Somente 21% das linhas de ônibus no Rio de Janeiro rodam como deveria ser e 35% estão inoperantes

Audiência discutiu paralisações e mudanças de linhas

Declaração é da secretária de Transportes da cidade, Maina Celidônio, que promete rever o sistema

ADAMO BAZANI

A Secretária Municipal de Transportes do Rio de Janeiro, Maina Celidônio, apresentou nesta sexta-feira, 17 de setembro de 2021, em audiência pública da Comissão de Transportes e Trânsito, na Câmara Municipal, dados de um levantamento feito pela pasta sobre a situação das linhas de ônibus na cidade.

De acordo com a apresentação, as operações por parte das empresas estão longe do ideal.

Das 493 linhas regulares, somente 21,7%, ou 107, operaram como deveria ser em relação a frota e cumprimento de partidas e itinerários.

Já 35,2%, o que significa 174 linhas, estão inoperantes, mas a paralisação não foi autorizada pela prefeitura.

Outras 212 linhas, que somam 43,10%, estão operando com frota e frequência abaixo do determinado.

Os dados, de acordo com a chefe da pasta, foram obtidos por meio da comparação entre o sistema de GPS dos ônibus e as ordens de serviço às empresas.

A secretária admitiu que a demanda de passageiros caiu de forma sensível por causa da pandemia de covid-19, mas ressaltou que antes mesmo de propagação da doença, os ônibus já estavam perdendo passageiros.

Maina Celidônio destacou que haverá ajustes na operação e que a prefeitura busca readequar o sistema.

A secretária citou também que a licitação de bilhetagem eletrônica deve trazer mais transparência e melhorar a gestão.

Como mostrou o Diário do Transporte, em 21 de julho de 2021, apresentou o novo modelo de bilhetagem eletrônica que deve ser implantada no sistema de transportes da cidade após uma licitação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/07/21/rio-de-janeiro-anuncia-licitacao-para-bilhetagem-eletronica-dos-transportes-publicos-e-preve-fim-do-uso-de-dinheiro/

BRS:

A secretária prometeu na audiência que até 2024, que devem ser implantados em torno de 170 quilômetros de BRS (Bus Rapid Service), que são faixas exclusivas para ônibus commm ultrapassagens

O primeiro novo BRS dever entrar em operação na Rua São Francisco Xavier até o fim do ano.

RIO ÔNIBUS

O Diário do Transporte procurou o Rio Ônibus, que representa as empresas, mas a entidade preferiu não se pronunciar

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta