Via Anchieta

JESSICA MARQUES

A Eletra confirmou ao Diário do Transporte que vai produzir 1.800 ônibus elétricos na nova sede, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

A nova sede da Eletra fica às margens do km 16 da Via Anchieta (sentido São Paulo-Litoral), a poucos metros de empresas como Mercedes-Benz, Extra Hipermercado e Grob do Brasil.

No local, a Eletra terá capacidade de produzir 150 ônibus elétricos e híbridos por mês, ou até 1.800 por ano, já a partir do segundo semestre.

Segundo a fabricante, a ampliação das instalações faz parte de um plano de investimentos cujo objetivo é posicionar a empresa como a principal indústria nacional de veículos elétricos pesados.

“Nossa meta é ser a maior montadora brasileira de veículos elétricos para transporte de passageiros e de carga, com tecnologia inteiramente nacional”, disse Milena Braga, CEO da Eletra, em nota.

A nova sede será inaugurada oficialmente em julho. Neste momento, o prédio está sendo adaptado para abrigar todas as divisões industriais e as linhas de montagem.

EXPANSÃO

Para a diretora executiva Iêda de Oliveira, a Eletra “estará em condição de atender imediatamente à crescente demanda por ônibus elétricos dos vários municípios que aprovaram leis e programas de troca das frotas a diesel por frotas de baixa emissão”.

A mudança de endereço também permitirá expandir os serviços do e-Retrofit Eletra, que é a conversão de caminhões a diesel para veículos elétricos e híbridos.

Segundo o diretor de vendas Silvestre Sousa, as metas da Eletra concentram-se principalmente no Brasil, mas visam também o crescente mercado latino-americano.

“Temos mantido contatos com operadores da Argentina, Equador, México e outros países. Todos demonstram grande interesse em trabalhar com uma empresa de ônibus elétricos com a tradição de qualidade da indústria brasileira desse setor”.

ENDEREÇO

A sede ficará na Rua Garcia Lorca, 176, Pauliceia. Ao todo, serão três pavimentos e amplos pavilhões para abrigar diferentes divisões industriais, escritórios e show-room, além de um auditório para 200 pessoas.

Os departamentos administrativo e de vendas já funcionam nas novas instalações desde o início de abril.

Durante anos, o prédio abrigou a Conexel, importante indústria brasileira de conectores, e, depois, a Weidmüller do Brasil.

SOBRE A ELETRA

A Eletra produz o e-Bus 100% elétrico e o Dual Bus híbrido elétrico, em diferentes configurações (12m, 15m, 18m e 23m, articulados ou não).

Produz também as mais modernas versões de trólebus em operação no Brasil, dotados de baterias que lhe conferem autonomia sem contato com a rede aérea.

Há dois anos, a empresa começou a oferecer um inédito serviço de retrofit de caminhões para empresas de transporte de carga, o e-Retrofit Eletra.

Em maio de 2021, em São Paulo, participou diretamente do lançamento do primeiro carro-forte elétrico do mundo.

Também lançou uma linha de carregadores elétricos modulares para ônibus e caminhões, com potência variável entre 15 kW e 120 kW.

É uma empresa brasileira fundada em 1999, em São Bernardo do Campo.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. WILLIAM DE JESUS SANTOS disse:

    Uai! Esse trucado da foto existe mesmo? Não o vi em nenhum outro lugar. Queria saber mais

    1. diariodotransporte disse:

      Existe

  2. Márcio disse:

    Talvez agora eles retirem os trolebus da década de 80 dos corredores da Emtu.

  3. Francileide lopes Oliveira disse:

    Que maravilha,tenho experiência na linha de montagem!

  4. Samuel Crisostomo da Silva disse:

    Gostaria de fazer parte dessa frabrica, gostaria de mandar o meu currículo.

  5. Fabio disse:

    Pra vcs verem , tecnologias vindo , necessidades pra ontem desses aprimoramentos e renovação de frotas automobilísticas por conta dos combustíveis fósseis e as montadoras Graúdas Nacionais vão na contra mão ….
    Parabéns aos desenvolvedores e inovadores e responsáveis.

Deixe uma resposta