Artesp multa 79 ônibus em força-tarefa em 13 terminais do Estado de São Paulo

Foram encontradas diversas irregularidades em itens relacionados à segurança, falta de higienização, elevadores sem operação e documentação vencida. De acordo com a Artesp, apenas no primeiro semestre de 2021, 1.025 coletivos foram autuados e 240 notificados por irregularidades

ADAMO BAZANI

A Artesp, agência que regula os transportes no estado de São Paulo, realizou nesta semana uma força-tarefa de fiscalização em 13 terminais de ônibus em diferentes regiões e diz ter encontrado diversas irregularidades nos veículos e guichês das empresas operadoras das linhas.

Ao todo, foram 150 veículos vistoriados, 67 deles na capital e 83 no interior. No total, 79 autuações e oito notificações foram emitidas.

Segundo a agência, nos ônibus foram encontrados problemas como laudos de vistoria vencidos, existência de assentos com defeito no veículo, atrasos no início da viagem, modificação de horários de viagem sem a autorização da ARTESP, ausência da tabela de horários e preços dentro dos veículos, constatação de falta de higiene adequada nos ônibus e plataforma elevatória inoperante.

Os trabalhos iniciaram na terça-feira, 27 de julho de 2021, nos terminais Tietê, Jabaquara, Barra Funda, Campinas, Atibaia, Catanduva, Charqueada, Franca, Limeira, Piracicaba, Rio Claro, Santos e Sorocaba, onde o movimento estava mais intenso, segundo a Agência.

Também foram inspecionados 32 guichês e nestes espaços, os fiscais relataram encontrar problemas como tempo de espera na fila, número de atendentes em serviço e oferta de seguro facultativo. A infração mais cometida, ainda de acordo com a Artesp, foi a de não exposição da tabela de horários, preços e avisos obrigatórios  os terminais de atendimento aos passageiros.

MAIS DE MIL ÔNIBUS AUTUADOS

De acordo com a Artesp, apenas no primeiro semestre de 2021, 1.025 foram autuados e 240 notificados por irregularidades que puderam ser identificadas pelos agentes no momento da inspeção.

Ao todo, foram fiscalizados 37.407 mil veículos.

Por meio de nota, a Artesp diz que cada verificação dos ônibus dura em torno de 10 minutos e a higienização dos ônibus por causa da covid-19 também é analisada:

A vistoria completa em cada veículo dura cerca de 10 minutos – quando são conferidos o estado de itens como para-brisa, cintos de segurança, estepe, extintor, pneus, entre outros. Além disso, são checados documentos do veículo, autorizações necessárias para circulação, o próprio cadastro para operação junto à Agência e a declaração de vistoria do ônibus, a carteira de habilitação do motorista. Os fiscais da ARTESP costumam inspecionar no mínimo dez veículos por terminal a cada dia de fiscalização.

Quando identificada alguma irregularidade durante a fiscalização, a empresa é autuada. Em alguns casos, constatados a ausência ou o vencimento da declaração de vistoria, ou até mesmo a inexistência de cadastro junto à ARTESP, o veículo é removido ao pátio de imediato, até que seja devidamente regularizado e só depois volte a circular. Caso algum item de segurança esteja em desacordo, o veículo é retido e substituído por outro que esteja dentro das especificações e, assim, possa continuar a viagem. Nestes casos, os passageiros são desembarcados e reembarcados no novo veículo e o carro autuado é recolhido à garagem, para que possa se adequar às exigências antes de uma nova viagem.

Por conta da pandemia da covid-19, as empresas cadastradas também devem seguir protocolos de higiene sanitária durante as viagens, repassando aos passageiros a orientação para o uso de máscara e álcool em gel. Outra orientação dada pela equipe de fiscalização da ARTESP às empresas cadastradas é que realizem a higienização do veículo antes do início de uma nova viagem.

“Nosso principal objetivo com essa ação é fiscalizar itens de segurança, documentação, cumprimento de protocolo sanitário e de agenda de horários de partidas,  visando sempre assegurar os direitos dos passageiros que utilizam o transporte rodoviário” afirma Silvio Aparecido de Sousa, Coordenador de Fiscalização da Diretoria de Procedimentos e Logística (DPL) da ARTESP.

“A missão da ARTESP é equilibrar os direitos do usuário com a prestação de serviço do permissionário, prevalecendo sempre a priorização da segurança dos passageiros, pois tratamos do transporte de vidas humanas”, afirma Reonaldo Raitz Leandro, superintendente de fiscalização da Diretoria de Procedimento e Logística da Agência, ao lembrar que “o trabalho é feito em prol da segurança de todos, para garantir transporte intermunicipal seguro, higiênico e confortável em todo o Estado”, complementa.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Campos de Sá disse:

    Utilizei um ônibus da Lira Bus de Campinas para São Paulo recentemente e o ônibus não tinha álcool em gel disponível , bancos quebrados , motorista sem identificação adequada , ar condicionado quebrado e sujo , tudo errado , reclamei no SAC , a Artesp tem que fiscalizar mesmo , muita irresponsabilidade de várias empresas , não só a Lira mais outras empresas também . Só faltou a divulgação das empresas autuadas , seria importante o usuário saber .

  2. Mario disse:

    No terminal de Piracicaba a iluminação é muito fraca é terrivelmente violento em volta do terminal.

Deixe uma resposta