CPTM assina contrato para supervisão da implantação do sistema de suprimento de energia de tração da Linha 10

Companhia divulgou que Consórcio Superset L 10 assumirá os serviços por R$ 7 milhões, com prazo de 18 meses 

ALEXANDRE PELEGI

A CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos divulgou no Diário Oficial deste sábado, 1º de maio de 2021, a contratação do Consórcio Superset L 10 para realizar serviços técnicos especializados de engenharia para supervisão do fornecimento e instalação do sistema de suprimento de energia de tração da linha 10 – Turquesa.

O Consórcio Superset é composto pelas empresas Tekhnites Consultores Associados Ltda., Copem Engenharia Ltda., Focco Tecnologia e Engenharia Ltda. e Metroeng Engenharia Ltda.

A linha 10 liga a região central de São Paulo até a região do ABC Paulista, cruzando os municípios de São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.


LICITAÇÃO

A licitação foi lançada em 11 de julho de 2020, com a data da concorrência marcada para 17 de setembro daquele ano.

Foram habilitados para seguir na disputa três consórcios e duas empresas:

= Consórcio Supervisor Energia L10, composto pelas empresas Nova Engevix Engenharia e Projetos S/A., LBR Engenharia e Consultoria Ltda. e Hidroconsult Consultoria, Estudos e Projetos Ltda.

= Consórcio Superset L 10, composto pelas empresas Tekhnites Consultores Associados Ltda., Copem Engenharia Ltda., Focco Tecnologia e Engenharia Ltda. e Metroeng Engenharia Ltda;

= Consórcio SSE | Tração, composto pelas empresas Setec Hidrobrasileira Obras e Projetos Ltda., SGS Enger Engenharia Ltda. e Eltman Engenharia e Sistemas Ltda.;

= Concremat Engenharia e Tecnologia S/A; e

= Pólux Engenharia Ltda.

A Sessão Pública para abertura dos envelopes ‘B’ (proposta técnica) ocorreu no dia 04 de novembro de 2020, quando o Consórcio Superset, ao lado da empresa Pólux, obteve a nota máxima, ficando em primeiro lugar:

1º lugar: Consórcio Superset L 10 – NT: 100,00 (cem);

1º lugar: Pólux Engenharia Ltda. – NT: 100,00 (cem);

2º lugar: Consórcio Supervisor Energia L10 – NT: 99,65 (noventa e nove vírgula sessenta e cinco);

3º lugar: Concremat Engenharia e Tecnologia S/A – NT: 94,98 (noventa e quatro vírgula noventa e oito); e

4º lugar: Consórcio SSE | Tração – NT: 88,00 (oitenta e oito)

A sessão pública para abertura dos envelopes ‘C’ (proposta comercial) seria realizada no dia 12 de fevereiro de 2021, mas foi suspensa em razão da interposição de recurso administrativo contra o resultado da verificação e julgamento das propostas técnicas interposto pelo Consórcio SSE | Tração.

Com a negativa do recurso, a CPTM marcou a sessão para abertura das propostas comerciais para o dia 24 de fevereiro de 2021.

No julgamento final (ponderação entre técnica e preço), o Consórcio Superset L 10 ficou com Nota 100,00. Em 2º lugar veio a Pólux Engenharia Ltda, com Nota 99,78.

As demais licitantes tiveram as notas: Consórcio Supervisor Energia L10 – 96,75; e Consórcio SSE | Tração – 91,30.

No dia 05 de março, a Companhia comunicou a suspensão da licitação em razão da interposição de recurso administrativo contra o resultado final da licitação, novamente interposto pelo Consórcio SSE. Este recurso também foi negado, e no dia 06 de abril a Companhia finalmente homologou o resultado, declarando o Consórcio Superset L 10 como vencedor.

HISTÓRICO

Como mostrou o Diário do Transporte, o governo do estado de SP havia prometido em julho de 2019 que concluiria completamente a modernização da Linha 10-Turquesa até 2022. Relembre:

Gestão Doria diz que modernização da linha 10 Turquesa será plenamente concluída em 2022

Desde julho de 2019 a linha 10 conta com 18 composições mais novas, sendo 12 composições da série 7000, fabricadas entre 2009 e 2010, e 6 composições da séria 7500 que já estavam em circulação na linha, feitas entre 2011 e 2013.

Em dezembro de 2019 o conselheiro do TCE – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, Renato Martins Costa, advertiu a Companhia sobre a lentidão no cumprimento do cronograma das intervenções de fabricação, fornecimento e instalação das readequações e ampliação do sistema de suprimento de energia de tração das linhas 7 – Rubi (Brás/Luz/Francisco Morato/Jundiaí) e 10 – Turquesa (Brás/Tamanduateí/Santo André/Rio Grande da Serra). Relembre:

TCE adverte CPTM sobre lentidão nas obras de ampliação do sistema de suprimento de energia de tração das linhas 7 – Rubi e 10 – Turquesa

A empresa responsável pelos serviços é a Siemens Mobility Soluções de Mobilidade Ltda. (a denominação anterior era Consórcio Linhas Norte-Sul).

Segundo o relatório da corte de contas, haviam sido executados apenas 15,92% dos serviços após 83,33% do prazo contratual.

O contrato é de 2012, ficou paralisado e foi retomado em 01º de agosto de 2019.

O final da vigência do contrato estava previsto para 23 de janeiro de 2020.

Diário do Transporte apurou que a ampliação do sistema de suprimento de energia de tração das linhas 7 – Rubi e 10 – Turquesa é considerada essencial pela corte de contas para a melhoria dos serviços, implantação do novo sistema de controle de trens que pode aumentar o número de composições em operação ao mesmo tempo e diminuir os intervalos (CBTC) e para o aumento da velocidade dos trens, reduzindo o tempo de viagens.

Por meio de nota na época, a Siemens Mobility informou que o contrato teria um novo cronograma e que a retomada das intervenções seria apenas na linha 10-Turquesa.

“A Siemens Mobility informa que o referido contrato esteve suspenso entre 2015 e agosto de 2019 e passará por aditamento de prazo de acordo com um novo cronograma estabelecido pelas duas empresas. A empresa informa ainda que a retomada do contrato considera apenas as obras da linha 10”.

Em 25 de janeiro de 2020, a CPTM publicou no Diário Oficial do Estado um aditamento ao contrato. O objetivo foi prorrogar o prazo por mais 30 meses a partir de 21 de janeiro de 2020.

A nova Licitação agora inclui apenas a Linha 10. A CPTM informou que para a linha 7 os investimentos devem vir com a concessão do Trem Intercidades, que vai contemplar a ligação também.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta