SPTrans implanta compartilhamento de guinchos entre empresas de ônibus da capital para liberar vias de forma mais rápida

Guinhco da empresa Transppass, uma das concessionárias da cidade

Modelo de operação é previsto em contrato assinado com as viações; Guincho de uma companhia vai poder atender ônibus de outra empresa; Ao todo, são 42 veículos

ADAMO BAZANI

A partir do dia 23 de agosto de 2021, entra em operação na cidade de São Paulo um esquema de compartilhamento de socorro e remoção de ônibus imobilizados nas vias, coordenado pela SPTrans (São Paulo Transporte) e operado pelas empresas concessionárias das linhas municipais.

Será formada uma espécie de “pool” com 42 guinchos das viações pelo qual, uma empresa vai usar seu guincho para socorrer ônibus de outra empresa concessionária se estiver mais próximo.

Os guinchos não vão ficar apenas nas garagens de ônibus, mas em pontos estratégicos da cidade (Veja mais abaixo como será o esquema operacional)

O modelo de operação é previsto nos contratos assinados em setembro de 2019 com as empresas de ônibus que preveem um novo sistema de ônibus que está sendo implantado gradativamente.

Até então, um guincho só removia o ônibus da própria empresa.

Às vezes ocorria colaboração entre as companhias, mas a prática não era institucionalizada.

Circulares da SPTrans para as empresas de ônibus avisando da mudança foram enviadas nesta quarta-feira, 18 de agosto de 2021.

Segundo a SPTrans, em nota ao Diário do Transporte, com a medida, será possível agilizar o atendimento a veículos em necessidade de socorro mecânico, reduzindo o tempo de remoção e, assim, melhorando as condições de deslocamento na cidade.

COMO FUNCIONARÁ:

Ao Diário do Transporte, a SPTrans detalhou, por meio de nota, como vai ser a operação.

No plano estabelecido com as operadoras, foi definida uma logística de distribuição de 42 guinchos, operados por profissionais capacitados e munidos de equipamentos de radiocomunicação, estacionados em locais determinados de forma estratégica, otimizando a área de atendimento de todo o conjunto, em pontos de fácil acesso a vias importantes da cidade. Desta forma, em caso de emergência, seja possível prestar auxílio imediato, desobstruindo o viário e removendo o veículo para local adequado.

O atendimento nos pontos estratégicos será disponibilizado nos dias úteis, das 5h30 às 9h e das 16h30 às 20h. Nos demais períodos e dias os guinchos devem permanecer à disposição, podendo a qualquer tempo ser acionados para atendimento de ocorrências.

Os guinchos do “pool” deverão estar em plenas condições de operação e rastreabilidade, frisando-se que, eventual impossibilidade de alocação desses veículos, o Centro de Operações – COP, da SPTrans, deverá ser informado imediatamente pelos canais de contato habitualmente utilizados pelas operadoras.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta