Eletromobilidade

Eletra lança neste ano micrão de 10 m, padron de 12,8 m e articulado de 21,5 m 100% elétricos com recarga de oportunidade

Modelo de 15 metros vai rodar na capital paulista em setembro

Com isso, gama de produtos atende a diferentes configurações.  Modelo de 15 metros será testado na capital paulista em setembro, mesmo mês em que 12,5 m passa a transportar passageiros

ADAMO BAZANI

A fabricante brasileira de ônibus elétricos Eletra, com sede em São Bernardo do Campo (SP), anunciou nesta sexta-feira, 05 de agosto de 2022, que vai lançar ainda neste ano mais três configurações de ônibus tipo e-Bus (100% elétricos à bateria).

MICRÃO:

Um dos modelos terá 10 metros de comprimento, atendendo às dimensões para midibus, conhecidos no mercado como micrões por serem maiores que micro-ônibus e menores que convencionais. Este tipo de configuração ganha cada vez mais espaços nas cidades e em linhas metropolitanas porque atende a serviços com demanda média ou alimentadores de sistemas maiores de ônibus e de trem ou metrô.

PADRON 12,8 M E 12,5 M COM PASSAGEIROS EM SETEMBRO:

Outro modelo que deve ser apresentado ainda neste ano de 2022 pela Eletra é um padron de 12,8 metros, com mais lugares para os passageiros que a versão atual padron de 12,5 metros, que continuará a ser oferecida.

O modelo de 12,5 metros foi aprovado em testes acompanhados pela prefeitura de São Paulo e, segundo previsão da Eletra, em setembro de 2022, passa a operar com passageiros.

Este modelo tem chassi Mercedes-Benz, montadora que já equipou 140 ônibus elétricos a bateria, trólebus e elétricos híbridos da Eletra, e carroceria Caio, que já encarroçou mais de 200 ônibus com tração elétrica da empresa em operação no Brasil.

A configuração de 12,8 metros deve atender também uma das necessidades da capital paulista e de outras cidades de regiões metropolitanas que é por ônibus padrons de dois eixos com maior oferta de lugares.

ARTICULADO DE 21,5 M:

Outra promessa da Eletra para 2022 é um ônibus articulado de 21,5 metros para linhas que necessitam de maior capacidade de atendimento.

A dimensão se posiciona entre os articulados mais comuns com 18 metros e os articulados de quatro eixos (superarticulados) de 23 metros, amplamente usados na cidade de São Paulo.

A capital paulista é um dos focos do novo modelo da Eletra, mas outras cidades também estão na mira, já que há projetos de construção de novos corredores ou modernização de corredores já existentes em sistemas fora de São Paulo, como Curitiba, por exemplo.

RECARGA DE OPORTUNIDADE:

Segundo ainda a Eletra, todos estes modelos que serão lançados vão contar como opcional com equipamentos e tecnologia de recargas de oportunidade, que é a possibilidade de carregar de forma rápida e parcial as baterias durante a operação das linhas.

São pontos de recarga instalados, por exemplo, em terminais ou paradas de alta demanda.

As baterias dos ônibus podem ser carregadas no horário de pausa do motorista ou mesmo durante o embarque e desembarque dos passageiros.

Além de dar maior autonomia para os ônibus, a vantagem é que os coletivos terminam o dia de trabalho com mais carga na bateria, reduzindo assim o tempo de recarga necessário na garagem.

15 METROS NA CAPITAL PAULISTA:

O modelo de 15 metros da Eletra, que já foi apresentado ao mercado, deve começar a passar por testes pela prefeitura de São Paulo a partir de setembro deste ano de 2022.

Este tipo de ônibus é indicado para demandas médias e altas de passageiros.

Ele se posiciona entre os padrons e convencionais que vão até 13,5 metros em geral e os articulados de 18 metros.

LATBUS

O ônibus de 12,5 metros e o de 15 metros serão apresentados no estande da Eletra na LatBus, uma feira de mobilidade que ocorre de  9 a 11 de agosto, das 10h às 22h, na São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, km 1,5, São Paulo).

Serão lançadas também as baterias destes ônibus da WEG.

O estande da Eletra fica ao lado do palco principal.

EMPRESA QUER SER A MAIOR:

Em 17 de maio, Eletra confirmou ao Diário do Transporte que vai produzir 1,8 mil ônibus elétricos na nova sede, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.

A nova sede da Eletra fica às margens do km 16 da Via Anchieta (sentido São Paulo-Litoral), a poucos metros de empresas como Mercedes-Benz, Extra Hipermercado e Grob do Brasil.

Segundo a fabricante, a ampliação das instalações faz parte de um plano de investimentos cujo objetivo é posicionar a empresa como a principal indústria nacional de veículos elétricos pesados.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/17/eletra-tera-capacidade-de-produzir-18-mil-onibus-eletricos-em-nova-sede-em-sao-bernardo-do-campo-sp/

Em nota de 05 de agosto de 2022, a diretora da Eletra, Milena Romano, disse que o objetivo da empresa é ser a maior do segmento de ônibus elétricos com tecnologia 100% nacional.

“Nosso objetivo é ser maior montadora brasileira de ônibus elétricos, com tecnologia inteiramente nacional. Há 20 anos, produzimos os mais inovadores ônibus elétricos em circulação no país. Temos experiência e competência comprovadas. Agora, estamos ampliando a produção e nossa linha de produtos. É hora de crescer”.

A diretora executiva da fabricante, Iêda de Oliveira acrescentou, na mesma nota, que: “os ônibus elétricos da Eletra caracterizam-se pela versatilidade e confiabilidade. Foram concebidos para rodar em qualquer ambiente urbano, desde linhas troncais e corredores centrais até alimentadoras, com perfil e topografia voltados para regiões periféricas de nossa cidades” “São produtos fabricados por uma empresa que sabe falar a língua do cliente e conhece de perto as condições reais de operação, contando com parceiros nacionais de sólida tradição” .

A Eletra faz parte de um grupo que atua na área de transportes há 112 anos como operador.

Atualmente, o grupo constituído pela família Setti e Braga controla empresas como NEXT Mobilidade (transportes na região metropolitana de São Paulo), BR7 Mobilidade (ônibus municipais de São Bernardo do Campo/SP), Diastur (fretamento e transporte escolar) e outras atividades.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika disse:

    Notícia interessante.

Deixe uma resposta