Polícia Civil intima ao menos 26 pessoas em investigações sobre vandalismo contra ônibus em terminais na capital paulista

Ônibus tendo de ser socorrido na região do Parque Dom Pedro II no dia 14 de junho após ser vandalizado

Em dois dias de ação, três terminais foram afetados e dezenas de linhas paralisadas; Parte das pessoas que foram ou serão ouvidas atua ou atuou como empregados em garagens do sistema

ADAMO BAZANI

O 1º DP (Distrito Policial) da capital paulista intimou a prestar esclarecimentos pelo menos 26 pessoas nas investigações de três atos de vandalismo contra ônibus na cidade de São Paulo.

Outras ainda podem ser chamadas.

Ainda não há uma conclusão sobre as motivações dos ataques, mas a polícia já sabe que os suspeitos possuem algum tipo de relação com sistema de ônibus municipais, em especial, entre trabalhadores do setor.

O Diário do Transporte teve acesso à relação de intimidados.

Para não atrapalhar as apurações e pelo fato de as pessoas ainda estarem na condição de averiguadas, os nomes não serão divulgados.

De acordo com as investigações, parte das pessoas que foram ou serão ouvidas atua ou atuou como empregados em garagens do sistema.

Algumas delas não estão mais empregadas no ramo de transportes, mas não se afastaram totalmente do setor e estão presentes entre funcionários do sistema.

Os policias também, entre as linhas de investigação, verificam se há questões de cunho trabalhista entre as possíveis motivações.

Os ataques aconteceram no início da manhã dos dias 14 e 28 de junho de 2021.

No dia 14, ônibus foram vandalizados na região do Terminal Parque D. Pedro II, no centro da cidade.

Um grupo parou os coletivos no viaduto Diário Popular e esvaziou os pneus, além de cortar as correrias dos motores.

Alguns ônibus tiveram de ser guinchados.

Já no dia 28, em ação bem semelhante, ônibus e trólebus foram parados na região dos terminais São Mateus, na zona leste, e Pinheiros, na zona Oeste.

Houve também corte de correias de motores e esvaziamentos de pneus. Um coletivo também teve um dos vidros trincados.

No mesmo dia, por volta das 7h, um grupo atacou dois veículos, sendo um na Av. Ragueb Chofhi com a Av. Aricanduva e o outro na mesma avenida com a Av. Jacu Pêssego, na zona Leste. Ambos tiveram os pneus esvaziados.

Em ambas as ocasiões, parte dos envolvidos nos ataques demonstram conhecimento das linhas atacadas e das configurações dos ônibus.

O Sindmotoristas, que é o sindicato dos motoristas e cobradores, nos dois episódios negou por meio de nota qualquer envolvimento e disse ter sido pego de surpresa assim como ter repudiado as ações.

A SPTrans (São Paulo Transporte), que gerencia o sistema, disse nos dias, também por nota, que repudia atos de vandalismo e contata a Polícia Militar em tais circunstâncias.

Já o SPUrbanuss, sindicato que reúne as empresas de ônibus, informou nas ocasiões, que todas as companhias de transportes registram boletins de ocorrência nestes tipos de casos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários