Viação Paraty assume cinco linhas intermunicipais na região de Jaú por delegação da Artesp

Ônibus da Viação Macari em Boracéia (2017). Foto: Rodney Cruz / Ônibus Brasil

Ligações envolvem as cidades de Barra Bonita, Dois Córregos, Boracéia, Itapuí e Jaú

ALEXANDRE PELEGI

O Conselho Diretor da Agência de Transporte de São Paulo – ARTESP delegou à Viação Paraty, em caráter de urgência e sob o regime de Autorização pelo prazo de 180 dias, os serviços de operação de cinco linhas de transporte coletivo intermunicipal de passageiros na região de Jaú, interior de São Paulo.

As linhas de característica rodoviária estão a cargo atualmente da Empresa de Ônibus Macacari Ltda.

A autorização concedida à Paraty poderá ser prorrogada por mais 180 dias, afirma a Artesp.

As linhas delegadas são as seguintes:

= entre Jaú e Boracéia (Autos 4692/DER/1963),

= entre Jaú e Dois Córregos (Autos 7067/DER/1972),

= entre Jaú e Dois Córregos (Autos 8533/DER/1978),

= entre Barra Bonita e Dois Córregos (Autos 8534/DER/1978),

= e linha entre Jaú e Itapuí (Autos 8587/DER/1978).


PARATY X MACARI

Como mostrou o Diário do Transporte, desde 24 de maio o transporte urbano no município de Jaú foi assumido pela Viação Paraty.

Isso ocorreu devido à desistência da Viação Macacari, que há 60 anos operava o serviço na cidade.

Após a desistência, foi aberto o processo licitatório emergencial, vencido pela Paraty, que já havia assumido emergencialmente as linhas intermunicipais e o transporte escolar de Jaú. A operação substituiu o atendimento que também era prestado pela empresa Macacari. Relembre: Viação Paraty assume emergencialmente linhas intermunicipais e transporte escolar de Jaú (SP)

No final de dezembro de 2020 a prefeitura de Jaú assinou contrato com a Paraty concedendo por 15 anos a prestação dos serviços de transporte público no município.

HISTÓRIA DA MACACARI

(por Jessica Marques)

A empresa Auto Ônibus Macacari Ltda surgiu nos anos 1960, quando o filho mais velho do casal Adelino Macacari e Maria Volpato Macacari, Laurindo, dirigia um único ônibus que fazia uma linha intermunicipal entre as cidades de Jaú e Dois Córregos, passando por Mineiros do Tietê.

Os proprietários do ônibus e detentores da permissão da linha decidiram mudar-se para a capital paulista, permitindo a compra do itinerário. Segundo informações da própria empresa, Adelino injetou recursos financeiros para ampliar o negócio.

Mais tarde, foi criada uma linha urbana que percorria o trecho único entre o Mercado Municipal e a Estação Ferroviária, chamada Fepasa na época, para levar os passageiros de Jaú ao trem.

Em 1966, segundo a empresa, na gestão do então prefeito de Jaú Décio Pacheco de Almeida Prado, foi implantado o transporte coletivo urbano definitivo na cidade, chamado de Circular Cidade de Jaú, operado pela Macacari,

Poucos anos depois, a empresa passou a operar nas linhas intermunicipais entre Barra Bonita e Dois Córregos, passando por Mineiros do Tietê, Jaú e Dois Córregos, via Guarapuã. Posteriormente, adquiriu a Viação Vale do Tietê.

Em 1982, a Prefeitura de Jaú solicitou a implantação da linha municipal entre a cidade e o Distrito de Potunduva. Neste período, a empresa também iniciou os serviços na área de turismo.

Começando com um Caio Gaivota, a empresa transportou passageiros em Diplomatas, Corcovados e, mais recentemente, nos Marcopolo Paradisos e veículos de dois andares.

Confira alguns veículos da empresa:

973b0cf106c7657745cc95769d2a8959

historia1historia2historia4historia5.jpghistoria6

HISTÓRIA DA VIAÇÃO PARATY

Diário do Transporte esteve na garagem da Viação Paraty em Araraquara, no interior de São Paulo, para conhecer a história da empresa e os detalhes da operação e frota atual.

Relembre: HISTÓRIA: Raridades e trajetória da Viação Paraty

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta