Anac aprova minuta conclusiva para People Mover entre linha 13 e Aeroporto de Guarulhos

Documento lido pelo relator e aprovado por unanimidade inclui proposta de Aeromovel, tecnologia brasileira e que terá veículos fabricados pela Marcopolo Rail

ALEXANDRE PELEGI

Em reunião deliberativa realizada nessa terça-feira, 27 de julho 2021, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) finalmente aprovou por unanimidade a alteração do Contrato de Concessão da Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A. autorizando aditivo contratual referente à ligação por trilhos da linha 13-Jade da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) aos terminais 1,2 e 3 de passageiros do Aeroporto.

O sistema de ligação proposto para o People Mover (sistema visualmente parecido com monotrilho) consta da minuta de aditivo aprovada pela diretoria da Agência, constante do processo nº00058.028637/2019-13.

O Relator Tiago Pereira descreveu as tratativas entre as partes, descrevendo que a minuta ao contrato foi apresentada pela área técnica da Anac, “redigida primordialmente a partir de negociações tendentes ao consenso entre a área técnica e a concessionária”.

Mais importante, em seu voto o relator cita que a aprovação do aditivo incluiu estudo apresentado pelo consórcio AeroGru à concessionária.

O consórcio AeroGRU reúne as empresas Aerom (do Aeromovel), HTB, FBS e TSEA além da parceria com a Marcopolo Rail, que fabricará os veículos.

Cabe lembrar que para respaldar a necessidade de implantação do Automated People Mover (APM) no Aeroporto de Guarulhos, o ministro Vital do Rêgo, do Tribunal de Contas da União (TCU), recebeu estudos da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) no final de março. Estes documentos defendiam a adoção do Aeromovel, projeto do consórcio AeroGRU.

A reunião decidiu que para a assinatura do aditivo as mudanças propostas devem ter o aval do Ministério da Infraestrutura e do TCU (Tribunal de Contas da União).

CONSULTORIA

Uma consultoria apresentou estudos defendendo a tecnologia do Aeromovel. Trata-se da Jakes Associates, empresa americana que atua nesse segmento. Este estudo foi encaminhado à Secretaria Nacional de Aviação Civil no final de março de 2021, e depois entregue ao ministro Vital do Rêgo do TCU para sua análise.

Em defesa do Aeromovel como o sistema mais apto a transportar passageiros entre terminais, o relatório da Jakes Associates afirmou que o sistema pneumático do modal “oferece várias vantagens distintas e principais em relação ao sistema acionado por cabo”, outra tecnologia concorrente apresentada à concessionária GRU Airport.

O estudo da consultoria detalha que os sistemas de propulsão pneumática “oferecem maior confiabilidade, flexibilidade de rede e custos operacionais e de manutenção significativamente reduzidos em relação aos de cabos. No entanto, existe um contraste mais nítido, observando que o veículo do sistema por cabos é sempre dependente de uma roda guia anexada a ele para uma determinada porção da via”.

Em termos simples, não há riscos comerciais ou técnicos associados à maturidade do Aeromovel, pois o sistema de propulsão pneumática foi testado e demonstrado por mais de 50 anos”, garantiu o estudo da Jakes Associates.

ENGENHARIA NACIONAL

Em fevereiro deste ano, o Instituto de Engenharia (IE), ao lado de outras entidades do setor de transporte, enviou um documento para o Ministério da Infraestrutura cobrando uma maior agilidade para início das obras deste transporte, demonstrando uma preocupação com os atrasos e aumento nos custos da obra.

Ivan Whately, diretor de Engenharia do IE, destaca que a força do Relatório Técnico elaborado e encaminhado ao Ministério da Infraestrutura, à Secretaria Nacional de Aviação e ao TCU foi decisiva. “A nossa reivindicação foi assinada pelo presidente do Instituto, Eduardo Lafraia, e endossada pelos presidentes das entidades do setor: SIMEFRE, ALAF, ANTP, AEAMESP e  ABIFER”, afirma Ivan.

Relembre:

Entidades da Engenharia nacional cobram Governo Federal por atrasos na implantação do People Mover do aeroporto de Guarulhos

O governador João Doria tinha anunciado em 28 de maio de 2019 que a linha 13 Jade da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos seria ligada aos terminais por meio de um meio de transporte que tem semelhança com o “monotrilho”. Trata-se de um APM – Automated People Mover. Este tipo de sistema, que conta com guias laterais e condução autônoma, é habitualmente usado em pequenas distâncias e demandas restritas.

Atualmente, quem desembarca dos trens é transportado por ônibus cedidos pela concessionária do aeroporto GRU Airport.

As obras começariam em setembro de 2019 e, pela promessa inicial, deveriam ter sido entregues em maio de 2021

A extensão será de 2,6 km com ambas vias acessadas simultaneamente pelos passageiros. Serão quatro paradas (estação CPTM, terminal 1, terminal 2 e terminal 3). O tempo de trajeto será de seis minutos, de acordo com o anúncio.

Os investimentos serão da concessionária do Aeroporto Internacional de São Paulo, GRU Airport, e serão abatidos da outorga de concessão, segundo as tratativas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rubens Torres disse:

    vamos ver se será gratuito para trabalhador do aeroporto , ou sera somente para os gringos , sendo que o povo que da lucro para a cidade falida e o próprio morador. esse prefeito lixo , não olha nem as 2 linhas de ônibus que deveria ter um ponto de ônibus junto aonde fica esse ônibus da GRU Airport , os ônibus passam longe daí , então esse ônibus da GRU Airport vai lotado de funcionários e passageiro .

Deixe uma resposta