EMTU abre licitação para obras de implantação do Viaduto Carapicuíba no Corredor Itapevi-São Paulo

Trecho de obras do Corredor Itapevi-SP

Concorrência inclui duas paradas de embarque e desembarque e a elaboração do projeto executivo. Implantações farão parte integrante do Corredor Metropolitano no trecho Carapicuíba – Osasco

ALEXANDRE PELEGI

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) lançou nesta terça-feira, 1º de junho de 2021, aviso de licitação para a execução das obras de implantação do Viaduto Carapicuíba, parte integrante do Corredor Metropolitano Itapevi-São Paulo, localizado no trecho Carapicuíba – Osasco na Grande São Paulo.

O viaduto terá extensão de 2,2 km de viário e a empresa que vencer o certame deverá ainda implantar duas paradas de embarque e desembarque, bem como elaborar o respectivo projeto executivo.

A licitação inclui ainda a aprovação junto à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM do projeto executivo do muro e do viaduto e a obtenção da Licença de Instalação (LI) do Viaduto Carapicuíba junto à Cetesb.

A Sessão Pública para recebimento das propostas de preços e documentos para habilitação será realizada dia 05 de agosto de 2021 às 10h30min, no Auditório do CECOM da EMTU/SP, na R. Joaquim Casemiro, 290 – Planalto – São Bernardo do Campo.


O corredor Itapevi-São Paulo passará pelos municípios de Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba, Osasco e São Paulo. O traçado começa junto à Estação Itapevi, da CPTM, até Terminal Amador Bueno (Vila Yara), na divisa entre Osasco e São Paulo.

O novo sistema, com 23,6km de extensão, promoverá maior mobilidade à população por conta de sua integração com a rede metroferroviária.

Serão construídos novos terminais, estações de transferência, estações de embarque e desembarque e outras intervenções urbanas.

No trecho Carapicuíba – Osasco, no km 21, estão estão previstas duas estações de embarque e desembarque, um viaduto em Carapicuíba e alças de acesso, agora em fase de licitação.

O Terminal Luiz Bortolosso (Osasco – km 21) foi entregue em 2017, com seis plataformas, elevadores, escadas rolantes, banheiros e bilheterias.

Como mostrou o Diário do Transporte, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) e a prefeitura de Carapicuíba, na Grande São Paulo, firmaram um termo de cooperação para remoção e atendimento de famílias que ocupam áreas onde deve ser instalado o viaduto Carapicuíba que integra o corredor.

A estrutura vai interligar a avenida Desembargador Dr. Cunha de Abreu, o complexo viário da lagoa e o viaduto que liga Carapicuíba a Barueri.

Relembre:

EMTU, CDHU e prefeitura de Carapicuíba firmam convênio para atender famílias que serão removidas por corredor de ônibus

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Genivaldo disse:

    Um terminal que tinha tudo para ser perfeito, mas a falta de senso e empatia para com o usuário; não deixaram duas importantes formas de deslocamentos acessíveis, cito: O acesso direto a estação o que provoca um sobe e desce de escada e perca de tempo, o que poderia ser evitado com um acesso direto aos bloqueios e estação e evitaria e melhoraria o fluxo nas escadas para quem não iria pegar o o ônibus ou fosse apenas atravessar a passarela. O outro ponto é o deslocamento uma plataforma para a outra que só da acesso por escadas ou elevado, o que deveria ser livre com faixas lombadas … isso é um. desrespeito para com.o usuário.

    1. Aparecida Lina Diniz disse:

      Obra fake.

Deixe uma resposta