Projeto da Alesp propõe isenção de pedágio para policiais militares e civis nas rodovias do estado

Rodoviária Barra Funda

Gratuidade valeria apenas para deslocamentos a trabalho

ALEXANDRE PELEGI

Um Projeto de Lei da Assembleia Legislativa de São Paulo pretende isentar do pagamento de pedágio nas rodovias estaduais uma série de profissionais da segurança pública.

O PL 421/2021 foi apresentado nesta terça-feira, 29 de junho de 2021, e será agora analisado nas Comissões temáticas da casa legislativa.

A isenção abrangeria policiais militares, policiais civis, policiais técnico científico, policiais penais e agente socioeducativo do Estado.

A gratuidade, no entanto, valeria somente em caso de deslocamento “in itinere”, de casa para o local de trabalho e vice-versa.

O autor do projeto, Major Mecca (PSL), justifica a isenção diante da necessidade que essas pessoas têm de se deslocar pelo Estado para o exercício de sua profissão, “o que acaba comprometendo excessivamente sua renda familiar”, diz ele.

Mecca dá como exemplo o sistema Anchieta-Imigrantes, em que os valores serão reajustados nas duas principais praças de cobrança de pedágio, Riacho Grande (KM 31da via Anchieta) e Piratininga (KM 32 da Imigrantes). “A tarifa é de R$ 28,00 para acessar a região da Baixada Santista, sendo que os valores mais altos estão nas estradas do sistema Anchieta-Imigrantes, as quais ligam o litoral à capital paulista”, explica o deputado.

Enquanto o aumento do pedágio, válido a partir desta quinta-feira (1º), tem como base a inflação do período, os agentes de segurança não recebem reajustes salariais. “Com o aumento da inflação ocorre um enorme prejuízo na vida financeira dos agentes e seus familiares”, conclui o autor do PL.

Para o deputado Mecca, o Governo “tem o dever de valorizar e reconhecer os agentes de segurança pública, por serem essenciais à população”.

Leia o texto do PL na integra, conforme publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira, 30 de junho de 2021.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Leonardo Silva disse:

    E eu, não serei beneficiado também? Oras, meu trabalho também é essencial, assim como todos os trabalhos são. Então por que fulando deve ter esse direito e o beltrano não? O certo é se todos pagam a conta fica menor para todos, mas se alguns não pagam são os demais que arcam com essa diferença.

  2. Wagner disse:

    Gostaria de saber quem o Pinodoria beneficiária, a não ser ele próprio. PSDB nunca mais , Fora de SP. Policiais sem aumentos há anos, a polícia civil sucateada com viaturas caindo aos pedaços, computadores antigos, internet que não funciona, falta de impressoras. Ohhh Dória , tu prometeu o melhor salário para a PC de SP e deu 5% de aumento sendo que 4% foi para a previdência. Você não tem caráter, não tem palavra , você não vale o que come, não vale nada, seu Lixo.

Deixe uma resposta