Greve do transporte coletivo de Teresina (PI) chega ao 16º dia

Gratuidade nos ônibus e passe dos estudantes foi discutida na reunião com os parlamentares. Foto: Felipe Pessoa de Albuquerque/Ônibus Brasil.

Propostas para solucionar a crise no setor foram debatidas na Câmara Municipal

WILLIAN MOREIRA

Nesta terça-feira, 23 de fevereiro de 2021, a paralisação parcial do transporte coletivo em Teresina chegou ao 16º dia com uma frota de aproximadamente 20 ônibus em circulação. Ao todo, são 210 veículos.

Buscando por um fim à greve, uma audiência foi realizada na Câmara Municipal com representantes do Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí), do Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina) e parlamentares.

O vice-presidente do Setut, Marcelino Lopes, sugeriu que para baratear a operação uma das alternativas é a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o óleo diesel, pneus e peças fabricadas no Nordeste, bem como rever as gratuidades no transporte e passes de estudantes.

Marcelino também fez críticas a uma fala do vice-prefeito, Robert Rios, dizendo que os valores pagos às empresas seguem a Lei da Mobilidade Urbana, prevista no contrato firmado e não estão “metendo a faca na Prefeitura”, como disse Rios

“Isto demonstra desconhecimento por parte do vice-prefeito, porque existe um contrato que rege isso, que diz que se o custo do mês não for coberto pela tarifa praticada, o poder público tem que pagar a diferença. Isto não é meter a faca, isso é uma regra contratual”, conclui o vice-presidente do Setut.

Por outro lado, o presidente do Sintetro, Ajuri Dias, defendeu uma nova licitação e pediu aos vereadores uma nova lei para o transporte municipal, discutindo assim as gratuidades concedidas, diminuindo o valor da tarifa e propôs um estudo conjunto entre Estado e Prefeitura na questão dos tributos nos insumos utilizados pelos ônibus, podendo alcançar uma passagem no valor de R$ 2,50.

Já o vereador Deolindo Moura fez a proposta de colocar, fora do horário de pico, veículos com menor quantidade de assentos. Outra proposta foi a criação de faixas expressas dos terminais para o Centro de Teresina.

SOBRE A GREVE

A paralisação foi iniciada em 08 de fevereiro como forma de protesto pelos motoristas e outros trabalhadores das empresas que pedem o pagamento dos vencimentos de janeiro e outros benefícios não quitados como vale-refeição e plano de saúde. Outra crítica foi a demissão de metade dos cobradores.

Relembre:

Greve de ônibus em Teresina paralisa linhas nesta segunda (08)

WIllian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta