Governo do Estado abre crédito de R$ 68 milhões para complementar recursos da CPTM

No ano já ocorreram outras transferências para manter a operação e pagar salários da empresa

ADAMO BAZANI

O governo do Estado de São Paulo publicou neste sábado, 03 de julho de 2021, abertura de crédito que transfere R$ 68,3 milhões (R$ 68.385.151,00) para a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

O dinheiro virá do Tesouro Estadual e será usado para complementar o orçamento da Estatal.

Outros remanejamentos deste tipo já foram feitos neste ano, como em 05 de junho, quando o Diário do Transporte noticiou a transferência de R$ 53 milhões.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/06/05/governo-doria-abre-credito-de-r-58-milhoes-para-bancar-despesas-com-funcionarios-da-cptm/

A CPTM tem recebido, nos últimos anos, verbas estaduais para o pagamento de suas despesas de pessoal e custeio, o que a enquadra como uma “empresa estatal dependente”.

A dependência financeira vem do fato da política tarifária praticada ser estabelecida pelo Governo Estadual, por meio da Secretaria dos Transportes Metropolitanos – STM, que determina as normativas de gratuidades legais e a estrutura tarifária de integração intermodal, com o objetivo de garantir acesso ao transporte às diversas classes sociais.

No relatório de informações contábeis apresentado pela Companhia referente ao primeiro trimestre de 2021, já se pode ler logo na abertura que a estatal vem apresentando prejuízos sucessivos. De janeiro até 31 de março de 2021 este prejuízo alcançou R$ 22,77 milhões.

No mesmo relatório, o texto chama a atenção para “a necessidade de recursos de seu acionista controlador (Fazenda do Estado de São Paulo), para fazer frente ao Programa de Investimentos da Companhia, previsto no Plano Plurianual (PPA) e a Lei Orçamentária Anual (LOA)”.

Até 31 de março de 2021, foram efetuados à Companhia os repasses financeiros pela Fazenda do Estado de São Paulo, acionista controlador da Companhia, na ordem de R$ 460.819, sendo R$ 158.931 de aportes para investimentos e R$ 301.888 de aportes para subvenção.

A segunda onda da pandemia da Covid-19 teve efeitos diretos sobre a arrecadação tarifária.

A retomada da demanda que fora observada ao longo do 2º semestre de 2020, em que se alcançou um número de passageiros transportados ao redor de 1,7 milhões por dia útil no último trimestre, não se manteve “em função da necessidade de adoção, pelo Poder Público, de novas medidas de restrição de atividades a partir de fevereiro de 2021, sendo que o patamar em março de 2021 ficou em 1,3 milhão de passageiros/dia útil”, afirma a Companhia.

No que diz respeito à oferta de serviço, esta se manteve em patamar estável frente ao observado em 2020, para “proporcionar um maior distanciamento social aos passageiros, inclusive com a retomada do Expresso Linha 10 – Turquesa”.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Uma pena já que só estado é controlador da companhia, sendo que o mais interessado é o passageiro, que precisa do transporte. Com mudanças de gestão a cada 4 anos, vem um novo presidente, um novo governador e estes nem sempre tem conhecimento sobre. Os atuais eu vejo pouco menos de atitude e consenso em controlar as contas, as vezes envolvidos em brigas politicas, ocasionada em outro local fora do estado. O governador nomeia um “amigo” por conveniência a mando de um “amigo dileto”, ou até procura ver com conhecido político alguém que possa ser gerente de uma estatal, sem sequer conhecer a área de transporte, já que a CPTM a cada ano vem se transformando em diversos setores, que pedem gente com tarimba para melhorar cada vez mais. E no fim se não tem pessoas gabaritadas, enquanto quem está dentro (estáveis) ousa a depreciar a companhia, dilapidar patrimônio, o povo que paga fica na mão (CASO BEM INFORMADO SOBRE A CBTU-SP). Porisso que seria de bom grado, até mesmo o governo sentar numa mesa com representantes do povo e apresentar as contas. Na ultima vez que vi o balanço o deficit (ativo-passivo) estava em 65 milhões, isso há 10 anos atrás!!!

Deixe uma resposta