Santo André (SP) confirma que não terá aumento na tarifa de ônibus em 2022

Prefeitura também anunciou mais investimentos na área serão entregues à população, sem aumento no valor da passagem. Foto: Adamo Bazani.

Valor permanece congelado em R$ 4,75 durante o próximo ano

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Santo André, no ABC Paulista, informou que não terá aumento na tarifa do transporte público do município em 2022.

Com isso, o valor da passagem em R$ 4,75 para o próximo ano nas linhas gerenciadas pela SATrans. Nada muda também em relação às gratuidades e ao Bilhete Único Andreense.

A informação foi confirmada pela Prefeitura ao Diário do Transporte na manhã desta quinta-feira, 30 de dezembro de 2021.

“Estamos com um grande investimento na área da mobilidade com a renovação da frota, com a revisão dos itinerários, a instalação de novos abrigos de ônibus e, em 2022, teremos uma modernização ainda maior do transporte sem nenhum aumento de tarifa. Fizemos uma análise com base na sensibilidade social e no momento econômico que vivemos e não há como falar em reajuste agora. Até 2023 a tarifa na nossa cidade está congelada”, afirmou o prefeito Paulo Serra, em nota.

O último reajuste da tarifa do transporte público municipal foi em 2019, quando o valor da passagem passou de R$ 4,40 para os atuais R$ 4,75. Desde o início da gestão do prefeito Paulo Serra foram adquiridos 116 novos ônibus zero-quilômetro na cidade.

RENOVAÇÃO DE FROTA

No último mês de setembro, a Prefeitura de Santo André entregou outros 16 novos ônibus com ar-condicionado, dentro do plano de processo de renovação total da frota, que prevê, até o final do ano de 2024, a troca de todos os ônibus da cidade.

Relembre:

Santo André (SP) entrega 16 ônibus novos com ar-condicionado nesta segunda (20)

Os ônibus são equipados com ar-condicionado, entradas USB para carregamento de celulares e total acessibilidade para os usuários, além de poltronas ergonômicas.

Além dos novos ônibus, um pacote de renovação dos abrigos foi implementado na cidade, possibilitando maior segurança e proteção aos usuários do transporte público municipal.

PLANO DE MOBILIDADE

A Prefeitura informou ainda que está em execução o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável, que mapeia e produz um minucioso diagnóstico da situação atual da mobilidade urbana de Santo André, dentro do contexto da Região Metropolitana de São Paulo.

“Este prognóstico, que inclui a revisão das linhas de ônibus municipais e itinerários, balizará as ações no curto (5 anos), médio (15 anos) e longo prazo (25 anos), promovendo propostas para melhoria das condições de circulação de pessoas, bem como a integração entre os diferentes modos de transporte (sistemas urbanos de transporte público, pedestres, cicloviário, metroferroviário e distribuição de carga)”, detalhou a administração municipal.

A proposta integra o pacote de investimentos em parceria com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), que financia obras e projetos de mobilidade em Santo André.

O projeto integral financiado abrange a duplicação do viaduto Antonio Adib Chammas, que já foi entregue, a obra do Complexo Viário Santa Teresinha, que começará em breve, e a qualificação e construção de quatro quilômetros de corredores municipais de transporte na região central.

REAJUSTES NO ABC PAULISTA

No ABC Paulista, as cidades de São Bernardo do Campo, Mauá e Diadema anunciaram reajustes na tarifa do transporte coletivo.

Relembre:

Diadema sobe tarifa de ônibus para R$ 5,10 em dinheiro em 02 de janeiro de 2022

Mauá sobe tarifa de ônibus para R$ 5 em dinheiro em 29 de janeiro de 2022

Tarifa de ônibus em São Bernardo do Campo sobe para R$ 5,10 a partir de 02 de janeiro de 2022

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Com relação à abrigos novos, só se for no centro mesmo, pois em bairros continuam os velhos de latões enferrujados até, como na extensão da Rua Carijós. Vale lembrar que os “novos” de vidros já estão completamente pichados, com panfletagem emporcalhando o visual. Devo dizer que o dept SATrans não tem equipamento a ponto de remover os velhos e reformá-los. é um caminhão pra pegar apenas um, levar pra Ribeirão Pires, lixar e repintar demorando até 1 a 2 meses pra devolução no local….E finalizando: jamais instalar estes novos abrigos em bairros,,,irão depredar facilmente (poderia uma equipe ver como está o abrigo da Pç Vital Brasil, ali na Coop Ipiranguinha, ou na pç Embaixador Pedro de Toledo prá ver o estado que está)

Deixe uma resposta