Divinópolis (MG) formaliza decisão de congelamento da tarifa do transporte público em 2022

Foto: Igor Policarpo / Ônibus Brasil

Prefeito respondeu a Conselho, que aprovou reajuste de 46,74%, que medida é “completamente inviável”

ALEXANDRE PELEGI

Após manifestar-se publicamente contra decisão do Conselho Municipal de Trânsito (Comutran) de Divinópolis (MG) de elevar a tarifa técnica para R$ 6,09 no sistema de ônibus na cidade, o prefeito Gleidson Azevedo formalizou a medida de manter congelado o atual valor de R$ 4,15.

A decisão oficial foi publicada no site da prefeitura no dia 30 de dezembro de 2021.

A formalização da decisão se deu por meio de documento, através do Gabinete do Prefeito, destinado à Secretaria Municipal de Trânsito, Segurança Pública e Mobilidade Urbana (SETTRANS).

Segundo documento o reajuste de 46,74% na tarifa do transporte público, passando de R$4,15 para R$6,09, é completamente inviável.

Não podemos esquecer que o complicado cenário econômico afetou de perto a vida de todo o mundo, em razão das irreparáveis e inesperadas consequências geradas pela pandemia da COVID-19”, destaca o Prefeito de Divinópolis.

Um dos motivos que subsidiou a decisão de manter a tarifa congelada, foi o fato de que todos (pessoas físicas e jurídicas) tiveram de abdicar de um crescimento econômico para resguardar a vida. “Não é este, portanto, o momento de se auferir possíveis lucros que uma empresa que presta um serviço público de transporte deve auferir e, para isso, impingir aos consumidores, cidadãos trabalhadores, um aumento de quase cinquenta por cento na tarifa de transporte público”, completou o Prefeito.

O prefeito ressaltou ainda que deve-se lembrar que o transporte público é um serviço que possui caráter essencial, ou seja, deve servir à toda população. Na atual conjuntura econômica, diz o documento, elevar o valor da tarifa para R$ R$6,09 significa inviabilizar a utilização do serviço por dezenas de milhares de usuários, que são pessoas de baixa renda.

Outra justificativa mencionada seria o reajuste do salário mínimo de R$1.100,00 (um mil e cem reais) para R$1.210,44 (um mil, duzentos e dez reais e quarenta e quatro centavos). Enquanto o salário-mínimo será reajustado em 10,44%, índice quatro vezes menor do que o reajuste pretendido na tarifa de transporte público municipal.

Como mostrou o Diário do Transporte, em entrevista a um programa de rádio da cidade (Bom Dia Divinópolis) na véspera do Natal, 24 de dezembro de 2021, o prefeito afirmou que não haveria reajuste no valor da passagem de ônibus, e caso o Consórcio Transoeste quisesse reajuste deveria entrar na Justiça.

A tarifa atualmente em Divinópolis está em R$ 4,15 para quem usa o Cartão Divpass, e R$ 4,15 para quem paga em dinheiro direto na catraca. De R$ 4,15 para R$ 6,09 (valor aprovado pelo Comutran), portanto, o reajuste alcançaria quase 47%.

A Trancid – Transporte Coletivo Cidade de Divinópolis Ltda, é a empresa líder do Consórcio Transoeste, que venceu a licitação do transporte público municipal em 2012. O Consórcio é integrado ainda pelas empresas Exdil – Expresso Divinopolitano Ltda, Transpratur, Vidatur e Empresa Braulino.

Relembre:

Prefeito de Divinópolis rejeita reajustar tarifa do transporte coletivo

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta