Eletromobilidade

Cresce mercado de veículos elétricos no Brasil; furgão BYD eT3 foi o mais emplacado

ABVE aponta que mês de junho acusou crescimento de 13% em relação ao mês anterior, com 3.507 novos elétricos no país

ALEXANDRE PELEGI

Apesar das dificuldades da economia e da falta de estímulos governamentais, os veículos elétricos vêm ganhando espaço no mercado brasileiro.

Balanço da Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE) mostrou que no primeiro semestre de 2021 o crescimento das vendas foi de 84% em relação ao ano anterior. Isso representa em números o emplacamento de 13.899 novos veículos. Em junho, os 3.507 emplacamentos representaram crescimento de 13% em relação a maio.

O veículo elétrico mais emplacado no país foi um comercial leve, o Furgão BYD eT3. Este dado é uma novidade. Em junho, a BYD emplacou 82 furgões desse modelo, todos destinados à TB Green, empresa de soluções integradas de locação de frotas verdes, fornecimento de mão de obra e gestão de resíduos e limpeza urbana.

Estes veículos serão operados por empresas de e-commerce focadas na logística verde em São Paulo e no Rio de Janeiro.

O Diretor Geral da TB Green, Carlos Roma, acredita que a adoção dos 100% elétricos será inicialmente puxada por corporações que busquem de fato cumprir com o ESG. A sigla, do inglês Environmental, Social and Governance, reúne o conjunto de práticas ambientais, sociais e de governança realizadas por empresas.

Além disso, o executivo da TB Green acredita que a adoção dos elétricos terá à frente empresas que tenham aplicações de serviço 24/7. Ou seja, que operem 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Roma completa: “Serão empresas que estejam abertas para abastecê-los com energias limpas como a fotovoltaica, e que aqui na TB Green chamamos de projeto ‘Sun to Wheel’. Não é apenas o veículo elétrico, formamos internamente os Green Pilots que pertencem às minorias sociais, dirigem de forma eficiente e dão exemplo de cidadania e comportamento correto no trânsito“.

O diretor de Marketing e de Sustentabilidade da BYD, Adalberto Maluf, destaca que se de um lado, governos locais criam incentivos para a logística verde, “de outro, as empresas vêm fortalecendo sua agenda ESG, com a mobilidade elétrica sendo uma das melhores formas de reduzir emissões e construir um ambiente urbano mais limpo e saudável a todos.”

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta