Greve de ônibus em São Luís (MA) completa 12 dias

Secretário de Transportes foi substituído em meio a crise do setor

WILLIAN MOREIRA

A paralisação dos trabalhadores do transporte coletivo de São Luís (MA) chegou ao décimo segundo dia nesta segunda-feira, 1° de novembro de 2021.

A prefeitura formalizou na sexta (29) uma proposta de auxílio emergencial ao setor de transporte para permitir a quitação de pendências trabalhistas pelas empresas, no valor total de R$ 8,25 milhões 0 em três parcelas.

Porém, ainda não foi aceita a proposta pelas viações, o que resultou na troca da liderança da Secretaria de Trânsito e Transportes, com Diego Baluz assumindo no lugar de Cláudio Ribeiro.

Enquanto isso, a população continua recorrendo ao transporte alternativo para se deslocar, desde veículos próprios e aplicativos até transporte clandestino e viagens em caçambas de caminhonete.

Ao menos 700 mil usuários estão sendo prejudicados por dia.

O Governo do Estado do Maranhão estuda a possibilidade de criar um auxílio às empresas de ônibus para que possam atender a parte das reivindicações dos trabalhadores.

Como mostrou o Diário do Transporte, os profissionais entraram em greve no dia 21 de outubro de 2021, reivindicando o 13% de aumento nos salários (aceitam reduzir para 10%), vale-alimentação de R$ 800, jornada de seis horas por dia, auxílio-creche para trabalhadores com filhos pequenos e manutenção do plano de saúde mais a inclusão de um dependente.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2021/10/21/greve-de-onibus-afeta-sao-luis-nesta-quinta-21/

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. NEWTON DE CASTRO SILVA NETO disse:

    Na minha opinião, para que possamos diminuir mais as passagens, o prefeito da cidade deveria sentar com seus secretários e empresários e implementar ações visando mudar a frota para ônibus elétricos ou movidos a energia solar, uma vez que isso já acontece na Europa e em algumas capitais do nosso país.

Deixe uma resposta