Prefeitura de SP avalia segurar reajuste da tarifa de ônibus para fevereiro e espera subsídio de Bolsonaro

De acordo com prefeito Ricardo Nunes, estimativa é de votação no Congresso de uma ajuda federal aos sistemas de transportes

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo estuda a possibilidade de deixar o aumento para tarifa de ônibus para fevereiro de 2022.

A declaração é do prefeito Ricardo Nunes, em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, 23 de dezembro de 2021, durante uma agenda pública.

A esperança de Nunes é que o Congresso vote um projeto de subsídio federal para os sistemas de transportes municipais e metropolitanos.

Segundo o prefeito, até esta sexta-feira (24) deve haver uma definição.

Nunes disse que conversa com o presidente do Senado Rodrigo Pacheco.

“Estou, inclusive, falando com o senador Rodrigo Pacheco. Existe a possibilidade de eles votarem no Senado pro Governo Federal fazer o repasse com relação a gratuidade. A gente está conversando pra ver se segura, pelo menos, até fevereiro, quando volta o recesso, pra ver se vota esse projeto. Mas eu preciso definir isso até amanhã”

Como mostrou o Diário do Transporte, nesta quinta-feira (22), a secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana apresentou o valor de R$ 5,10 para 2022, que seria a reposição da inflação desde o último aumento em 2019.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/12/22/secretaria-quer-tarifa-de-onibus-em-sao-paulo-de-r-510-e-2022-vai-ter-demanda-16-menor-que-antes-da-pandemia/

A prefeitura também conversa com o Governo do Estado.

Habitualmente, as tarifas de ônibus municipais gerenciados pela SPTrans (São Paulo Transporte) são reajustadas junto com as da CPTM e Metrô, que são estaduais, e no mesmo valor.

Como 2022 é ano de eleições estaduais, o componente político também deve interferir na decisão da gestão João Doria que tentará eleger o vice Rodrigo Garcia para o governo.

“Outro fator é o governo do Estado. Sempre existe a correção da tarifa junto com Metrô e CPTM. Nós estamos conversando com o governo do Estado, que também está caminhando e fazendo esforços pra não aumentar a tarifa. Ou seja, qual é o momento agora? O melhor sentimento pra te dizer é de sofrimento. Eu tô sofrendo muito com isso. Da gente saber que aumentou, tem inflação, mas as pessoas não tiveram inflação no seu salário”, completou Nunes.

Como mostrou o Diário do Transporte, prefeitos de todo o País pedem ao Governo Federal uma auxílio financeiro para subsidiar os serviços e evitar reajustes tarifários ou, ao menos, conceder reajustes menores.

Uma das alternativas, anunciadas pelo prefeito da capital paulista, Ricardo Nunes, ao Diário do Transporte, é que o Governo Federal subsidie as gratuidades concedidas a idosos com 65 anos ou mais.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/12/09/ouca-governo-federal-sinaliza-aceitar-bancar-gratuidades-nos-transportes-e-aumento-de-tarifas-pode-ser-menor-ou-sequer-sera-aplicado-diz-ricardo-nunes-em-sp/

Outra alternativa é a criação de um VTS (Vale Transporte Social), também bancado pelo Governo Federal, que seria destinado a pessoas com baixa renda cadastradas em programas sociais governamentais (CadUnico) e a desempregados.

Como também noticiou o Diário do Transporte, o deputado Elias Vaz apresentou nesta quinta-feira, 16 de dezembro de 2021, PL (Projeto de Lei) 4489/2021 que cria o programa “Vale Transporte Social”.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/12/16/vale-transporte-social-tem-projeto-apesentado-na-camara-dos-deputados/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta