Contrato para Projetos de corredores de ônibus de Santo André é prorrogado por dois meses

Contrato foi firmado em março de 2020 com o Consórcio EGIS/TCRE/PLANAL e faz parte de financiamento do BID – Bando Interamericano de Desenvolvimento

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Santo André, no ABC paulista, publicou nas edições dos Diários Oficiais da União e do Estado desta terça-feira, 25 de maio de 2021, Extrato de Aditivo ao Contrato celebrado entre o Município e o Consórcio EGIS/TCRE/PLANAL para elaboração de projetos para implantação de corredores de ônibus na região central da cidade.

O aditivo prorrogou a vigência do Contrato por dois meses, ficando seu término estendido para 16 de julho de 2021.

O contrato somente envolve os projetos e não as obras e foi firmado em março de 2020 com o Consórcio formado pelas empresas Egis Internacional, EGIS Engenharia e Consultoria Ltda, TCRE Engenharia Ltda e Planal Engenharia Ltda.

Em outubro de 2020 a prefeitura assinou um termo aditivo não só aumentando o valor do contrato em R$ 161 mil (o valor total passou para R$ 861 mil), como estendendo o prazo de vigência por mais três meses – assim, o prazo para concluir o projeto básico foi para 16 de fevereiro de 2021 e a conclusão do projeto executivo passou 16 de maio 2021. Com o prazo vencido, a prorrogação pelo aditivo estendeu o noivo limite contratual para 17 de julho próximo.

Relembre:

Projetos de corredores de ônibus de Santo André ficarão R$ 169 mil mais caros com aditivo em contrato

Como mostrou o Diário do Transporte na ocasião da assinatura do contrato, os projetos fazem parte do financiamento do BID – Bando Interamericano de Desenvolvimento, que totaliza US$ 50 milhões, com aval do Governo Federal.

Relembre:

Santo André assina contrato para projetos de corredores de ônibus na região central

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Projeto, hum ! e quando sai do papel…? tá dificil,,,,meu buzanfã não aguenta tanta trepidação,,,,na Alfredo Fláquer,,,sem falar na General Glicério,,,,terrível….se até na Carijós foi feito pela propria secretariao de obras e mobilidade, por que agora contratar gente de fora?? pra ter mais problemas, enfrentar juizes embargando obras??

  2. Jose disse:

    Cd a licitação?
    Já acabou?
    Ninguém toca mais no assunto

Deixe uma resposta