Eletromobilidade

Plano de Metas SP 2021-2024 promete 2,6 mil ônibus elétricos, dois BRTs, 40 km de corredores e 50 km de faixas exclusivas

Até o fim da atual gestão prefeitura pretende aumentar em 420 quilômetros a extensão de vias atendidas pelo sistema de transporte coletivo gerenciado pela SPTrans

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, entregará nesta quinta-feira, 1º de julho de 2021, o Plano de Metas 2021 – 2024 da cidade para o presidente da Câmara Municipal, vereador Milton Leite.

O documento, após proposta da prefeitura apresentada no início de abril deste ano, passou por uma séria de audiências públicas. Ele organiza as prioridades do município durante os quatro anos de gestão. O texto completo foi publicado na edição do Diário Oficial do Município desta quinta (1º).

“O resultado é um documento com a pactuação de 6 eixos temáticos, 27 objetivos estratégicos, 77 metas e seus respectivos indicadores e 303 iniciativas”, diz a publicação.

Os seis eixos temáticos são:

SP Justa e Inclusiva – foco na redução da pobreza e diminuição das desigualdades sociais

SP Segura e Bem Cuidada e SP Ágil – voltados às demandas de zeladoria, ampliação da segurança urbana e aperfeiçoamento do sistema de transportes municipal

SP Inovadora e Criativa – estimula e fomenta a economia criativa e a cultura como indutores econômico, em especial para as juventudes.

SP Global e Sustentável – conjunto de metas e iniciativas que buscam dar respostas imediatas, zelando pelas gerações futuras e buscando posicionar São Paulo junto a outras cidades globais no cumprimento das diretrizes internacionais de sustentabilidade e promoção da qualidade ambiental do Município.

SP Eficiente – traz compromissos fundamentais para o reforço da transparência e fortalecimento da máquina pública.

O setor de Transportes está contemplado no terceiro e no quinto Eixo do Plano: SP Ágil e SP Global e Sustentável.

METAS DA ÁREA DE MOBILIDADE E TRANSPORTE

O Eixo SP Ágil tem como Objetivo Estratégico “atingir grau de excelência em segurança viária, com foco na diminuição do número de sinistros e de vítimas fatais no trânsito”.

Uma de suas Metas (nº 39 do Plano) é a de “reduzir o índice de mortes no trânsito para 4,5 por 100 mil habitantes”.

Dentre as várias iniciativas previstas, estão garantir que todos os ônibus do sistema de transporte público municipal tenham adesivos indicando locais de pouca visibilidade (pontos cegos) para o condutor; Implantar 2.800 novas faixas de travessia para pedestres; Implementar ações de aumento do tempo de travessia para os pedestres nos semáforos e intensificação da fiscalização de trânsito; reduzir a velocidade máxima regulamentada de 50 km/h para 40 km/h em 24 vias; implantar 200 projetos de avanço de calçada ou construção de ilhas e refúgios em locais de travessia de pedestres, com o objetivo de reduzir a distância da travessia e, com isso, a exposição a atropelamentos; instituir regulamentação sobre a prestação de serviços de entregas com motocicleta e bicicleta por empresas que operam com aplicativos.

As Metas de nº 40 a 43 visam estimular a mobilidade ativa (pedestres e bicicletas), com a manutenção de 1.500.000 metros quadrados de calçadas e a implantação de 300 quilômetros de estruturas cicloviárias, dentre outras iniciativas.

Já a Meta 44 refere-se à implantação do Sistema de Transporte Público Hidroviário na represa Billings, chegando ao ponto de construir atracadouros integrados a terminais de ônibus para embarque e desembarque na rede de transporte público hidroviário.

ÔNIBUS: BRT, NOVOS CORREDORES E FAIXAS, ELÉTRICOS

Sobre o sistema de transporte público por ônibus, a Meta 45 é a mais específica, pois é a que se refere diretamente à implantação de corredores no modelo BRT (Bus Rapid Transit) na Avenida Aricanduva e na Radial Leste.

Já a Meta 46 propõe viabilizar 40 quilômetros de novos corredores de ônibus, com a extensão, em quilômetros, de trechos com obras iniciadas em novos corredores.

São os seguintes corredores:

a) Corredor Itaquera-Líder;

b) Corredor Celso Garcia;

c) Corredor Itaim – São Mateus;

d) Corredor Miguel Yunes;

e) Corredor Nossa Senhora do Sabará.

A Meta 47 promete implantar quatro novos terminais de ônibus:

a) Terminal Jardim Miriam;

b) Novo Terminal São Mateus;

c) Novo Terminal Itaquera;

d) Terminal Itaim.

E a Meta 48 afirma que a prefeitura até 2024 implantará outros 50 quilômetros de faixas exclusivas de ônibus, sem definir locais ou regiões.

A Meta 49, de forma geral, promete aumentar em 420 quilômetros a extensão de vias atendidas pelo sistema de ônibus. E além disso:

= Construir a conexão de transporte público João Paulo I;

= Construir a conexão de transporte público Jaçanã;

= Construir a conexão de transporte público Tremembé;

= Construir a conexão de transporte público Mandaqui; e

= Construir a conexão de transporte público Praça Acuri.

ÔNIBUS ELÉTRICOS

A Meta 50 garantir que 100% dos ônibus estarão equipados com acesso à internet sem fio e tomadas USB para recarga de dispositivos móveis e que ao menos 20% da frota será composta por ônibus elétricos.

Isso implica que 4.000 novos ônibus serão entregues para a frota do transporte público municipal, sendo que destes, ao menos 2.600 serão 100% elétricos.

QUESTÃO AMBIENTAL

A Meta 68 trata especificamente da questão ambiental, e propõe atingir 100% de cumprimento das metas individuais de redução da emissão de poluentes e gases de efeito estufa pela frota de ônibus do transporte público municipal.

As iniciativas em detalhes são:
a) Reduzir em 25% a emissão estimada de óxidos de nitrogênio pelo sistema de transporte público municipal;
b) Reduzir em 40% a emissão estimada de material particulado pelo sistema de transporte público municipal;
c) Reduzir em 12% a emissão estimada de dióxido de carbono pelo sistema de transporte público municipal;
d) Publicar três versões do inventário de emissões e remoções antrópicas de gases de efeito estufa;
e) Publicar relatórios técnicos anuais sobre a implementação do Plano de Ação Climática de São Paulo (PlanClima-SP).

(Clique nas imagens abaixo para ampliar)


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Ismael Junior disse:

    Agora vai mesmo ou é só conversinha como sempre?

  2. Rodrigo Zika disse:

    que eu me lembre o WIFI era pra ser implantando após a licitação fake, foi aprovada e a meta e ate 2024? que piada, e onde foi parar o projeto do BRT da Radial Leste alguém sabe?

Deixe uma resposta