Nova Faol notifica Câmara sobre desistência da operação em Nova Friburgo

Prefeito Johnny Maycon não reagiu à ameaça da empresa e disse que não vai admitir tarifa de R$ 5,90

Prefeitura não consegue concluir licitação e empresa reclama de desequilíbrio econômico

ADAMO BAZANI

A empresa de ônibus Nova Faol notificou a Câmara Municipal de Nova Friburgo (RJ) que vai desistir de operar os transportes no município.

A companhia diz que está há dois anos operando sem concessão e relata dificuldades financeiras e falta de entendimento com o poder público municipal.

Como mostrou o Diário do Transporte, a prefeitura não consegue concluir a licitação do sistema e as operações se dão de forma emergencial.

As últimas tentativas de concessão não tiveram interessados com as licitações dando desertas.

A empresa pede equilíbrio econômico para chegar ao que arrecadava quando transportava 745,5 mil passageiros por mês antes da pandemia.

Para isso, sugere que a tarifa suba dos atuais R$ 4,20 para R$ 5,90.

A Nova Faol também propõe que a prefeitura compre antecipadamente vales-transportes para os servidores.

Caso contrário, a companhia diz que não haverá mais condições de continuar.

O MP (Ministério Público) chegou a acompanhar as negociações entre a prefeitura e a empresa, mas desistiu do caso.

A Nova Faol propõe um período de 30 dias de transição até deixar as operações.

A atitude da empresa de ônibus não foi bem recebida pelo prefeito Johnny Maycon que, em redes sociais, disse que não haverá falta de transporte público na cidade e que não vai admitir uma tarifa de R$ 5,90 como pediu a Nova Faol.

Estamos aqui para primeiramente tranquilizar a população e dizer que estamos preparados para tomarmos todas as medidas que forem necessárias para garantir a continuidade do serviço de transporte público em nossa cidade. Não admitiremos em hipótese alguma uma tarifa de R$ 5,90 ao usuário do transporte coletivo, ou qualquer outra covardia praticada contra a nossa população. O que causa maior espanto é o posicionamento dos representantes da empresa, que tem sido muito diferente neste momento quando comparado com a gestão anterior. A pergunta que não quer calar: que tipo de relação havia entre Prefeito e donos da Nova FAOL?

 

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Estatiza essa pôha de uma vez,k-ralyw.Acaba a m´rdhy@.Ph.odhyam-si.

  2. Joacir Jorge de Jesus disse:

    Bom dia. Quando foi lançado o valor único das passagens foi p evitar o êxodo de moradores da área rural p cidade p q os filhos pudessem estudar de ou noite. Mas a área rural mudou p melhor. Construiram escolas e sómente os cursos mais avançados são na cidade. As estradas são péssimas. Será q ñ é hora de melhorar as estradas e até as ruas esburacadas serem bem tratadas? Uma tarifa um pouco diferenciada , ñ muito , seria.o caso? Prefeito, ñ jogue dinheiro fora colocando asfalto sobre paralelepípedo, ñ dá liga, é lizo. Tenho sugestão p durar anos a mais. Tire o paralelepípedo nivele o piso e aplique o asfalto, aproveite as pedras nas estradas vicinais. Deus guarde nossa cidade e seus políticos a abracem c sabedoria.

  3. Leonardo disse:

    Acabar com algumas gratuidades, retirar o benefício de quem vai de Lumiar para Conquista por exemplo pode ajudar !

Deixe uma resposta para Joacir Jorge de Jesus Cancelar resposta