Nova Faol notifica devolução do serviço à Prefeitura de Nova Friburgo (RJ)

Ônibus da empresa vão parar de operar na cidade após um mês. Foto: Divulgação/Nova Faol.

Executivo tem 30 dias para resolver situação do transporte coletivo, após notificação

JESSICA MARQUES

A empresa Nova Faol protocolou a devolução do serviço de transporte coletivo à Prefeitura de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro. A notificação foi realizada nesta quinta-feira, 15 de abril de 2021.

Conforme noticiado pela mídia local, no ato da entrega do ofício, a empresa se comprometeu a não paralisar o atendimento à população. Contudo, a Prefeitura tem um prazo de 30 dias para resolver a situação do transporte coletivo, após notificação. Após este período, a empresa interromperá o atendimento.

A empresa está prestando o serviço de transporte coletivo na cidade desde 2018 sem contrato de concessão com a Prefeitura. A decisão de devolver o atendimento ao Executivo foi tomada dez dias após o prazo comunicado à Câmara de Vereadores.

Em 1º de abril de 2021, a empresa entregou um ofício na Câmara informando sobre a intenção de parar de operar na cidade. A medida foi tomada pelo fato de não haver uma licitação, contrato emergencial ou mesmo um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta).

Na ocasião, a companhia pediu equilíbrio econômico para chegar ao que arrecadava quando transportava 745,5 mil passageiros por mês antes da pandemia. Para isso, sugeriu que a tarifa suba dos atuais R$ 4,20 para R$ 5,90.

Relembre:

Nova Faol notifica Câmara sobre desistência da operação em Nova Friburgo

Em 05 de abril de 2021, a empresa emitiu um comunicado à imprensa local com outro tom. Na ocasião, a Nova Faol informou que suspendeu temporariamente a intenção de deixar os serviços e que vai se esforçar para retomar o diálogo com a Prefeitura.

“Continuamos acreditando que somente através de um diálogo honesto e transparente entre as partes envolvidas, conseguiremos enfrentar responsavelmente a preocupante e temerária situação, com possíveis danosos prejuízos à digna população friburguense”.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Porque o poder público não assume tudo de vez?Acaba a m.rdhy@ dessas licitações viciadas e consequentemente a lavagem de dinheiro,a corrupção,a evasão de divisas e inibe todas e quaisquer práticas criminosas e ilícitas.Pronto.Simples assim.

  2. Elio Campos Milagres disse:

    Acho q essa empresa de ônibus tem q meter o pé de Friburgo mesmo, ela presta o pior serviço ao município, já tem um bom tempo. E esse prefeito fraco não consegue resolver nada também, estamos ferrado, com essa política nojenta

Deixe uma resposta