CPI do transporte coletivo de Teresina é iniciada nesta segunda (10)

Processo está previsto para durar 120 dias, prorrogáveis por mais 60. Foto: Divulgação Câmara Municipal de Teresina/Reprodução Facebook.

Comissão vai investigar possíveis irregularidades e gargalos no sistema municipal de ônibus

WILLIAN MOREIRA

A Câmara Municipal de Teresina, no Piauí, começou nesta segunda-feira, 10 de maio de 2021, os trabalhos da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que vai investigar a possibilidade de irregularidades no transporte público da cidade.

O processo desta CPI deve durar 120 dias. Segundo a Câmara, será apresentado um relatório sobre a situação do setor durante este período, que pode ser estendido por mais 60 dias.

Os parlamentares da comissão devem ouvir representantes da Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito), motoristas, cobradores e membros da Prefeitura de Teresina, além de realizar audiências com o Ministério Público e Tribunal de Contas do Estado, o TCE.

GARGALOS DA CRISE

A comissão busca apontar também causas dos chamados “gargalos” que causaram a crise no transporte coletivo, passando por greves e problemas no atendimento à população.

No final de abril deste ano, a última greve realizada em 2021 afetou o atendimento na região norte de Teresina, com as empresas alegando crise no setor agravada pela pandemia.

Relembre:

Zona Norte de Teresina tem operação parcial do transporte coletivo

A CPI inclusive é bem vista pelo Setut (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano), pois pode esclarecer e elucidar os assuntos referentes ao sistema de transporte urbano de Teresina.

Relembre:

Sindicato das empresas de transporte de Teresina diz que CPI na Câmara é oportunidade para mostrar a grave crise do setor

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta